quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

ESET ORIENTA PAIS SOBRE USO DA INTERNET POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES


Com grande influência no processo de globalização, a internet se tornou a nova fronteira da comunicação entre as pessoas. O rápido avanço da tecnologia, porém, faz com que as crianças tenham contato com smartphones e dispositivos conectados desde muito cedo. A pesquisa TIC Kids Online Brasil – 2016, mostra que 69% das crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos que têm acesso à internet a utilizam mais de uma vez por dia. Destas mesmas crianças, 10% delas afirmam ter acessado a internet pela primeira vez com 6 anos de idade ou menos anos.

Segundo Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET no Brasil e especialista em segurança cibernética, a proteção das crianças é uma tarefa desafiadora quando se pensa nos riscos associados ao uso imprudente das tecnologias. “Embora qualquer usuário, independentemente da idade, possa ser vítima de uma ameaça na rede, os mais novos são especialmente suscetíveis a riscos que buscam tirar proveito de sua inocência”, diz o especialista.

Um relatório da ESET revela que 88% dos pais estão preocupados com o que seus filhos acessam no ambiente online. No entanto, apenas 34% deles adotam quaisquer medidas de proteção, como a instalação de uma solução de segurança ou aplicações de controle parental nos dispositivos.

Embora não haja uma resposta conclusiva sobre qual idade começar a utilizar a internet, uma realidade é que as crianças não podem ser isoladas das tecnologias. Uma solução é autorizar os pequenos a usar os serviços sob a supervisão adequada dos pais e professores e instalar uma boa solução de controle parental nos dispositivos aos quais o filho tem acesso.

A ESET dá alguns conselhos de como orientar as crianças de acordo com as respectivas faixas etárias.

Idade: menores de 5 anos

O que acontece durante essa fase pode ter um enorme impacto sobre eles para o resto de suas vidas. Além disso, com a incorporação de tecnologia em uma idade até três anos, é essencial que você esteja um passo à frente para manter seus filhos seguros.

· Tenha certeza de que seus dispositivos estão protegidos com uma senha, assim, eles não podem se conectar acidentalmente quando você não está por perto.

· Invista em um software de controle parental, uma tecnologia poderosa que se torna um ótimo aliado na gestão de segurança.

· Comece a falar sobre segurança online e estabeleça limites. Por exemplo, ressalte a importância de não falar com estranhos online e limite o uso de dispositivos.

Idade: de 5 a 9 anos

Entre os cinco e os nove anos, há uma mudança na maneira como os pais e as crianças interagem com a tecnologia. Segundo um estudo da ESET, com a idade já mais avançada e uma maior percepção do ambiente, alguns pais tendem a apresentar mais de perto a tecnologia aos filhos deixando-os mais à vontade para navegar.

· Certifique-se de que seus filhos acessem conteúdo apropriado para sua idade (filmes, jogos e até mesmo aplicativos). Para isso, geralmente há versões para crianças de alguns serviços populares, como o YouTube Kids ou o motor de busca Bunis, alternativa ao Google.

· Se eles tiverem seu próprio dispositivo, verifique se há limites para o que eles podem fazer com ele ou com os sites aos quais eles podem acessar. Novamente, uma ferramenta de controle parental pode auxiliar nesse momento.

Idade: acima dos 10 anos

A TIC Kids Online Brasil estima que 86% das crianças e adolescentes possuem perfil em alguma rede social.

Embora muitos dos sites de interação social possuam limite de idade mínimo de 13 anos para utilização do serviço, na maioria deles, caso a criança afirme no cadastro ter uma idade maior, não é possível contestar a veracidade da informação. Por isso:

· Converse com seus filhos sobre exposição de informações e os riscos das interações em redes sociais com estranhos.

· Explique os perigos de compartilhar publicamente locais, fotos pessoais e informações familiares ou colegas de escola.

No geral, Di Jorge afirma que a tarefa dos pais é orientar as crianças para que elas desfrutem da tecnologia de maneira responsável e segura e entendam os riscos de navegar na internet. “Outra maneira de conversar, é transmitir a ideia de que existem pessoas mal-intencionadas no mundo digital, mas sem que haja uma proibição do uso das ferramentas digitais”, conclui o especialista.

Para saber mais sobre o tema, a ESET tem um Guia e um site totalmente voltado aos que querem se aprofundar em relação aos riscos na internet, o Digipais.

Para outras informações, acesse o WeLiveSecurity, portal de notícias de segurança informática da ESET: https://www.welivesecurity.com/br/

Sobre a ESET

Desde 1987, a ESET® desenvolve soluções de segurança que ajudam mais de 100 milhões de usuários a usar tecnologia com segurança. Seu portfólio de soluções oferece às empresas e aos consumidores em todo o mundo um equilíbrio perfeito de desempenho e proteção proativa. A empresa possui uma rede global de vendas que abrange 180 países e tem escritórios em Bratislava, São Diego, Cingapura, Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo. Para mais informações, visite http://www.eset.com.br/ ou nos siga no LinkedIn, Facebook e Twitter.

Desde 2004, a ESET opera na América Latina, onde conta com uma equipe de profissionais capacitados a responder às demandas do mercado local de forma rápida e eficiente, a partir de um Laboratório de Pesquisa focado na investigação e descoberta proativa de várias ameaças virtuais.

Copyright © 1992–2017 ESET. Todos os direitos reservados. ESET e NOD32 são marcas registradas da ESET. Outros nomes são marca registrada de suas respectivas empresas.

Fonte/Foto-reprodução/divulgação: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário