quinta-feira, 26 de outubro de 2017

CARLOS CARDOSO LANÇA "NA PUREZA DO SACRILÉGIO", COM DESENHOS DE LENA BERGSTEIN, E APRESENTAÇÃO DE ANTONIO CICERO E SILVIANO SANTIAGO

Depois de mais de dez anos, Carlos Cardoso volta à poesia com Na Pureza do Sacrilégio. O livro chega às livrarias com a chancela de textos elogiosos de Antonio Cicero e do crítico Silviano Santiago.

"A escrita poética desnuda a pureza pelo sacrilégio para purificá-la ainda mais; desnuda o sacrilégio pela pureza para conspurcá-lo ainda mais", escreve Santiago, que aproxima Carlos Cardoso a Fernando Pessoa, Octavio Paz e João Cabral de Melo Neto para apresenta-lo ao leitor.

Segundo o crítico, uma das principais qualidades de Carlos Cardoso é o desnudamento. Mas ele também sublinha um movimento de deslizamento do formal ao semântico (e do semântico ao formal) como um procedimento estruturante na obra do poeta que lança, agora, seu terceiro livro. "Carlos é um 'poeta da estruturação', que abole todos os golpes da 'incerteza'", afirma Silviano.

O crítico apoia-se nas teorias do linguista russo Roman Jakobson para apontar o oximoro – aliança de palavras aparentemente contraditórias, que em vez de excluírem-se, complementam-se – como uma das chaves de leitura da obra. "O poema perambula, mas tudo permanece intacto – eis a lição de poesia", escreve.

Além do prefácio de Silviano Santiago, o livro tem a orelha assinada por Antonio Cicero, que aponta com precisão "uma das grandes qualidades deste livro é que nele se encontram diversos poemas que oferecem ao leitor experiências originais, intensas e verdadeiras".

O livro também é construído em uma atmosfera em que a poesia e as imagens se comunicam de forma harmônica, composto por vários quadros produzidos pela artista plástica Lena Bergstein inspirados nos poemas.

Sem dúvida, Na Pureza do Sacrilégio, de Carlos Cardoso, é um livro FORTE que apresenta ao leitor muitos motivos para refletir sobre os vários temas escritos ou sobre a vida que é o tema principal.

SOBRE CARLOS CARDOSO

Carioca, nascido em 30/12/1973, tem formação em engenharia. Estreou na literatura em 2004, com Sol Descalço e, no ano seguinte, lançou Dedos Finos e Mãos Transparentes (ambos pela Editora 7Letras). Voltou à poesia em 2017, com Na Pureza do Sacrilégio.

Site: www.carloscardoso.art.br

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário