quarta-feira, 18 de julho de 2018

LONGA INSPIRADO NA HISTÓRIA DE PUREZA LOPES LOYOLA TERMINA FILMAGENS EM MARABÁ E SEGUE PARA BRASÍLIA


PUREZA é um longa-metragem inspirado em fatos reais. O filme narra a história de uma mãe que procura por seu filho desaparecido e encontra uma rede de fazendas praticando o trabalho escravo no interior da Amazônia.

Ela se emprega numa dessas fazendas onde testemunha o tratamento brutal de trabalhadores rurais e o desmatamento florestal, mas consegue escapar e denuncia os fatos às autoridades Federais.

Em 1997, Pureza recebeu o "Prêmio Anti-escravidão", medalha concedida anualmente pela Anti-Slavery International, organização não governamental do Reino Unido, que luta contra o trabalho escravo no mundo.

O longa PUREZA está sendo rodado em Marabá, com Dira Paes, que vive a protagonista que dá nome ao filme; Flávio Bauraqui, que interpreta o capataz Narciso; e Matheus Abreu (da minissérie Dois Irmãos) que faz Abel, o filho de Pureza. Mariana Nunes, Claudio Barros e Sergio Sartório completam o elenco.

O roteiro é de Barbieri e de Marcus Ligocki Jr., que também assina a produção executiva ao lado de Affonso Beato e Paulo Morelli. A fotografia é de Felipe Reinheimer.

PUREZA é uma produção da GAYA Filmes e LIGOCKI Entretenimento. A distribuição é da Downtown Filmes.

SOBRE:

Dira Paes iniciou sua carreira ao ter a ideia de se inscrever para uma produção norte-americana dirigida pelo produtor John Boorman, que selecionava jovens brasileiras para atuar, mesmo sem formação na área. Dira conseguiu passar em todas as fases: beleza, biotipo específico, teste de gravação de textos e atuação improvisada. Desbancou 500 candidatas, e assim, em 1985, foi para o Estados Unidos sozinha e atuou no filme "A Floresta das Esmeraldas". A partir daí sua carreira no cinema brasileiro só cresceu. Após o fim do filme, voltou para Belém, mas passou a viajar por todo o país fazendo novos filmes.

Em 1987, foi viver sozinha no Rio de Janeiro, com apenas 18 anos. Já fazendo muito sucesso nas telas de cinema, estreou em telenovelas em 1990, contratada pela TV Globo. Integrou o elenco fixo da série A Diarista, da Rede Globo, mostrando grande talento também para a comédia. Nas novelas, sempre faz papeis de destaque, seja como mocinha sofredora, ou de mulher espevitada. Participou das novelas Caminho das ÍndiasFina Estampa, Salve Jorge e Velho Chico, entre outras. Foi protagonista do episódio "A Doméstica de Vitória", da série As Brasileiras, e fez grande sucesso de público e crítica ao interpretar a rica Celeste, na minissérie Amores Roubados, e a inspetora Rosa, no remake de O Rebu.

No cinema, participou de cerca de 40 filmes, incluindo Amarelo MangaDois Filhos de FranciscoMeu Tio Matou um CaraA Festa da Menina MortaBaixio das Bestas. Foi premiada inúmeras vezes nos Festivais de Brasília e Gramado e recebeu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro pelo filme À Beira do Caminho.

É associada ao MHuD – Movimento Humanos Direitos - desde 2003.

O gaúcho Flávio Bauraqui tem longa carreira no cinema, teatro e na TV, iniciada em Porto Alegre. Em 1995, já no Rio de Janeiro, participa da Cia Trupe do Rei, em Forrobodó. Contabiliza atuação em mais de 20 peças, entre as quais, Crioula – A Dama do Suingue, na qual interpreta Pelé; Elis: A Estrela do BrasilGrande Othelo – Êta Moleque Bamba; Cartola, o Mundo é um moinho.

Na TV, participou das novelas Duas CarasMalhaçãoParaiso TropicalAmor Eterno Amor e Meu Pedacinho de Chão, além de episódios em minisséries como As Cariocas, Alexandre e Outros Heróis.

Sua atuação no cinema começou com Madame Satã, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que o premiou também pelos filmes Quase Dois Irmãos e Nise: O Coração da Loucura.

Matheus Abreu, que interpreta Abel, o filho de Pureza, iniciou sua carreira no cinema, quando protagonizou o longa juvenil O Segredo dos Diamantes. Em seguida, participou do filme Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, mas ficou conhecido do grande público ao interpretar Omar e Yacub na minissérie Dois Irmãos. Atua na novela teen Malhação, como o personagem Tato.

Renato Barbieri - Diretor

Diretor, Produtor e Roteirista, formado em psicologia pela PUC/SP (1986), iniciou sua carreira de diretor na produtora Olhar Eletrônico, em 1983, ao lado de Fernando Meirelles, Paulo Morelli, Marcelo Tas, Marcelo Machado e Toniko Melo, dentre outros. Em 1992, funda a própria produtora, GAYA Filmes, e passa a se dedicar à realização de documentários e filmes de ficção. É curador do Teste de Audiência, programa inédito de qualificação e aprimoramento do diálogo entre os filmes e seu público. É fundador e diretor-Centro Oeste da CONNE - Connexão Audiovisual Centro Oeste, Norte e Nordeste.

Atlântico Negro — Na Rota dos Orixás (1998)

As Vidas de Maria (2005)

Cora Coralina — Todas as Vidas (2017)

Marcus Ligocki Jr. - Produtor

Começou a trabalhar com audiovisual há mais de 20 anos, transitando entre o roteiro, a direção e a produção. Como produtor, realizou filmes dirigidos por Vladimir Carvalho, Iberê Carvalho e Renato Barbieri, dentre outros. Em 2016, teve sua estreia na direção com a comédia romântica Uma Loucura de Mulher, com Mariana Ximenes e Bruno Garcia. Ligocki coordenou a criação e implementação do curso de graduação em Cinema e Mídias Digitais do IESB, em Brasília.

Rock Brasília — Era de ouro (2011)

O último Cine Drive-In (2015)

Uma loucura de mulher (2016)

Affonso Beato - Produtor Associado
Vive em Los Angeles desde 1970. Fotografou para diretores como Steven Frears, Walter Salles e Glauber Rocha, totalizando mais de 50 filmes na carreira. Foi agraciado com o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro pelo filme Tudo Sobre Minha Mãe, de Pedro Almodovar.

Todo sobre mi madre (1999)

Dark Water (2005)

The Queen (2007)

Paulo Morelli - Produtor Executivo

Parceiro de Renato Barbieri desde os anos 80, construiu ao lado de Fernando Meirelles e Andrea Barata Ribeiro a O2 Filmes, uma das maiores produtoras da América Latina, responsável pelo sucesso mundial Cidade de Deus.

Cidade dos homens (2007)

Entre nós (2014)

Malasartes e o duelo com a morte (2017)

Felipe Heinreimer - Diretor de Fotografia

Depois de uma solida formação nos USA como Operador de Câmera, onde ele reside, Felipe ficou conhecido no Brasil por fotografar 12 longas metragens, entre eles:

S.O.S. Mulheres ao Mar (2013)

Soundtrack (2017)

Boca de Ouro (2018)

Fotos/crédito: Felipe Reinheimer

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário