terça-feira, 10 de setembro de 2019

EDUCAÇÃO MAKER INCENTIVA PROTAGONISMO DOS ALUNOS COM INTUITO DE PREPARÁ-LOS PARA O SÉCULO XXI


Em um mundo em constante transformação, 65% das crianças que estão entrando na escola atualmente vão trabalhar em um emprego que ainda não existe, de acordo com o relatório “Futuro do Trabalho”, apresentado no Fórum Econômico Mundial. Ao mesmo tempo, pesquisadores apontam que cerca de 50% dos postos de trabalho vão desaparecer nos próximos anos nos países em desenvolvimento. Diante desse cenário, surge o questionamento de como preparar os jovens para esse futuro? É dessa inquietação que cresce o conceito de Educação Maker, modelo que propõe um novo olhar para as metodologias de ensino já vigentes, mas com um vínculo com o Movimento Maker, extensão da cultura Faça-Você-Mesmo ou, em inglês, Do-It-Yourself (DIY), com ênfase em tecnologia, engenharia e fabricação.

Ao estimular que o aluno coloque a mão na massa, a Educação Maker pretende desenvolver nele a capacidade de identificar problemas, estudar suas nuances, propor soluções, que serão testadas e validadas por eles mesmos. Nesse contexto, os estudantes deixam de ter um papel de coadjuvante e passam a protagonizar seu processo de aprendizado com a importante condução dos professores como articuladores do conteúdo. Com isso, a Educação Maker pretende desenvolver as competências que serão exigidas no século XXI, como pensamento crítico, criatividade, colaboração, argumentação, empatia, senso de comunidade e inteligência emocional.

Consciente da necessidade de oferecer novas ferramentas para desenvolver protagonistas para o mundo, e em total sintonia com suas crenças sobre educação, o Grupo ACBEU abraçou de imediato a Educação Maker, ampliando sua oferta de serviços. Além de capacitar seus docentes, a ACBEU dissemina este novo conceito Maker, por meio de parcerias com outras escolas e também para o público em geral através de oficinas, seminários, cursos e capacitações para docentes e grupos de alunos de colégios públicos e privados.

"A Educação Maker preconiza a colaboração e troca de conhecimento, com base na visão de que o compartilhamento leva ao aperfeiçoamento dessas ideias. Este pensamento está em consonância com a missão do Grupo ACBEU de promover experiências educacionais transformadoras, conectando pessoas e culturas. Por isso, acreditamos que disseminar o Movimento Maker para o público em geral, principalmente professores, contribui com o avanço rumo à educação do Século XXI que é inclusiva, colaborativa, desenvolve o pensamento crítico com foco na boa comunicação e na empatia", pondera Athiná Leite, superintendente do Grupo ACBEU.

Com o intuito de fomentar esse modelo de ensino, foi criado o Makerspace ACBEU Bahia, equipamento montado na unidade ACBEU no Shopping Barra, onde são criadas narrativas para inserir as premissas da Educação Maker na sala de aula. Os projetos envolvem as áreas de conhecimento STEAM (Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) por meio de variados projetos, que propõem atividades como a montagem de um castelo com caixa de papelão, geometria em 2D e 3D, culinária ou programação com conceitos do Scratch, entre outros. Em comum, essas ações permitem que o aluno aprenda fazendo, como um jovem cientista.

"Estimulamos nos alunos a busca por soluções criativas para suprir suas necessidades. Eles devem pensar como cientistas, identificando o problema e propondo soluções. O foco não é o resultado, mas o processo, porque esse é o momento de aprendizagem, quando o estudante consegue ter um olhar crítico sobre uma situação, propor ideias, testá-las e aprimorá-las. Esse caminhar desperta neles habilidades que serão essenciais no futuro", explica Paula Cavalcanti, gestora da Educação Maker do Grupo ACBEU.

A Educação Maker tem forte ligação com a tecnologia, por isso o Makerspace ACBEU Bahia dispõe de recursos facilitadores do aprendizado, como impressora 3D, máquinas de costura, máquina de corte com scanner integrado, ferramentas, forno, cooktop, forno microondas, kits de robótica, neuromaker, snapcircuits, makey makeys, google cardboards, e outros itens que possibilitam a experimentação. Contudo, a tecnologia, assim como o inglês, são apenas ferramentas que contribuem na aplicação deste modelo de ensino focado no desenvolvimento das competências para o século XXI.

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa - Legenda: De acordo com a Educação Maker, atividades lúdicas e mão na massa, como oficinas de culinária, proporcionam uma aprendizagem mais efetiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário