segunda-feira, 17 de setembro de 2018

PRÁTICA DO GHOSTING, DESAPARECER DE UM RELACIONAMENTO SEM DAR NENHUMA EXPLICAÇÃO, É A INSPIRAÇÃO DE "TUDO AQUILO QUE NOS SEPARA"


A situação pode parecer estranha à primeira vista, mas é mais comum que o imaginado, principalmente na era da tecnologia. Um casal se conhece, troca números de Whatsapp, manda mensagens e até se adiciona nas redes sociais. Os encontros se multiplicam tanto quanto as juras de amor. Tudo parece dar certo, mas, de repente, um deles some. As ligações caem na caixa postal, o Whatsapp diz que a pessoa não fica online há semanas, as mensagens jamais são respondidas.  Este é o fenômeno ghosting, nome atual para uma prática antiga de terminar o relacionamento de uma hora para outra sem dar nenhuma explicação, cortando qualquer tipo de laço com a/o parceiro.

Ghosting é o centro da trama de “Tudo aquilo que nos separa”. Sarah havia acabado de se divorciar quando conheceu Eddie. Ela estava no ponto de ônibus e ele tentava recuperar uma ovelha perdida da fazenda de um amigo. A conexão entre os dois foi imediata. O dia os levou até um pub da região e, logo em seguida, para a casa de Eddie. Ele se apresentou como marceneiro, mostrou seus trabalhos manuais e até a presenteou com um chaveiro de madeira que havia feito quando criança. Mas Eddie iria viajar para a Espanha. Prometeu ligar, por mais caro que fosse o interurbano, disse que usaria o FaceTime ou o Skype até a sua volta à Inglaterra.

E após uma semana intensa, Eddie viajou e... desapareceu. Sarah tenta buscar motivos que possam justificar o sumiço de Eddie. Ele não poderia tê-la abandonado do nada, poderia? Ainda mais quando até cogitou desistir de sua ida para a Espanha só para ficarem mais tempo juntos. Por mais que os amigos digam para ela esquecer, Sarah sabe que eles estão errados.

Aos poucos, os segredos do passado de Eddie e Sarah são revelados, assim como a verdade por trás da conexão entre eles. No primeiro romance que não assina sob um pseudônimo, Rosie Walsh entrega uma história comovente e cheia de reviravoltas.

 “Tudo aquilo que nos separa chega às livrarias este mês”

O Projeto VIB

Iniciativa que o Grupo Editorial Record estreou no início do ano, o Projeto VIB (Very Important Book) tem como objetivo dar visibilidade a livros que são apostas da casa. A cada mês, um grupo de blogueiros, booktubers, jornalistas e outros formadores de opinião recebe um livro selecionado pelos editores, ainda em fase de edição, a meses de antecedência de seu lançamento. Os títulos escolhidos são sempre de autores estreantes nos quais os editores apostam alto.  No mês de setembro o escolhido é “Tudo aquilo que nos separa”.

 “Quando temos um livro muito bom, mas de autor desconhecido e, portanto, ainda sem audiência certa, o melhor marketing que podemos fazer é construir o boca a boca para ele. Neste sentido, o VIB é uma das ferramentas para espalhar a recomendação de excelentes histórias, pinçadas com curadoria pessoal dos editores”, explica Roberta Machado, Vice-Presidente e Diretora Comercial do Grupo.

Rosie Walsh já viajou o mundo inteiro e morou em diversas partes dele, trabalhando como produtora e roteirista de documentários. “Tudo aquilo que nos separa” é o primeiro livro em que não assina sob um pseudônimo. Ela mora em Bristol, na Inglaterra, com o companheiro e o filho.

“Sarah e Eddie se envolvem romanticamente. E aí ele some. Isso soa familiar? No livro de Rosie Walsh, o motivo para o sumiço é bem mais instigante do que a desculpa que o último cara que você conheceu no Tinder te deu.”

— Cosmopolitan

“Fãs de ‘Como eu era antes de você’ ou ‘Um dia’ vão amar ‘Tudo aquilo que nos separa’, que ao mesmo tempo possui uma ternura e um humor tão maravilhosos que desafiam quaisquer comparações.”

— Red Magazine

Serviço

Tudo aquilo que nos separa

Rosie Walsh

The Man Who Didn’t Call/Ghosted

Tradutor: Márcio El-Jaick

Páginas: 336

Preço: R$ 39,90

Editora: Record | Grupo Editorial Record

Fonte: Imprensa Grupo Editorial Record

Nenhum comentário:

Postar um comentário