quarta-feira, 4 de maio de 2022

COMÉDIA FRANCESA PROTAGONIZADA POR LUDIVINE SAGNIER CHEGA AOS CINEMAS BRASILEIROS EM 2 DE JUNHO

 

Definida pela revista Femme Actuelle como “uma comédia doce, com uma Ludivine Sagnier radiante”, LOLA E SEUS IRMÃOS é dirigido pelo ator Jean-Paul Rouve, em sua segunda parceria no roteiro com o escritor David Foenkinos (“A Delicadeza do Amor”, “O Mistério de Henri Pick”). O longa chega aos cinemas brasileiros em 2 de junho, com distribuição da Pandora Filmes.


Sagnier (da série “Lupin”, e do filme “8 Mulheres”) interpreta a advogada Lola, irmã de Benoit (Rouve), que vai se casar pela terceira vez, e de Pierre (José Garcia), que vive adiando seu casamento. Em meio a discussões, brigas e problemas, a jovem reencontra Zoher (Ramzy Bedia), de cujo divórcio ela cuidou. Tudo se complica quando Benoit descobre que será pai, e não se sente preparado para isso, e Pierre, um construtor, começa a enfrentar problemas no trabalho.

Rouve conta que, por ser filho único, convidou Foenkinos para colaborar no roteiro por ele ter um irmão, e, assim, poderia explorar melhor os conflitos do relacionamento. Mas também pela obra do escritor ter algo de poético e humorado. “Ele muitas vezes tem ideias de personagens um pouco ‘à margem’, mas que são verossímeis, existem na vida. Eu os considero como marcos, uma espécie de filósofos da vida cotidiana… São personagens que muitas vezes tratamos com humor o que os torna reais.”

O diretor define a protagonista, Lola, como uma personagem complexa e complicada, que vive sufocada, impedida de viver pelos seus irmãos mais velhos. Ele procurava uma atriz que trouxesse uma personalidade forte, mas também delicadeza e uma certa fragilidade. “Eu convidei várias atrizes para fazer testes na frente da câmera, pois eu queria sentir as diferentes camadas de Lola. E percebi que Ludivine tinha isso nela. Um lado frágil e doce e uma personalidade assertiva. Uma feminilidade muito assumida e também um lado moleque”.

Sagnier conta que o que chamou sua atenção em LOLA E SEUS IRMÃOS foi a história desenvolvida pelos roteiristas. “O filme levanta muitas questões sobre as ligações que temos com os nossos irmãos e irmãs, como às vezes temos problemas para apoiá-los, e, apesar de tudo, como podemos amá-los incondicionalmente. Para mim, o assunto é universal. Quanto a Lola, ela me emociona porque ela é uma garota que luta para brilhar o tempo todo.

O site francês Ecran Large elogia o filme como "engraçado, sensível, cativante, e, acima de tudo, profundamente humano".  O francês Le Journal du Dimanche afirma que “Rouve dirigiu uma comédia sentimental agridoce bem equilibrada entre a leveza e a gravidade”.

Sinopse


Lola, uma jovem advogada, se apaixona por um de seus clientes; Benoît, que se casou pela terceira vez, vai ser pai sem estar preparado; Pierre está passando por sérios problemas profissionais. Lola, Benoît e Pierre são irmãos. São muitos os motivos que poderiam afastá-los, mas eles são inseparáveis.

Ficha Técnica


Direção: Jean-Paul Rouve

Roteiro: Jean-Paul Rouve e David Foenkinos

Produção:  Cédric Iland, Nadia Khamlichi, Adrian Politowski

Elenco: Ludivine Sagnier, José Garcia, Jean-Paul Rouve, Ramzy Bedia, Pauline Clément

Direção de Fotografia: Christophe Offenstein

Desenho de Produção: Laurent Ott

Montagem: Jean-Christophe Bouzy

Gênero: drama, comédia

País: França

Ano: 2018

Duração: 105 min.

Sobre a Pandora Filmes


A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui.


Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.


Fonte: Assessoria de Imprensa 


Nenhum comentário:

Postar um comentário