terça-feira, 21 de maio de 2019

BRANCOALA É O PRIMEIRO YOUTUBER BRASILEIRO A SE QUALIFICAR PARA VISTO QUE PERMITE MORAR E EMPREENDER LEGALMENTE NOS ESTADOS UNIDOS


Branco, ou "Brancoala" é cantor, produtor musical e designer gráfico formado pela Escuela de Arte de Granada, na Espanha. Em relação a vida profissional, se consolidou como youtuber com mais de 5 milhões de seguidores. Diariamente, lança em suas redes vídeos que cativam milhões de adultos e crianças, repleto de dicas sobre o dia a dia em família e brincadeiras com os filhos.

Hoje, ele conseguiu realizar um sonho de muitos. Tem uma carreira de sucesso e consegue aliar o trabalho com a tarefa de pai e marido, proporcionando a todos que ama uma ótima qualidade de vida. Mas nem sempre foi assim. A história do casal começou há alguns anos, na cidade de Praia Grande. Eles trabalhavam com banho e tosa de pets, não tinham veículo próprio, pagavam um aluguel de R$ 350,00 sendo que cada um ganhava aproximadamente dois salários mínimos, até o dia que não conseguiram mais viver daquela forma. "Recebi uma proposta para trabalhar como garçom na Espanha. Não pensei duas vezes, vendemos o pouco que tínhamos no Brasil e partimos", recorda Branco.

Na Espanha desde 2006, o brasileiro conseguiu um emprego melhor e, como consequência, passou a morar em uma casa maior e mais confortável. Estudou e conquistou um diploma. "Viver todos esses anos na Europa foi maravilhoso, e somos muito gratos, mas quero novos desafios e estou pronto para isso", destaca o youtuber.

Em breve, a família de Brancoala mais uma vez vai arrumar as malas para explorar um segundo país, os Estados Unidos. "Quero aprimorar o inglês e aproveitar este cenário promissor que os Estados Unidos oferecem, principalmente na minha área. Orlando será uma ótima cidade para que os meus filhos, que têm dois e cinco anos, possam crescer e estudar", ressalta.

Para morar e empreender nos Estados Unidos, atendendo a todas exigências da lei americana, Branco solicitou o visto E2, porque possui a cidadania espanhola e tem capacidade para realizar investimentos. Ele trabalhou durante quatro anos em uma agência de publicidade e, por isso, possui experiência suficiente para abrir uma empresa voltada a área de marketing. Outro ponto importante foi o fato de ser youtuber. A atividade é algo relativamente nova e caracteriza um investimento de risco, uma outra opção também válida dentro dos critérios exigidos.

Branco contou com a ajuda de profissionais especializados, que estão habilitados para prestar todo o suporte em mais este momento tão especial da família. "Contamos com uma ajuda tanto na separação da documentação, montagem do processo e até questões práticas como o preparo para a entrevista no consulado e sempre há alguém disponível para responder as dúvidas, o que foi fundamental", conclui.

O advogado e especialista em direito de imigração e consultor de negócios da Loyalty Miami, Daniel Toledo, explica que o visto E2 foi criado para que cidadãos de países que têm tratado de navegação e comércio com os Estados Unidos possam trabalhar e viver no país com suas famílias. "E temporário e concedido, via de regra, de dois anos ou até cinco anos, dependendo da análise da imigração. Boa parte dos países da Europa fazem parte deste tratado, com exceção de Portugal" destaca.

Além da dupla cidadania, o solicitante precisa dispor de um montante, além do capital de giro e disposição para empreender e investir. Franquias já estruturadas e conhecidas que estejam consolidadas não podem fazer parte desta proposta, somente as que estão iniciando suas atividades. "A complexidade deste visto está presente na análise de risco e implantação de negócio, que é algo totalmente subjetivo, porque Diferente do L1 ou EB, em que a apuração é feita baseada em documentos, a conclusão do E2 envolve interpretação, muitas vezes repletas de critérios", avalia Daniel.

O sucesso vai depender também do profissional que fará a assessoria para o investidor. Senão ficar claramente caraterizado o risco, a solicitação será negada. No ano de 2017, o advogado atendeu 70 processos de E2 e em 2018, esse número pulou para 146.

O profissional que vai apresentar o processo deve deixar claro que já foram contratados colaboradores, adquiridos equipamentos e estoque, contrato de aluguel assinado e que o planejamento proposto está sendo cumprido. "Não basta apresentar para a imigração o extrato bancário com o valor necessário. É preciso ter uma loja, empresa ou ponto comercial e demonstrar capacidade de gestão", conclui o advogado.

*Daniel Toledo é Advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios, sócio fundador da Loyalty Miami e da Toledo e Advogados Associados. Para mais informações, acesse: www.toledoeassociados.com.br ou entre em contato por e-mail daniel@toledoeassociados.com.br . Toledo também possui um canal no YouTube com mais de 62 mil seguidores www.youtube.com/loyaltymiami com dicas para quem deseja morar, trabalhar ou empreender nos Estados Unidos. A empresa também possui sede em Portugal, Espanha, Londres e, em breve, em São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário