sexta-feira, 3 de outubro de 2014

CORREIO DAS ARTES TRAZ REPORTAGEM ESPECIAL SOBRE O CRIADOR BETO BRITO DO MOVIMENTO MUSICAL “IMBOLÊ” E AUTOR DE BAZÓFIAS DE UM CANTADOR PAI D’ÉGUA, CONSIDERADO O MAIOR CORDEL DO MUNDO

O Correio das Artes – suplemento do jornal A União, da Imprensa Oficial do Estado da Paraíba – lançado no último domingo (28 de setembro), trouxe como matéria de capa reportagem do jornalista Linaldo Guedes sobre a vida e obra do cantor, compositor, rabequeiro e cordelista Beto Brito. O artista, natural do Piauí, mas radicado na Paraíba, abandonou uma bem sucedida carreira empresarial, para se dedicar exclusivamente à música e à literatura de cordel.

Criador de um conceito musical que denominou “imbolê”, lançado em 2005, juntamente com o CD homônimo, Beto Brito já gravou sete discos – o mais recente é Correio da Noite – e é autor do livro Bazófias de um cantador pai d’égua (volumes 1 e 2), o maior cordel do mundo. Sonhos, influências e experiências que ajudaram a formatar o cantor, compositor e instrumentista Beto Brito são abordados por William Costa em sua coluna “duas palavras”.

OUTROS ASSUNTOS DA EDIÇÃO:

ARTES VISUAIS

O artista visual Mário Simões explica por que o termo “naïf” é impróprio para definir a pintura do paraibano Alexandre Filho. Aclamado nacional e internacionalmente, Alexandre Filho integrou, em 2013, a exposição Accent Brasil, no Musée International d’Art Naïf, em Vicq, na França, e continua a ser procurado por curadores, colecionadores e galeristas, na singela e acolhedora casa no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, onde mora e trabalha.

LIVROS

O livro Inventário lírico da Rainha da Borborema: 150 anos de poesia, com selo de A União Editora, organizado por Bruno Gaudêncio e José Edmilson Rodrigues, será lançado no dia 10 de outubro, às 18h, no Museu de Arte Popular da Paraíba (Três Pandeiros), em Campina Grande. A obra faz uma homenagem a Campina Grande através de seus poetas e é uma forma de comemorar os 150 anos de emancipação política da cidade.

O livro Era uma vez um menino chamado Augusto (Ideia Editora), de Neide Medeiros Santos, ilustrado por Tonio, será lançado no dia 30 de setembro, às 19h, no Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa. A promoção é da Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro (Alane-PB). No dia 29 de outubro, a obra será lançada no Museu de Arte Assis Chateaubriand, em Campina Grande. A obra marca a estreia da autora na literatura infantil.

A literatura paraibana ganha definitivamente o mundo virtual. Isso acontece graças à Coleção Latitudes, dedicada a livros de ficção, publicada pela Editora Mombak na forma de e-books. A coleção, organizada pela escritora Maria Valéria Rezende, começa com cinco autores nascidos ou radicados na Paraíba: Dôra Limeira, Ronaldo Monte, Joana Belarmino, Roberto Menezes e Geraldo Maciel, este último já falecido.

COLUNAS

Em seu novo “ensaio-ilustrado”, W. J. Solha mostra por que, “em arte, o todo é sempre menor que a melhor parte”. Em suas respectivas colunas, Amador Ribeiro Neto comenta o livro de Fabrício Corsaletti, Quadras Paulistanas; Hildeberto Barbosa Filho o de Marize Castro, Habitar teu Nome; Rinaldo de Fernandes um romance de Graciliano Ramos, São Bernardo; e Edônio Alves o conto “Homem vestido de negro”, de Lourenço Cazarré.

João Batista de Brito inicia uma série de entrevistas inéditas e exclusivas, para o Correio das Artes, com espectadores de cinema sobre “recepção cinematográfica”. O primeiro entrevistado é Joaquim Inácio Brito. Já Carlos Newton Júnior, em uma crônica bem humorada, revela que, “se a metempsicose for mesmo uma realidade”, ele quererá “voltar ao mundo na forma de um cachorro”.

ARTIGOS

O professor José Mário da Silva, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), faz uma análise do sistema literário do escritor Lêdo Ivo (1924-2012), autor, entre outras obras, de As imaginações (poesia), Ninho de cobras (romance) O flautim (conto) e A cidade e os dias (crônica). A poeta, tradutora e jornalista Olga Savary comenta o livro O abismo do sátiro (poesia), do carioca Ricardo Correia – o autor já morou em João Pessoa e, hoje, reside em Brasília (DF).

SOBRE O SUPLEMENTO
 
O Correio das Artes – suplemento de artes e literatura do jornal A União, da Imprensa Oficial do Estado da Paraíba, é considerado um dos mais importantes patrimônios da cultura e do jornalismo paraibano, com ampla repercussão nacional. Fundado no governo republicano de Álvaro Machado, o jornal circulou pela primeira vez no dia 2 de fevereiro de 1893. Criado pelo jornalista Édson Régis, o suplemento fez sua estreia em 27 de março de 1949.

O Correio das Artes publica artigos, ensaios, crônicas, contos e poemas, além de fotos e reportagens, assinados tanto por veteranos como por jovens talentos, e seu escrete opinativo é formado pelos professores Milton Marques Júnior, João Batista de Brito, Hildeberto Barbosa Filho, Edônio Alves, Expedito Ferraz, Amador Ribeiro Neto, Rinaldo de Fernandes e Carlos Newton Júnior, além do jornalista William Costa, seu atual editor.

Críticas, sugestões e colaborações, para o Correio das Artes, devem ser enviadas para o endereço eletrônico: editor.correiodasartes@gmail.com
 
Texto e divulgação: Jornalista e Editor William Costa.

Foto/arte: Divulgação/reprodução.





Nenhum comentário:

Postar um comentário