quarta-feira, 18 de julho de 2018

FUNDAÇÃO SM ANUNCIA VENCEDOR DO PRÊMIO BARCO A VAPOR DE LITERATURA 2018


A Fundação SM anunciou, nesta terça-feira (17), o vencedor do Prêmio Barco a Vapor de Literatura Infantil e Juvenil 2018: o paulista João Paulo Hergesel. Com 25 anos, o escritor brasileiro desbancou mais de mil concorrentes com o livro Que presepada! - que conta a história de uma vaca de presépio que sonha em ser hena de Natal.

O vencedor, que é residente do município de Alumínio (SP), traz no currículo outros prêmios literários nacionais e internacionais, entre eles: Desafio dos Escritores (Câmara dos Deputados), Cancioneiro Poético (Instituto Piaget Portugal), Concurso Monteiro Lobato de Contos Infantis (SESC-DF) e Prêmio Ganymedes José de Literatura Infantil e Juvenil (União Brasileira dos Escritores).

- Minha ficha ainda não caiu. É uma felicidade enorme. Há muito tempo envio histórias para o Prêmio Barco a Vapor, mas nunca imaginei que um dia seria o vencedor. Escrevi a Que presepada! em 2013 e agora, depois de cinco anos, ela me rendeu um prêmio super importante, afirma Hersegel.

João Paulo é doutorando em Comunicação na Universidade Anhembi Morumbi (UAM), mestre em Comunicação e Cultura e licenciado em Letras pela Universidade de Sorocaba (Uniso).

A obra vencedora conta a história de Juno, uma vaca que todo Natal trabalha como atriz no presépio da fazenda. Sua vida pacata não é das piores, mas ela tem um sonho: ser rena do Papai Noel. Para realizá-lo, além de voar, Juno precisará de paciência e determinação, e também da ajuda de alguns amigos pelo caminho, sem deixar-se desanimar pelas gozações e preconceitos alheios. Será que ela conseguirá chegar ao polo norte?

A cerimônia de entrega do prêmio será em outubro, quando a obra será lançada na coleção 'Barco a Vapor', da SM. O escritor receberá também o pagamento de R$ 40 mil como adiantamento de direitos autorais.

Livro sobre refugiados sírios venceu em 2017

No ano passado, o livro infantojuvenil 'O cometa é um sol que não deu certo' foi o vencedor da 13ª edição do Prêmio Barco a Vapor no Brasil. A obra, que contava a história sobre refugiados sírios, foi escrita pelo pernambucano Tadeu Sarmento, de 40 anos, e concorreu com outros 1.300 originais.

Já em 2016, o melhor livro foi 'Deslumbres e assombros', do estudante Lucas Carvalho, de 24 anos. A obra resgata as histórias de aventura e mostra um narrador em constante discussão sobre os caminhos a seguir.

Sobre

Prêmio Barco a Vapor

O concurso, que surgiu na Espanha (1978) e está na sua 14ª edição, chegou ao Brasil em 2005 e é realizado em mais sete países: Chile, México, Argentina, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia e Peru. Na Espanha, o Barco a Vapor é entregue pela rainha desde 2006, tamanha a importância do prêmio.

A iniciativa, que possui parceria com a SM, tem como objetivos estimular a criação literária nacional e engajar crianças e jovens com a literatura.

Fundação SM

A Fundação SM busca apoiar e desenvolver projetos voltados para a melhoria da qualidade da educação, que percebem o ser humano em sua totalidade, apoiando iniciativas como o Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos e o Prêmio Professores do Brasil. Destacam-se também o Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil e o Prêmio Barco a Vapor, que se propõem a despertar o prazer pela leitura entre crianças e jovens e estimular a produção literária em espanhol e português.

Fonte/Foto-reprodução/divulgação: Assessoria de Imprensa


Nenhum comentário:

Postar um comentário