quarta-feira, 20 de julho de 2016

CONHEÇA OS DETALHES DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL DAS MEDALHAS DOS JOGOS RIO 2016



Apresentadas em junho passado com toda pompa que elas merecem, as medalhas que serão entregues aos atletas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 são um modelo de sustentabilidade. Ao todo, foram produzidas pela Casa da Moeda do Brasil 5.130 peças, todas a partir de material de descarte e metais livres de contaminação. E esse tão sonhado objeto de desejo é repleto de curiosidades elencadas abaixo:

- A Casa da Moeda usa ouro livre de mercúrio, o que evita contaminação. A mineradora escolhida foi submetida a uma série de inspeções para assegurar as boas condições de trabalho dos funcionários.

- As medalhas de prata e bronze contam com 30% de material reciclado em sua composição. Parte desta prata foi obtida a partir de chapas de raio-x, peças de carro e espelhos. Já o cobre utilizado nas de bronze veio de material de descarte da própria Casa da Moeda.

- Foram utilizadas cerca de 2,5 toneladas de metais, entre ouro, prata, bronze, zinco e cobre. As medalhas entregues aos atletas pesam cerca de 500 gramas cada uma.

- O processo de confecção de cada medalha dura aproximadamente dois dias.

 As medalhas dos Jogos Paralímpicos contam com guizos de metal que emitem sons. As de bronze conta com menos esferas, enquanto as de ouro prometem fazer mais barulho. Detalhe: o material utilizado nesta inovação também seria descartado pela Casa da Moeda.

- As fitas em que as medalhas são penduradas têm 50% de material oriundo de garrafas pet adquiridas de uma associação de catadores.

- Os estojos que guardam as medalhas são feitos com Freijó, uma madeira certificada.

Fonte: Rafael Cavalieri.
Foto: Divulgação Olimpíadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário