terça-feira, 12 de novembro de 2019

DMX - DIGITAL MUSIC EXPERIENCE 2019 ACONTECE DE 12 A 14 DE NOVEMBRO NO MUSEU DE ARTE DO RIO - MAR


Entre 12 e 14 de novembro, acontece a DMX -- Digital Music Experience 2019, no Museu de Arte do Rio -- MAR, no Rio de Janeiro. Durante três dias, 11 talkshows inéditos reunirão grandes nomes de diferentes segmentos da música para falar e vivenciar temas diversos. Os painéis de hoje terão Amaro de Freitas, Davi Moraes, Pedro Baby, Papatinho e Dudu Marote. No palco da DMX Urbana, os shows começam a partir das 12h30 com o duo Jazz Sweet Jazz.

No 5º andar, ao lado do auditório, acontecerá a DMX Experience uma área de ativações e experiências tecnológicas ligadas a música, onde o público poderá conhecer e experimentar algumas tendências e brincar em espaços de interatividade. Dentre as atividades que mais chamarão atenção está a Aerodrums, uma bateria em realidade virtual que estará disponível para o público tocar e fazer jam sessions com outros músicos presentes, além da atração “Chama o Bloco” em realidade virtual. De acordo com Francisco Almendra, diretor do Studio KwO XR, a experiência de vídeo-arte interativa em 360° 3D permite ao usuário uma imersão em um bloco de Carnaval na Ilha de Paquetá. É necessário que a pessoa dance e interaja com o ambiente para que o bloco chegue até ela e seja possível viver a experiência com os foliões virtuais 

“A DMX é um espaço amplo, aberto e democrático para reunir as grandes personalidades contando suas histórias na música popular brasileira para uma plateia de jovens, estudantes e profissionais do segmento artístico. É um momento de troca de conhecimento, incluindo novas descobertas e como a música tem o poder de influenciar toda a sociedade e causar forte impacto cultural e social” indica Marco Mazzola, produtor musical e idealizador da DMX.

Realizado pela primeira vez no MAR, a DMX vai ter um espaço dedicado aos novos talentos da música instrumental, a DMX Urbana, dando visibilidade a músicos urbanos que hoje se apresentam em diferentes pontos da cidade. Uma tenda será montada no térreo do Museu, e serão realizados diversos shows ao longo de 3 dias, entre 12:30 até as 20:00

DMX 2019 conta com a realização do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial de Cultura e MZA Music e patrocínio da Estácio.

Todas as áreas do evento têm entrada gratuita. As inscrições para assistir aos talkshows são limitadas e podem ser feitas no link www.dmx.art.br

PROGRAMAÇÃO TALK SHOWS

12 de novembro -- terça-feira


14h - Amaro Freitas: a revolução do piano brasileiro
Pianista considerado como uma das maiores revelações da música instrumental, cada vez mais reverenciado no Brasil e no mundo. Milton Nascimento, Chick Corea e Christian Scott são alguns dos nomes que já se declararam fã do pernambucano, que já tocou em alguns dos melhores clubes de jazz do mundo, como Ronnie Scott’s (Londres), Unterfahrt (Alemanha), e Dizzy’s, do Lincoln Center (Nova York). Em seus trabalhos, estão presentes a música clássica e o jazz, mas não deixando de representar sua origem com o maracatu e o frevo, por exemplo.

Participante: Amaro Freitas, músico
Mediador: João Marcos Coelho - Jornalista de “O Estado de S. Paulo” e pesquisador

17h - A nova geração da guitarra elétrica: Davi Moraes e Pedro Baby
Davi Moraes e Pedro Baby encabeçam um time de novos guitarristas que vem reinventando a sonoridade da guitarra brasileira. Ambos vindos de tradicionais famílias de músicos, reconhecidos como expoentes da guitarra no país, falam sobre a nova geração da guitarra elétrica em uma entrevista de guitarrista para guitarrista.

Participantes: Davi Moraes · Pedro Baby
Mediador: Bernardo Araujo -- jornalista de O Globo

18h30 - Beatmakers- as mentes por trás dos hits do momento

Seja no Brasil e no mundo, a produção de música eletrônica tem se tornado uma das maiores fontes de sucessos no showbusiness. Com um computador, controladores, teclados e mais alguns equipamentos, DJs se tornam produtores, hoje conhecidos como beatmakers, e se unem a MCs e cantores para fabricarem os sucessos das paradas. Para falar sobre o dia a dia da produção de hits, traremos dois requisitados produtores do momento. Papatinho é responsável por sucessos nas vozes de artistas como Anitta, Marcelo D2, Gabriel o Pensador e MC Guimê, além de Dudu Marote, que já produziu sucessos de Skank, Iza, BaianaSystem entre outros.

Participantes: Papatinho · Dudu Marote
Mediador: Tony Aiex -- Editor-chefe do Tenho mais Discos que amigos!

13 de novembro -- quarta-feira

14h -- Arranjador: o mago por trás das canções brasileiras
Ao longo da trajetória da música popular brasileira, os arranjadores realizaram fusões importantes nas composições que marcaram essa história. Neste painel, será discutida a importância do trabalho do arranjador tendo como referência Eduardo Souto Neto, a mente por trás dos dois jingles mais famosos do Brasil: o “Tema da Vitória”, popularmente conhecido como a “Música do Senna”, além da música tema do Rock in Rio. Nessa conversa, mergulharemos nos bastidores dessas e de outras famosas criações desse arranjador que é um dos mais requisitados no país. O bate-papo conta também com a presença de Chico César, reconhecido como um dos compositores mais originais da MPB. A mediação desse encontro será feita por Marco Mazzola, produtor musical responsável por álbuns clássicos de Ivete Sangalo, Zeca Baleiro, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Simone, Paul Simon entre outros.

Participantes: Eduardo Souto Neto e Chico César
Mediador: Marco Mazzola -- Produtor Musical, Diretor Geral do Rio Montreux Jazz Festival e idealizador da DMX.

15h30 - Hamilton de Holanda e seus desafios pelo mundo
Considerado um dos maiores bandolinistas do mundo, Hamilton de Holanda ficou conhecido nos Estados Unidos como “Jimi Hendrix do Bandolim”, tamanha sua habilidade com o instrumento, e na França como “Príncipe do Bandolim”. Hamilton de Holanda contará a história do bandolim, falará sobre técnicas do instrumento e fará um showcase especial.

Participantes: Hamilton de Holanda e Marcos Portinari (empresário)
Mediador: Sergio Luz - jornalista de O Globo

17h -- Clube da Esquina: Os Sonhos Não Envelhecem
O Clube da Esquina foi mais que um grupo, foi um movimento musical da década de 1960, de onde surgiram artistas, compositores e letristas como Milton Nascimento, Fernando Brant, Ronaldo Bastos, Lô Borges, Flávio Venturini, Beto Guedes entre outros. O responsável pelos arranjos dos maiores sucessos do grupo e depois dos projetos solo de seus integrantes tem nome: Wagner Tiso. Wagner Tiso, Marcio Borges e Lô Borges falam sobre o início do grupo, curiosidades e fatos até hoje desconhecidos sobre a produção de seus álbuns.

Participantes: Wagner Tiso, Marcio Borges e Lô Borges
Mediador: Chico Pinheiro - jornalista e âncora da TV Globo

18H30 - Lugar de mulher é na música: A força feminina na música instrumental
Ainda hoje, são poucas as mulheres instrumentistas que entram em evidência. A primeira a quebrar esta barreira, num segmento antes exclusivo de homens, foi Chiquinha Gonzaga, que com talento e coragem, se tornou a primeira maestrina brasileira. Desde então, tem crescido o número de profissionais brasileiras com carreiras fortalecidas, principalmente no exterior, mas que ainda passam por enfretamentos para serem reconhecidas no país.

Participantes:

· Bianca Gismonti - Pianista, compositora e cantora, herdou a musicalidade do pai -- o pianista, violonista e compositor Egberto Gismonti -- e a teatralidade da mãe, a atriz Rejane Medeiros. Em turnê nacional e internacional, a artista se prepara para lançar seu quarto álbum em 2020. Com o nome “Gismonti 70”, o disco é uma homenagem aos 70 anos de seu pai.

· Dani Spielmann - Compositora, saxofonista e arranjadora, já lançou doze álbuns e recebeu uma indicação ao Grammy Latino em 2002. Com passagem pelo palco de diversos artistas nacionais e internacionais, integra o coletivo "Choro na Rua" e também é líder da Orquestra Gafieirando. Para 2020, prepara o lançamento do seu novo álbum “Entre mil, Você! Um tributo a Jacob do Bandolim”, em duo com a pianista Sheila Zagury.

· Lan Lanh - Começou sua carreira da década de 80 e mergulhou fundo nos batuques, transformando-se em uma das mais renomadas percussionistas do Brasil. Com 30 anos de carreira, a artista vem desbravando todos os tipos de sons e dividindo seu talento com nomes consagrados da música nacional e internacional.

Mediadora: Marina Araujo - Jornalista da TV Globo

14 de novembro -- quinta-feira

14h -- O universo da música gospel
Um dos segmentos que mais cresce no país, de forma estruturada e profissional, o Gospel leva multidões para festivais, tem uma grande estrutura de merchandising que gera milhares de empregos e seus louvores geram milhões em receita. Nesse painel, o evento traz Gabriela Gomes, uma das artistas que mais cresce na atualidade, com Bruna Karla, que além de uma sólida e consagrada carreira tem mais de 3 milhões de seguidores no Instagram. Nesse encontro de gerações, o público poderá ver uma análise sobre passado, presente e futuro do segmento.

Participantes: Gabriela Gomes e Bruna Karla
Mediador: Eliel do Carmo -- Locutor e debatedor da Melodia 97,5

15h30 - Ed Motta e o manifesto do Jazz pelo mundo
Nascido em Nova Orleans, o jazz iniciou como um movimento das comunidades negras, tendo o improviso como sua marca essencial. No Brasil entrou na cultura nacional principalmente por ser uma das influências da Bossa Nova. O gênero revelou grandes gênios musicais como John Coltrane, Miles Davis, Aretha Franklin, Chet Baker, Stan Getz entre outros. Umas das referências do estilo musical no Brasil, Ed Motta abordará a história do Jazz falando sobre a sua importância histórica no âmbito social, seu conceito artístico e suas curiosidades.

Participante: Ed Motta
Mediador: Julio Maria -- Jornalista de O Estado de S. Paulo

17h - Jackson do Pandeiro: 100 anos do gênio do ritmo
No último dia 31 de agosto foi comemorado os 100 anos de nascimento de José Gomes Filho, mais conhecido como Jackson do Pandeiro. Referência no samba e forró, foi cantor e compositor não só desses estilos, assim como do baião, xote, xaxado, coco, arrasta-pé, quadrilha, marcha, dentre outros. Em homenagem a seu centenário, artistas falam um pouco de sua história e sobre os ritmos nordestinos que chegaram ao alcance nacional através de Jackson do Pandeiro ao lado de Luiz Gonzaga.

Participantes: Elba Ramalho e Casuarina
Mediador: Leonardo Lichote -- Jornalista especializado em Música

18h30 - Os desafios sociais de uma das maiores orquestras brasileiras: Camerata Jovem do RJ
Projetos sociais de música tem cada vez mais obtido sucesso no papel de agente de transformação social ao ser a porta de entrada de jovens de comunidades carentes na profissionalização musical. Empresas privadas, opinião pública e imprensa têm dado cada vez mais espaço e atenção a esses projetos. A Camerata Jovem do Rio de Janeiro, que tem na direção Fiorella Soares, já tocou em grandes eventos no país, como o Rio Montreux Jazz Festival, fez turnê pela Europa e se apresentou na sede da ONU, em Nova York. Em 2019, a Camerata recebeu o Prêmio Suíço de Caridade, concorrendo com jovens orquestras do mundo todo. Para receber a premiação, se apresentaram na Noite de Gala de Caridade Suíça, em Zurique, para uma plateia de 400 convidados. Fiorella Soares e jovens músicos do projeto falam como é o dia a dia da orquestra, histórias de superação para seguir a carreira musical, e apresentam um panorama do momento atual da música. Para mediar, estará presente Cláudia Romano, VP de Relações Institucionais e Sustentabilidade e Vice-Reitora de Cultura da Estácio, responsável pela criação do programa “Educar para Transformar”, que atua no esporte, cultura, cidadania, escola, inovação e empreendedorismo.

Participante: Fiorella Soares - diretora da Camerata Jovem do Rio de Janeiro
Mediador: Cláudia Romano - VP de Relações Institucionais e Sustentabilidade, e Vice-reitora de Cultura da Estácio

PROGRAMAÇÃO DMX URBANA

12 de novembro -- terça-feira

12h30 às 14h - Jazz Sweet Jazz
O duo é formado pelo clarinetista João Emanuel e pelo contrabaixista Ighor Albuquerque. Ambos são formados pela escola de música Villa Lobos e são integrantes da Academia Juvenil da Petrobras Sinfônica. O duo vem se apresentando pelos metrôs do Rio de Janeiro. De uma forma bem autêntica, realizam suas performances com uma pegada de jazz bem raiz, - ao estilo gringo - mas sem deixar de lado as referências nacionais do Samba e do Funk.

14h30 às 16h - Trivia Jazz
Projeto de música instrumental criado pelos artistas Gustavo Moraes, Samuel Telles e Hugo Socha, nasceu no início de 2019. Formado por músicos com mais de 15 anos de carreira na cena carioca e de outras cidades do Brasil, o trio apresenta um show com releituras e versões bem interessantes e inusitadas. O repertório inclui Jazz, Bossa Nova, Fusion, Blues e Samba.

16h30 às 18h - Debora Levy e Mila Schiavo
A pianista e compositora, Deborah Levy vai apresentar uma releitura das bossas e sambas dos principais compositores nacionais como Noel Rosa, Tom Jobim, João Donato, Doryval Caymmi entre outros. O show terá ainda algumas faixas do álbum "Apimentada". Deborah vai dividir o palco com a pianista e percussionista Mila Schiavo.

13 de novembro -- quarta-feira

12h30 às 14h - Fernando Vidal Trio
Guitarrista compositor e produtor musical, Fernando Vidal já gravou com diversos artistas e participou de turnês nacionais e internacionais com nomes como Ed Motta, Fernanda Abreu, Marina Lima entre outros. Atualmente integra a banda do Seu Jorge em shows pelo Brasil e pelo mundo. Também divide os palcos com Fernanda Abreu e integra o Fernando Vidal Trio.

14h30 às 16h00 - Daniela Spielmann e Sheila Zagury
Daniela Spielmann (saxofone e flauta) e Sheila Zagury (piano) construíram uma parceria que já soma mais de vinte anos. A dupla participa de festivais, shows, pocket-shows, eventos e não perdem a oportunidade de estarem juntas buscando o prazer estético que a música oferece.

16h30 às 18h00 - Mind The Gap
Duo carioca de música instrumental formado pelo saxofonista Marcelo Cucco e pelo violonista Alexandre Seabra. O duo surgiu no cenário musical metroviário apresentando releituras da música popular brasileira na leva rítmica empolgante do Jazz Cigano, com muitas improvisações características dos concertos jazzísticos.

14 de novembro -- quinta-feira

12h30 às 14h -- Jazzophilia
Philia, palavra de origem grega, significa amor, o que une esses quatro músicos que compõem o grupo Jazzophilia: Sidney Herszage (Sax e Flauta), Pablo Barroso (Guitarra), Magno Souza (Contrabaixo) e Tomás Rosati (Bateria). Para além do Jazz, a banda explora o gênero enquanto conceito e sinônimo de música instrumental improvisada. Seu repertório vai além dos velhos standards do cancioneiro americano, mas transcende, agregando outras influências, umas mais brasileiras, outras no meio do caminho.

14h30 às 16h -- Astro Venga
Precursor da música de rua no Rio de Janeiro contemporâneo, a Astro Venga agora mostra a intensidade criativa e sonora em “Transeunte”, primeiro álbum de estúdio. Com nove músicas instrumentais, o trabalho sintetiza o caldeirão musical -- sempre em efervescência -- deste power trio.

16h30 às 18h -- Dembaia
Movimento de mulheres que expressam sonoridades ancestrais, tendo a África como epicentro e os tambores a principal linguagem. Agregando e se comunicando com outros sons e instrumentos musicais, possui a polirritmia melódica como morada. Dembaia em susu, língua da etnia susu da Guiné, significa família.

18h30 às 20h - Choro Quarteto
Chora Quarteto é um regional de música instrumental brasileira que tem o choro como gênero principal. O grupo, integrado pelas instrumentistas Karina Neves (flauta), Geiza Carvalho (percussão), Laila Aurore (cavaquinho) e Manoela Marinho (violão), surgiu no segundo semestre de 2018 a partir do desejo de contribuir para maior representatividade feminina nas tradicionais rodas de choro do Rio de Janeiro.

Serviço

DMX 2019 -- Digital Music Experience

Data: de 12 a 14 de novembro

Horário: Talk shows a partir das 14h

Apresentações da DMX Urbana a partir de 12h

Local: Museu de Arte do Rio -- MAR -- Praça Mauá 5, Centro

Entrada gratuita


Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário