sábado, 16 de novembro de 2019

PIEDADE, DE CLAUDIO ASSIS, ESTÁ NA COMPETIÇÃO DO 52º FESTIVAL DE BRASIÍLIA


PIEDADE, o mais novo longa do diretor Claudio Assis, faz sua estreia no dia 23 de novembrosábado, no 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Além do diretor, estarão presentes na sessão os atores Cauã Reymond, Francisco de Assis Moraes, Irandhir Santos, Mariana Ruggiero e Matheus Nachtergaele. Marcello Ludwig Maia, produtor e distribuidor, Julia Moraes, assistente de direção, e Karen Harley, montadora, também prestigiarão a exibição do longa no evento.
Filmado em Pernambuco, precisamente no Porto Suape e Reserva do Paiva, PIEDADE é um drama familiar roteirizado por Hilton Lacerda, Anna Francisco e Dillner Gomes.
No longa, Fernanda Montenegro é Dona Carminha, a matriarca que está à frente do Bar Paraíso, estabelecimento praiano construído por seu falecido marido, Humberto Bezerra, na Praia Saudade, em Piedade. Moram com ela seu filho Omar (Irandhir Santos) e seu neto Ramsés (Francisco Assis), filho da caçula Fátima (Mariana Ruggiero), que trabalha e reside do outro lado da cidade. A chegada de Aurélio (Mateus Nachtergaele), executivo de uma empresa petrolífera, afeta a harmonia da família e traz revelações que a relacionam a Sandro (Cauã Reymond) e seu filho Marlon (Gabriel Leone).
PIEDADE
Brasil, 2019, 85 min
Diretor: Claudio Assis
Roteiro: Hilton Lacerda, Anna Francisco e Dillner Gomes
Produtora: República Pureza Filmes e Perdidas Ilusões
Produção: Marcello Ludwig Maia
Coprodução: Caio Gullane e Fabiano Gullane
Produção executiva: Camila Valença e Marcos Mendonça
Direção de Produção: Renato Rondon
Diretor de fotografia: Marcelo Durst, ABC
Direção de arte: Carla Sarmento
Trilha Sonora: Jorge Du Peixe
Montagem: Karen Harley, Edt
Operação de som: Valéria Ferro
Elenco: Fernanda Montenegro, Irandhir Santos, Matheus Nachtergaele, Cauã Reymond, Mariana Ruggiero, Gabriel Leone e Francisco de Assis Moraes
Sinopse: Praia da Saudade, Piedade. Lá encontra-se o bar Paraíso do Mar, conhecido por sua deliciosa moqueca de cação e cerveja sempre gelada. Construído por Humberto Bezerra há mais de trinta anos, o lugar é gerido por sua viúva Dona Carminha e seu filho mais velho, Omar, e funciona como um dos focos da resistência local contra o avanço predatório da corporação petroleira Petrogreen. Quando o executivo paulista Aurélio chega, representando os interesses da Petrogreen, o cotidiano da família é abalado, trazendo à tona segredos há muito tempo escondidos e uma inusitada conexão com Sandro, dono de um cinema pornô do outro lado da cidade.
Distribuição: Arthouse
SOBRE O DIRETOR | CLAUDIO ASSIS
Nascido em Caruaru, PE, Claudio Assis começou sua militância cultural como ator e cineclubista em Caruaru, Pernambuco.
Em 1993 fundou a Parabólica Brasil, onde produziu e dirigiu curtas-metragens, entre os quais Texas Hotel (1999), Viva o Cinema (1996) e Soneto do Desmantelo Blue (1993), apresentados em festivais brasileiros e internacionais. É produtor de Baile Perfumado, primeiro longa-metragem realizado após hiato de 20 anos em Pernambuco.
Seus filmes são resultado de profunda reflexão sobre a linguagem cinematográfica e seus meios de produção. O diretor possui um discurso cinematográfico próprio, focado no comportamento humano. Entre seus trabalhos de direção destacam- se os documentários Chico Science - Retratos Brasileiros (2008) e Vou de Volta (2007), além da trilogia de ficção iniciada com Amarelo Manga (2002), premiado nos Festivais de Brasília e Toulouse, seguido de Baixio das Bestas (2006), laureado em Brasília, Roterdã, Miami e Paris e Febre do Rato (2011), vencedor do Festival de Paulínia em várias categorias. Os títulos dialogam entre si e retratam, com amor e dureza, os mais pobres, os marginalizados. Em Big Jato (2016), o diretor tem um olhar generoso e poético para a juventude, ao filmar a sua primeira adaptação de uma obra literária, no caso o livro homônimo do escritor e jornalista Xico Sá. PIEDADE (2017) é seu sétimo longa, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2020.
SOBRE A PRODUTORA | REPÚBLICA PUREZA
República Pureza Filmes é uma produtora de cinema independente criada em 1995. Dirigida por Marcello Ludwig Maia, possui em seu currículo importantes obras do cinema brasileiro contemporâneo, tais como Amarelo Manga, de Cláudio Assis, Um Passaporte Húngaro, de Sandra Kogut, Educação Sentimental, de Julio Bressane, Faroeste Caboclo, de René Sampaio, A História da Eternidade, de Camilo Cavalcante, A Frente Fria Que a Chuva Traz, de Neville D’ Almeida, Love Film Festival, de Manuela Dias, e Um Filme de Cinema, de Walter Carvalho.
Entre seus lançamentos mais recentes destacam-se Domingo, longa-metragem de Clara Linhart e Fellipe Barbosa selecionado para a Mostra Gionarte Degli Autori do Festival de Veneza de 2018, e O Beijo no Asfalto, longa-metragem de Murilo Benício vencedor dos prêmios de Melhor Filme e Menção Honrosa de atuação para Lázaro Ramos no International Filmmaker Festival of New York.
Atualmente, está lançando os novos filmes de Cláudio Assis (Piedade, com Fernanda Montenegro, Matheus Nachtergaele, Cauã Raymond e Irandhir Santos), Murilo Benício (Pérola, com Drica Moraes, Léo Fernandes e Louise Cardoso) e Sandra Kogut (Três Verões, com Regina Casé).
Para televisão, a República produz documentários, séries e programas diversos. Entre eles, destacam-se Perrengue (MTV Brasil) e Bipolar ShowO País do Cinema e As Grandes Entrevistas do Pasquim (Canal Brasil/Globosat). 

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa


Nenhum comentário:

Postar um comentário