quinta-feira, 2 de novembro de 2017

DURATEX ANUNCIA TRIMESTRE POSITIVO COM RETOMADA DE CRESCIMENTO


A Duratex anuncia os resultados financeiros do terceiro trimestre de 2017 (3T17). A companhia registrou no período a receita líquida consolidada de R$ 1,02 bilhão, 5,4% maior do que o mesmo período em 2016 (3T16). Do total da receita líquida, R$ 175,6 milhões (17,2%) foram gerados a partir de vendas para o mercado externo (exportações e operações na Colômbia).

O EBITDA Ajustado e Recorrente foi de R$ 204,9 milhões, aumento de 10,2% em relação ao 3T16. No acumulado dos 9 primeiros meses do ano, o crescimento do EBITDA Ajustado e Recorrente foi de 14,5% em comparação com o mesmo período de 2016. O resultado positivo é reflexo de fatores como aumento dos volumes das duas divisões de negócios (Deca e Madeira), captura dos ganhos de produtividade e corte de custos e da estratégia de sustentação dos aumentos de preços praticados.

A Duratex fez investimentos em outras frentes no trimestre, totalizando o valor de R$ 86,5 milhões. Desse montante, R$ 41,5 milhões foram destinados para a área florestal e R$ 45 milhões para manutenção fabril e novos projetos. No acumulado anual, os investimentos representaram R$ 283,3 milhões, em linha com o ano anterior, o que reforça o compromisso de geração de caixa da Duratex.

Na Divisão Madeira, a Duratex registou bons resultados nos mercados doméstico e de exportação de painéis. O volume expedido no trimestre foi de 614,8 mil metros cúbicos de painéis, 5,9% superior ao do 3T16 e 16,8% maior que o registrado no 2T17. Motivado pelo aumento de demanda, redução de custos e readequação de preços, o EBITDA Ajustado e Recorrente da Divisão Madeira foi de R$ 152,4 milhões, superior em 13,2% ao apurado no mesmo período do ano passado. O acumulado anual de 2017 totaliza R$ 344,7 milhões, com margem de 18,9%, montante 4,8% maior que o reconhecido nos nove primeiros meses de 2016, reafirmando a liderança no setor de painéis de madeira.

A Divisão Deca novamente teve desempenho superior à média do mercado, obtendo crescimento de 1,9% nos volumes ao compararmos os terceiros trimestres deste ano e de 2016. A receita líquida no trimestre foi de R$ 368,4 milhões, 8,2% maior do que o registrado no 3T16. “O aumento de receita foi mais significativo do que o aumento de volume, demostrando uma importante melhora do mix de produtos. Isso também reflete na expansão da margem bruta que foi de 30,3% no trimestre, ante 27,4% no mesmo período do ano passado”, informa Henrique Haddad, diretor de Administração, Finanças e Relações com Investidores da Duratex. O EBITDA Ajustado e Recorrente da Divisão Deca, nos 9 primeiros meses do ano, foi de R$ 186,5 milhões, com margem de 17,5%. Esse resultado é 38,3% maior do que o apresentado no mesmo período de 2016.

A gestão mais eficiente da Companhia, que tem apresentado resultados positivos gerados por meio da agenda interna, tem como destaque o Sistema de Gestão Duratex (SGD) e o Orçamento Base Zero. “A empresa está confiante na entrega dos objetivos traçados nesse plano de redução de custos e convicta da relevância das iniciativas para a retomada contínua das margens”, diz Haddad.

Para garantir a perenidade e a boa performance no 3T17, a Duratex seguiu com a jornada de transformação cultural. Entre as iniciativas estão a ampliação do envolvimento de colaboradores e promoção de outros benefícios, que contemplam mais autonomia na tomada de decisão, novos modelos de meritocracia, mais inovação e maior protagonismo da equipe. Essa mudança cultural está sendo fundamental para apoiar novos ciclos de crescimento da empresa, conforme planejamento estratégico desenvolvido para os próximos anos.

Alinhado ao propósito Soluções para melhor viver e com o objetivo de oferecer aos clientes um portfólio ainda mais completo de produtos, a Duratex iniciou no 3T17 o processo de aquisição da Ceusa, produtora nacional especializada em revestimentos cerâmicos. A companhia, com capacidade de produção de 480 mil m²/mês e 330 colaboradores, adota um modelo de negócio baseado em inovação e alta qualidade em revestimentos cerâmicos, em sintonia com os atributos que já fazem parte dos negócios da Duratex, com as marcas Durafloor, Deca, Duratex e Hydra.

A companhia ainda revisitou sua estratégia de longo prazo, na qual prevê quatro avenidas de crescimento que, alinhadas ao seu propósito, irão direcionar seus esforços no futuro. São elas: transformação digital (ainda mais digital e inovador, sintonizada com o perfil do novo consumidor), soluções para ambientes (tendo as marcas como geradoras de valor para oferta soluções mais completas ao consumidor), soluções em água (buscando liderança e pioneirismo em aquecimento e gestão do consumo de água) e soluções florestais (maximizando a criação de valor por meio de novas oportunidades de negócio na área florestal).

Sobre a Duratex

A Duratex S.A. é uma empresa brasileira, privada e de capital aberto, controlada pela Itaúsa – Investimentos Itaú S.A – e pela Companhia Ligna de Investimentos. Com as marcas Deca, Hydra, Durafloor e Duratex, é considerada uma das 10 maiores empresas do mundo nos setores nos quais atua e a maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul. Com sede em São Paulo, possui 15 unidades industriais estrategicamente localizadas (Estados de Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além de três fábricas de painéis na Colômbia, a Duratex Colômbia. A companhia também é proprietária da Caetex, joint venture criada para o plantio de florestas de eucalipto em Alagoas. Suas ações estão listadas no Novo Mercado (o mais elevado padrão de Governança Corporativa) e na versão 2016/2017 do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 – ISE.

Foto: Reprodução/divulgação.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Duratex

Nenhum comentário:

Postar um comentário