domingo, 28 de fevereiro de 2016

‘CORAÇÃO DARK ROOM’ REESTREIA EM SÃO PAULO

Prestes a completar nove anos de sua estreia, o monólogo dramático Coração Dark Room volta ao cartaz – agora, na Funarte São Paulo. Escrita e interpretada pelo dramaturgo e diretor Ricardo Corrêa, a peça estará durante todo o mês de março na Sala Carlos Miranda do Complexo Cultural.
 
Coração Dark Room integra o repertório da Companhia ARTERA de Teatro, e tem livre inspiração no universo do escritor Caio Fernando Abreu (Rio Grande do Sul, 1948-1996). A narrativa faz um mergulho na mente de um assassino em série, levando à reflexão sobre o significado da vida – e da morte – em nossos dias.

A partir de personagens e situações que habitam os romances, contos e crônicas de Caio Fernando Abreu, a trama se desenvolve em torno de um garoto de programa frente à solidão nos grandes centros urbanos. Identidade gay, solidão, memória e lacunas são pontos marcantes nesta dramaturgia, à semelhança do olhar sobre o contemporâneo daquele escritor gaúcho.
 
A peça recebeu, em 2010, o apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC) do Estado de São Paulo, e em 2015 foi indicada ao prêmio do Festival Papo Mix, como melhor espetáculo LGBT. “O assassino em série é uma metáfora para falar sobre a violência contemporânea. A figura de um serial killer está em nosso imaginário coletivo, temos fascínio perante a morte. Em uma cidade onde as pessoas se tornam estrangeiras pelo desconcerto da agitação do tempo”, avalia Ricardo Corrêa.

SOBRE A COMPANHIA ARTERA DE TEATRO: Criada em 2001, a Cia. ARTERA busca abarcar diversas dimensões da cena contemporânea, por meio da encenação de textos com dramaturgias inéditas, direcionando a pesquisa para temas relacionados às minorias, num diálogo aberto com outras artes, manifestações e tecnologias. A Cia destacou-se na cena teatral com as peças Coração Dark Room, indicada ao premio do Festival Papo Mix, entre outros. Não Conte a Ninguém ganhou como 3° melhor espetáculo LGBT, participou dos principais festivais sobre diversidade, como Mix Brasil, Boys and Girls, etc. Sua montagem mais recente foi A Social, peça jovem que ficou em cartaz no Espaço dos Parlapatões. No repertório da companhia estão também os espetáculos Over (2005), vencedor do Festival Nacional Curta Teatro – SESI (melhor espetáculo, iluminação e melhor ator); Internos (2004) que recebeu diversos prêmios em diversos festivais de teatro. A montagem mais recente do grupo é DADESORDEMQUENÃOANDASÓ (Clutter Keeps Company) de Davey Anderson, em parceria com a Cia. Provisório-Definitivo.

SERVIÇO
 
Espetáculo: Coração Dark Room
 
De 2 a 31 de março | Quartas e quintas, às 21hs
 
Concepção e interpretação: Ricardo Corrêa | Orientação: Gabriela Rabelo, Davi Reis e Débora Raquel | Trilha sonora original: Karsten Hojen | Apoio cultural: Antrato Rouparia, Neon Arcks e Funarte
 
Duração: 60min | Classificação etária: 16 anos
 
Ingressos: R$20 (meia: R$10). Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo – um ingresso por pessoa. Não aceita cartões
 
Sala Carlos Miranda do Complexo Cultural Funarte São Paulo. Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo, SP. Tel. (11) 3662-5177
 
Foto: Everton Campanhã
 
Fonte: FUNARTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário