sábado, 29 de julho de 2017

NESTE SÁBADO ÚLTIMA APRESENTAÇÃO DO ESPETÁCULO “LEI” DO GRUPO DE PESQUISA DO PROJETO GIRARTE DE MINAS GERAIS NO THEATRO SANTA ROZA EM JOÃO PESSOA

Neste sábado última apresentação do Espetáculo “Lei” do Grupo de Pesquisa do Projeto Girarte, de Minas Gerais, no Theatro Santa Roza, em João Pessoa. O espetáculo aborda as leis da Inércia, Força/Dinâmica, Ação e Reação e a Lei da Gravidade, todas de Isaac Newton.

“Lei” surgiu após o grupo, que percorre de forma itinerante escolas e cidades apresentando trabalhos com um cunho social, perceber como os alunos tinham dificuldade em entender a física. Assim, eles acabaram por construir uma apresentação onde dialogam não só com as leis da física criadas por Newton, do ramo da ciência exata, mas também com as leis que os seres humanos usam para solucionar conflitos da convivência em sociedade.

Com essa superposição simbólica, o espetáculo busca construir uma maior “consciência planetária” e reflexões éticas. Marcus Diego, coordenador do projeto, diretor do espetáculo e um dos bailarinos do grupo, explica que se alguém tropeçar e se desequilibrar, naturalmente vai cair, a Lei Gravitacional é taxativa. Enquanto isso, as leis sociais podem ter interpretações diversas. Durante a apresentação são feitas citações do Código Penal, para ajudar no contraponto e fazer com que o público, além de sair recheado de informação e poesia, também possa ter um pensamento crítico, sobre o que vem a ser Lei. “Dentro disso, o espetáculo é indicado para as crianças, que vão se divertir e contemplar o visual e a dança, e para quem procura um espetáculo mais cabeça, no sentido erudito. Enfim, o público vai encontrar um texto rico e cenas teatrais belas, com interação audiovisual música e dança contemporânea, no mesmo espetáculo”.

O espetáculo

Num palco negro os bailarinos ora dançam envoltos em tecidos brancos explorando a teoria da Força/Dinâmica de Newton, enquanto são projetados fractais, ora uma bailarina dança coberta de areia. “A massa dela vai ficando mais forte que a areia. A bailarina tem o estimulo do movimento que é a vida. Algo que o próprio ser humano esquece as vezes, com esse estímulo ele pode mover céus e terras”, filosofa Marcus.

O grupo ainda salta sobre blocos de madeira num chão escuro, como se saltassem no vazio, experimentando a gravidade. Deslizam num tablado sobre rodinhas, brincando com a Inércia ou ainda se provocam mutuamente e dão cambalhotas em Ação e Reação. Entre as curiosidades, o espetáculo conta com algumas fórmulas criadas por estudiosos da Universidade Federal de Viçosa projetadas no palco, exemplificando de forma matemática alguns dos movimentos cênicos.

A concepção do espetáculo “LEI” se deu de forma colaborativa, onde inúmeros profissionais e diferentes linguagens artísticas se reuniram para construir a apresentação. Para criação do universo cênico o grupo contou com a colaboração de dois reconhecidos nomes da dança e arte contemporânea, os coreógrafos: Mário Nascimento (Blocos Inércia e Ação e Reação) e Alba Vieira (Blocos Força/Dinâmica e Lei Gravitacional). A música é uma construção também em conjunto, de Makely Ka e de O Grivo. Makely é músico, cantor, violinista compositor e poeta radicado em Minas Gerais. O Grivo é composto pelos artistas plásticos Nelson Soares e Marcos Moreira, que trabalham as artes plásticas na criação do som, muitas vezes construindo o que seriam grandes instrumentos musicais, em instalações artísticas.

SOBRE

APRESENTAÇÕES EM JOÃO PESSOA

A primeira apresentação, no dia 28, será realizada no Theatro Santa Roza, às 14h, e estará voltado para os alunos das escolas públicas, estaduais e municipais, de João Pessoa e da cidade do Conde. O segundo dia (29/07) será aberto ao público em geral, também no Santa Rosa, agora às 19h. A entrada é franca para os dois espetáculos. Para o segundo dia os ingresso estarão disponíveis partir do dia 26/07 nas Lojas Furtacor, Santa Luzia Redes e decorações, Le Nature e no Theatro Santa Roza.

O espetáculo Lei tem patrocínio da Energisa via Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e apoio da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, Rede Nord Hoteis, Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais e Instituto Fábrica do Futuro. Parcerias Prefeitura Municipal de João Pessoa e FUNJOPE, Prefeitura Municipal do Conde e Secretaria de Educação do Conde, Governo do Estado da Paraíba, FUNESC, Lojas Furtacor, Santa Luzia redes e decorações, Le Nature, Rádio Tabajara e Churrascaria Tererê.

GIRARTE

O Projeto Cultural Girarte tem sede na cidade de Cataguases, Minas Gerais. Com perfil itinerante e inspirado na Comedia Dell’arte, o grupo percorre estradas não de carroça, mas de Van, cercado de tecnologia eletrônica e artesanal. Atravessa os caminhos empenhado na interação de diferentes linguagens artísticas, com estrutura cênica aberta e diversificada, onde o roteiro é seguido de improvisação. Estradeiros por excelência, os participantes investem no amor pela arte e nas delícias de serem artistas e girar arte. Desde sua fundação, o projeto já percorreu mais de 40 cidades dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul, onde atendeu cerca de 50 escolas e já beneficiou mais de 20.000 pessoas, muitas delas em situação de vulnerabilidade social. Atualmente, são artistas pesquisadores do projeto Andreza Viana, Carlos Gonçalves, David Peixoto, Deliana Domingues, Lidiane Matias, Marcus Diego, Miriam Gaspar, Roberta Rodrigues (artista convidada) e Tatiane Dias. “Todos os artistas que são envolvidos no projeto tem grande experiência ou formação oriunda de projetos sociais. Eles também tiveram a vida, de alguma forma, transformada pela arte. A gente acredita que esses profissionais têm uma predisposição a ter uma sensibilidade maior para lidar com grande parte de nosso público alvo”, pontua Marcus Diego.

Todas as apresentações do Girarte são gratuitas. Segundo Marcus, o intuito é beneficiar pessoas com baixo poder aquisitivo, e facilitar o acesso aos bens culturais gerados pelo projeto por parte de toda população independente de classe social, buscando realizar de forma eficaz a democratização cultural.

SERVIÇO:

Espetáculo Lei

Entrada Gratuita (o ingresso deve ser retirado nas Lojas Furtacor, Santa Luzia Redes e decorações, Le Nature e no Theatro Santa Roza).

Local: Theatro Santo Roza

Dia e hora: 28/07 – apresentação para escolas públicas, às 14h

Dia e hora: 29/07 – Apresentação para o público, às 19h

Divulgação: Flávio Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário