quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

VIK MUNIZ INAUGURA GALERIA DE ARTE NA FEIRA DE SÃO JOAQUIM, A MAIS POPULAR DE SALVADOR, COM MOSTRA DE ERNESTO NETO

Paulistano de nascimento mas apaixonado pela Bahia, onde costuma passar parte do ano, Vik Muniz inaugura na Feira de São Joaquim, em Salvador (BA), o seu mais novo projeto: a galeria de arte Lugar Comum, que tem como objetivo aproximar nomes consagrados da arte contemporânea do grande público. Em sua estreia, o espaço recebe um trabalho inédito do artista carioca Ernesto Neto, a instalação ‘Bem Comum’, feita a partir de temperos - em um diálogo direto com as mercadorias encontradas à venda na feira.

Numa espécie de barganha com o conceito de arte pública, a iniciativa de Muniz tem como objetivo trazer o cubo branco característico das galerias para lugares inesperados, neste caso um boxe de 16 metros quadrados no meio da maior feira livre de Salvador. Na visão do artista, o modelo do cubo branco, bastante questionado por muitos, é positivo. "A arte fica naquele espaço, bem iluminada, sem qualquer interferência, num contexto neutro. O problema não é de modelo mas de localização. As galerias estão sempre no lugar errado, somente onde há o dinheiro dos colecionadores ricos. Isso é que precisa mudar", defende.

O novo endereço na capital baiana funcionará apenas como um espaço expositivo e não comercializará nenhum dos trabalhos exibidos. Com quatro exposições por ano, deve receber em breve obras do dinamarquês Olafur Eliasson, além de uma bienal de fotografia com nomes como João Farkas, Claudio Edinger e Martin Parr. A ideia, porém, é replicar a iniciativa em outras capitais "até criar uma galeria móvel no meio da Feira de Caruaru ou no Capão Redondo, quem sabe", adianta Muniz.

Sobre

Lugar Comum

Lugar Comum é um projeto de Vik Muniz localizado na Feira de São Joaquim, na cidade de Salvador,  Bahia. Com quatro exposições anuais, o projeto tem como objetivo democratizar o acesso à arte contemporânea e aproximar o público de importantes nomes do meio artístico. Em uma espécie de barganha com o conceito de arte pública, a iniciativa tem como objetivo trazer o cubo branco característico das galerias de arte para lugares inesperados.

Vik Muniz

Vik Muniz nasceu em 1961, em São Paulo, e vive e trabalha entre Nova York e Rio de Janeiro. A obra de Muniz questiona e tensiona os limites da representação. Apropriando-se de matérias-primas como algodão, açúcar, chocolate e até lixo, o artista meticulosamente compõe paisagens, retratos e imagens icônicas retiradas da história da arte e do imaginário da cultura visual ocidental, propondo outros significados para esses materiais e para as representações criadas. Para a crítica e curadora Luisa Duarte, “sua obra abriga uma espécie de método que solicita do público um olhar retrospectivo diante do trabalho. Para ‘ler’ uma de suas fotos, é preciso indagar o processo de feitura, os materiais empregados, identificar a imagem, para que possamos, enfim, nos aproximar do seu significado. A obra coloca em jogo uma série de perguntas para o olhar, e é nessa zona de dúvida que construímos nosso entendimento”. Muniz também se destaca pelos projetos sociais que coordena, partindo da arte e da criatividade como fator de transformação em comunidades brasileiras carentes e criando, ainda, trabalhos que buscam dar visibilidade a grupos marginalizados na nossa sociedade.

SERVIÇO

Inauguração da galeria Lugar Comum, com exposição de Ernesto Neto

Feira de São Joaquim

Box B23

Av. Eng. Oscar Pontes - Água de Meninos, Salvador - BA

www.lugar-comum.com

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário