terça-feira, 25 de junho de 2019

ATOR LUSCA GONÇALVES TENTA VIABILIZAR IDA AO CONSTELLATIONS SUMMER CAMP


O artista belo-horizontino Luscas Gonçalves está de malas prontas para participar de um programa intensivo na Turquia. Mas para isso ele precisa da contribuição de todos e está com uma campanha de financiamento coletivon a Evoé:https://evoe.cc/de-role-com-The-Open-Program-of-the-workcenter-of-j-grotowski-and-t-richards-1
Constellations Summer Campfaz parte do Open Programiniciativa de Mário Biagini que é composta por 11 atores provenientes de diferentes continentes, que desenvolvem sua prática artística no campo do teatro, mantendo uma porta aberta para a comunidade e para os indivíduos, que não necessariamente pertencem ao mundo do teatro. A prática do grupo no campo das artes performáticas promove uma espécie de circulação orgânica entre a pesquisa interna e um contexto social mais amplo, muitas vezes no cruzamento de barreiras sociais, políticas e culturais. O Programa Aberto trabalha sobre este aspecto da interação teatral em que o contato entre os seres humanos evolui em torno de uma busca de uma qualidade diferente e especial, de um tipo diferente de atenção. Um dos elementos fundamentais do trabalho do grupo é uma pesquisa sobre as canções afro-americanas e afro-hispânicas.
Em 2018, Luscas esteve no Summer Intensive Program, liderado pelo Open Program. Nessa oportunidade, obteve um desenvolvimento notável, mostrando possuir um grande talento para atuação e uma inteligência muito aguçada. Por isso, o ator foi novamente convidado para continuar a sua investigação teatral.
Quem é Luscas Gonçalves:
Artista e estudante de Letras, ele é o décimo filho, nascido em 1996, na Vila Estrela - Morro do Papagaio. É formado no Curso Livre de Teatro do Centro Cultural e E. Betânia, no Valores de Minas, entre outros. Técnico em Gestão de Negócios pela Escola de Formação Gerencial/NEJ e em Produção de Projetos pela Embaixada Cultural.
Já trabalhou em diversos espetáculos cênicos, tais como: "Zanzar" do Valores de Minas, "Ele não vem pro parabéns" da Cia Amperes, "Campo Santo" do Grupo Confesso, "Escombros da Babilônia" e "A Coisa" com o Núcleo de Teatro do Espaço Comum Luiz Estrela, "Das Frestas do Telhado" com Nil Cesar, "Uma história de fé" como preparador de elenco e assistente de direção, com Viviane Rodrigues, entre outros. Foi gestor, produtor cultural e diretor artístico do "ColetivAção", durante dois anos na comunidade do Vista Alegre. Atualmente está em cena nos espetáculos "Assembleia Comum", que passou pelo FIT 2018, e "Babylon Cabaret", ambos da Trupe Estrela, e no "O Morro do Pássaro Falante" como ator convidado do Grupo do Beco.
Sobre a Evoé
Evoé é uma plataforma de crowdfunding/financiamento coletivo que mescla apoio via imposto de renda com apoio direto. Pouca gente sabe, mas apenas ¼ dos projetos aprovados em Leis de Incentivo conseguem financiamento. 
A falta de recursos é uma das maiores dificuldades do empreendedor criativo. Em paralelo, 84% dos brasileiros não sabem que podem destinar parte do Imposto de Renda para doação.
“Sentimos que fazemos acontecer, permitindo que projetos se tornem realidade, como o Lá da Favelinha, que impacta vários jovens da periferia de BH, gerando oportunidade para eles” conta Bruna Kassab, fundadora da Evoé. “Acreditamos no impacto coletivo para o desenvolvimento do país. Nós nos sentimos realizados quando vemos as ideias saírem do papel, é um grande orgulho ver um projeto que auxiliamos ganhar vida, sentimos parte dele”, completa.
Em uma pesquisa realizada pela Evoé, a falta de recursos e inexperiência são dificuldades recorrentes em projetos culturais. É difícil um projeto sem experiência e visibilidade ser financiado no modelo tradicional, ao mesmo tempo que sem recursos o produtor também não consegue se desenvolver.
Os próprios produtores experientes também vem enfrentando dificuldades de se manter em um contexto de incertezas econômicas nacionais e internacionais. “É problemático que eles dependam somente do patrocínio de empresas, pois a falta dele inviabiliza o projeto, além de faltar a conexão com o public”, explica Bruna.
Para conhecer um pouco mais da Evoé, colaborar com um projeto ou apresentar uma ideia, acesse https://evoe.cc
Foto/crédito: Flavio Charchar
Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário