quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

INSCRIÇÕES ABERTAS EM EDITAL DE INVESTIMENTO EM LONGAS-METRAGENS DE LINGUAGEM INOVADORA E RELEVÂNCIA ARTÍSTICA

A ANCINE e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) lançaram a Chamada Pública PRODECINE 05/2016. O edital investe em projetos de longa-metragem de ficção, animação e documentário com foco em linguagem inovadora e relevância artística. O período de inscrições de 1º de dezembro a 23 de janeiro de 2017.

Esta é a quarta edição desta linha, que aposta em filmes com potencial de participação e premiação em festivais e que apontem para a experimentação, mas que também sejam capazes de dialogar com seu público-alvo e de realizar seu potencial comercial. Nas três primeiras chamadas públicas, 55 longas-metragens foram contemplados.

Os interessados devem realizar a inscrição pelo Sistema FSA, preenchendo um formulário e apresentando a documentação prevista no ANEXO I do edital, até as 18h do dia 23 de janeiro de 2017. A linha disponibiliza R$ 30 milhões, em recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), respeitando indutores regionais de no mínimo 30% dos recursos destinados a projetos audiovisuais de produtoras independentes localizadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste; e no mínimo 10% para projetos de produtoras independentes da região Sul ou dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

O regulamento do edital determina que os projetos inscritos nesta chamada pública respeitem os limites orçamentários de R$ 4 milhões, no caso de ficção ou animação, e de R$ 1 milhão, no caso de documentários. Além disso, o montante solicitado pelos proponentes deve obrigatoriamente completar o valor dos ítens financiáveis do orçamento do projeto. No caso de coproduções internacionais, o valor deve integralizar o orçamento da parte brasileira. Para projetos de ficção e animação, o valor máximo de investimento por projeto é de R$ 2,25 milhões. Já para os documentários, o FSA pode investir até R$ 1 milhão.

Em evento de divulgação do resultado da última edição da linha, o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, falou sobre a importância estratégica desta chamada pública: "Esta é uma linha que valoriza os realizadores e suas escolhas artísticas. A sociedade brasileira é plural e deseja ter acesso filmes de diversos gêneros, linguagens e sensibilidades. Apostamos em obras com potencial para trilhar carreira em festivais, mas que também possam chegar ao circuito de salas de cinema, diversificando a oferta e ampliando o público do cinema nacional. Não acreditamos em um único tipo de filmes”.

SAIBA MAIS SOBRE O PROGRAMA BRASIL DE TODAS AS TELAS

O Programa Brasil de Todas as Telas, lançado em julho de 2014, foi desenhado para estimular a expansão do mercado e a universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Trata-se de uma ampla ação governamental que visa transformar o País em um centro relevante de produção e programação de conteúdos audiovisuais. Foi formulado pela ANCINE em parceria com o Ministério da Cultura, e com a colaboração do setor audiovisual por meio de seus representantes no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual - FSA.

Os resultados do Programa vêm superando as metas estabelecidas. Até outubro deste ano, foram 486 longas-metragens e 476 séries ou telefilmes apoiados. A aposta no investimento em desenvolvimento de projetos também foi bem-sucedida, rendendo a estruturação de 69 núcleos criativos em todas as regiões do país, e garantindo o desenvolvimento de 769 novos projetos de obras audiovisuais.

Em seu terceiro ano, o Programa Brasil de Todas as Telas garante a continuidade de uma política pública vigorosa para o audiovisual brasileiro. Para dar previsibilidade às suas ações de investimento, a ANCINE disponibilizou o Calendário de Financiamento para o biênio 2016/2017, que traz as datas previstas para a abertura e divulgação de resultados das chamadas públicas do Programa.


Fonte: ANCINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário