terça-feira, 22 de setembro de 2020

CRIADOR DOS SUPER-HERÓIS DA MARVEL, STAN LEE PUBLICA LIVRO PELA EDITORA RECORD

 

Antes mesmo de mergulhar nas aventuras de Nia e Cameron Ackerson, o leitor se emociona com o prefácio assinado por Stan Lee. De um jeito único, o criador dos super-heróis da Marvel apresenta a história que está prestes a começar, cercada por uma fantasia tecnológica, que provoca o imaginário, mas também permeia as relações humanas atuais. Ambientado no universo Alianças de Stan Lee, cocriado por Stan Lee, Luke Lieberman e Ryan Silbert e escrito por Kat Rosenfield, Um truque de luz (Ed. Record) é um verdadeiro evento literário. 

“Eles vão fazer as perguntas que todos nos fazemos: sobre amor, sobre amizade, sobre ser aceito e sobre a busca pelo propósito da existência. Mas o grande enigma é: só por termos uma oportunidade, deveríamos nos reinventar? Esta é só uma das indagações perturbadoras em que vamos nos aprofundar.”– Stan Lee, Um truque de luz

Nia é uma hacker talentosa, mas solitária, que vive em completo isolamento com seu rigoroso pai. Proibida, desde sempre, a ter contato com o mundo externo, tudo que ela conhece são apenas representações da realidade, demonstradas na sala virtual de sua casa ou pela internet. Especialista em redes sociais, ela é extremamente popular e tem mais de um milhão de amigos, mas nenhum sabe a verdade sobre ela. Até que Nia conhece Cameron Ackerson, através de um jogo na internet, e o futuro dos dois adolescentes de 17 anos muda completamente.

Cameron buscava a fama como Youtuber, focado em explorar os mistérios do lago Erie, onde seu pai desapareceu sem deixar nenhuma pista. Porém, no meio de uma live diretamente de seu barco, o adolescente é atingido em cheio por um raio de tempestade que parece desafiar as leis da física. A cicatriz no rosto e as inúmeras lesões nos nervos não foram as únicas mudanças provocadas pelo acidente, agora ele possui um surpreendente talento cibernético: a capacidade de manipular computadores e eletrônicos com a mente.

O adolescente sempre foi um gamer, um programador e combinava componentes de softwares, mas isso é bem diferente. Agora ele é capaz de hackear os sistemas da própria casa, sincronizar a cafeteira com o horário que sua mãe acorda e até as luzes e o volume da TV diminuem quando ela cai no sono no sofá. Seu cérebro está avivado pelo fluxo de dados, enviando, recebendo, processando e resolvendo problemas. Porém, Cameron e Nia querem fazer algo maior: a Operação Justiça Cósmica. O objetivo é consertar tudo que há de incorreto nas relações humanas e isso vai chamar atenção de forças perigosas, colocando em risco o futuro do mundo. 

Será que Nia vai desafiar o pai e ficar livre da sua prisão particular? Em um universo pautado pela tecnologia, é possível dizer que os personagens sejam humanos? E os poderes de Cameron serão o suficiente para driblar as autoridades desse e do outro mundo? As respostas, repletas de aventuras alucinantes em um universo criado pela imaginação sem limites, são reveladas em Um truque de luz (Ed. Record), primeiro volume da série Alianças de Stan Lee. Ao final do livro, Ryan Silbert e Luke Lieberman convidam os leitores a conhecerem o processo criativo do livro e a magia de trabalhar com Stan Lee. 

“Dos X- -Men, os intermediários que Stan teve para tratar do movimento pelos direitos civis, ao Pantera Negra, que dava uma perspectiva de consciência social para o futuro, até as reflexões do Surfista Prateado sobre as trevas que nos movem, sobre os conflitos no Vietnã e além, Stan percebeu a oportunidade de seus simples “e se” levantarem questões muito maiores a respeito de quem somos e de como optamos por viver. Vimos essa mágica tomar forma em primeira mão.”
- Ryan Silbert e Luke Lieberman, Um truque de luz.

SOBRE O AUTOR

Stan Lee se tornou famoso no mundo inteiro como o homem que criou os super-heróis da Marvel que ganharam posição de destaque na indústria do entretenimento. Foi cocriador de Homem-Aranha®, Vingadores®, Pantera Negra®, X-Men®, Homem de Ferro®, O Incrível Hulk®, Quarteto Fantástico® e centenas de outros heróis. Stan Lee foi presidente emérito da Marvel Entertainment até sua morte, em 2018. Também foi presidente e chefe do escritório de criação da Stan Lee’s POW! Entertainment®, que fundou com os sócios de produção Gill Champion e Arthur Lieberman.

® Todas as marcas são propriedade da Marvel Entertainment, LLC.

Kat Rosenfield escreve sobre cultura pop e política, além de ser autora indicada ao prêmio Edgar de Amelia Anne is Dead and Gone (2012) e Inland (2014). Ex-jornalista da MTV News, seu trabalho foi publicado em veículos como Wired, Vulture, Entertainment Weekly, Playboy, US Weekly e TV Guide.

Serviço

– Stan Lee, Um truque de luz

Um truque de luz (Vol. 1 Alianças)
Stan Lee e Kat Rosenfield

350 pág. | R$57,90

Record | Grupo Editorial Record

Fonte: Assessoria de Imprensa

TMJ: A ESCOLA DE IMPACTO CHEGA PARA INCENTIVAR JOVENS A TRANSFORMAR A SOCIEDADE VIA EMPREENDEDORISMO SOCIAL

 

A Turma do Jiló e o Projeto Serendipidade, instituições sociais que promovem a inclusão e a diversidade no ambiente escolar e empresarial, apresentam a Escola de Impacto. O objetivo do projeto é estimular o empreendedorismo social entre os jovens brasileiros, de modo que esses possam gerar impacto positivo, envolvendo-se na construção de uma sociedade mais justa.

A iniciativa, atualmente com 100 vagas abertas, terá início no próximo mês e será aplicada em ciclos de dois anos, com foco em jovens de 14 a 18 anos, provenientes de escolas privadas e de programas de Jovens Aprendizes em empresas de todo o Brasil. Dentro de suas atividades esses adolescentes irão despertar propósitos de vida por meio da sensibilização, desenvolvimento de habilidades socioemocionais, competências de liderança e empreendedorismo e de vivências e experiências práticas.

Um time de especialistas, com vasta experiência na construção de pontes entre a sociedade, o poder público e mundo corporativo, vai compartilhar seu conhecimento com o grupo de alunos. São eles: Edu Lyra (Gerando Falcões), Geyze, Ana Maria e Abílio Diniz (Instituto Península), Elie Horn (Instituto Cyrela), Rony Meisler (Reserva), Priscila Cruz (Todos Pela Educação), Celso Athayde (CUFA), Carlo Pereira (Pacto Global), Diego Calegari (Politize), Caroline Celico (Fundação Amor Horizontal), Sid Efromovich e Marina Feffer (Generation Plegde), Tatiana Sayeg e Paula Batista (TDJ), dentre outros. Além disso, metodologias de design thinking e as habilidades individuais e coletivas do próprio grupo serão utilizadas para criar um ambiente moderno, plural e atrativo de ensino.

"Queremos ver cada vez mais jovens engajados em causas relevantes, de propósito social que possam agregar valor em setores que necessitam de atenção no nosso país. Ao participar da Escola de Impacto, esses adolescentes poderão conhecer a realidade de muitos brasileiros e desenvolver projetos para ajudar aqueles que mais precisam e a si mesmos, tornando-se futuros empreendedores sociais", diz Carolina Videira, idealizadora do Turma do Jiló. Henri Zylberstajn, fundador do Serendipidade, acredita que "Sensibilizando a juventude de hoje, temos a segurança de um futuro melhor amanhã. Nossa ideia é formar a próxima geração de filantropos e empreendedores sociais de impacto do Brasil".

Os dois anos da Escola de Impacto serão divididos com dinâmicas distintas. No 1º ano, os grupos são separados por idades para a participação em oficinas online de conhecimento sobre temas como direitos humanos, educação política, inclusão e desigualdade social, racismo, cultura de doação e filantropia, preconceito, saúde mental, economia circular e sustentabilidade, para que entendam as demandas e problemas sociais do Brasil. Jovens com deficiência também participarão desta formação, que inclui ainda saídas a campo - os chamamos trabalhos voluntários guiados - que serão um grande instrumento de sensibilização e concretização do estudo.

Já no 2º ano, os jovens terão a oportunidade de colocar em prática tudo o que aprenderam na primeira parte do ciclo de formação, por meio de um laboratório de experimentação com mentoria de especialistas, a fim de desenvolverem projetos inovadores e de impacto social nas áreas em que desejarem. No final de todas as oficinas, os projetos serão apresentados a uma banca avaliadora para melhor direcionamento da execução, incluindo possibilidade de aceleração e fomento.

O projeto será financiado pelas empresas parceiras e será cobrada uma mensalidade para os alunos de escolas particulares. Para saber mais acesse o site http://www.escoladeimpacto.org e perfil no Instagram @escoladeimpacto.

Sobre

Turma do Jiló

Fundada em 2015 pela empreendedora social Carolina Videira, a Turma do Jiló é uma OSC, especializada em ações em prol da inclusão. Além de promover cursos de capacitação inclusiva, assegura atendimentos psicossociais, jurídicos e assistenciais para famílias que necessitem de apoio. A entidade ainda trabalha pela diversidade e entende a necessidade dos cuidados que as organizações devem tomar com os profissionais com deficiência, além de terem colaboradores treinados para a diversidade. Com o intuito de apoiar as empresas neste processo, foi criado um ciclo de cursos e workshops online que busca explicar o que é a diversidade sob diversos pontos e perspectivas.

Projeto Serendipidade

O Instituto Serendipidade é uma entidade que atua com a inclusão de pessoas com deficiência intelectual, buscando transformar o olhar da sociedade para o tema inclusão. A ONG desenvolve ações de comunicação e conscientização direcionadas a pessoas com e sem deficiência e que objetivam acabar com os preconceitos existentes em nossa sociedade. A atuação do Serendipidade se dá, em todo o Brasil, a partir de programas próprios e através de uma extensa rede de entidades parceiras, para as quais são oferecidos apoio operacional, estratégico e financeiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa

ARTISTAS FRANCESAS MAME-DIARRA NIANG E JOHANNA TORDJMAN SÃO AS NOVAS REPRESENTADAS PELA GALERIA LUME



As artistas francesas Mame-Diarra Niang e Johanna Tordjman são as novas integrantes do corpo de artistas representado pela Galeria Lume.

Mame-Diarra, nascida em 1982, em Lyon, é um autora de uma obra multimídia, desdobrada por meio de suportes como a fotografia, o vídeo e a performance. Criada entre a Costa do Marfim, Senegal e seu país de origem, a França, ela explora a temática da "plasticidade do território" em suas criações. Participou da 33ª Bienal de São Paulo e da 11ª Bienal do Mercosul em Porto Alegre, ambos em 2018, e, recentemente, conduziu uma residência intitulada "Black Hole", em Joanesburgo. Seu trabalho já foi exibido em diversos espaços culturais e instituições da Europa e em galerias de Nova York.

Nascida na década de 1990, Johanna Tordjman cresceu nos subúrbios de Paris. Sua obra carrega as emoções de uma sociedade em busca da reconstrução na era das selfies. Sua ambição criativa é juntar os fragmentos da humanidade, por meio da representação da diversidade, desmistificando as linhas que separam as pessoas invisíveis das mais visíveis.

A artista teve seu trabalho exposto em mostras durante o Art Basel Miami, Art Basel Hong Kong e Art Basel Suisse em 2017. Durante 2018 e 2019 expôs em distintas galerias em Paris. Johanna também foi apontada como uma artistas com menos de 30 anos que mudará a França, pela edição de 2019 francesa da Vanity Fair.

Sobre a Galeria Lume

Fundada em 2011, a Lume busca promover e incentivar o desenvolvimento de processos criativos contemporâneos ao lado de seus artistas e curadores convidados.

Liderada por Paulo Kassab Jr. e Victoria Zuffo, a galeria dedica-se a romper fronteiras entre diferentes linguagens artísticas, operando através de um modelo arrojado e único que reforça o papel da cidade de São Paulo como centro cultural e centro de efervescência criativa. Representa um seleto grupo de artistas, estabelecidos e emergentes, dedicados à introdução do pensamento artístico em todos as suas vertentes por meio de um programa de exposições plural, associado a idéias que inspiram e promovem reflexões críticas sobre o contemporâneo mundo. Lume também é focada no diálogo entre a produção de seus artistas e museus, instituições e coleções de arte relevantes.

Fonte/Fotos-reprodução-divulgação: Legenda: *Johanna Tordjman - *Mame-Diarra Niang 


XUXA MENEGHEL CONTA A SUA HISTÓRIA

 

Com as famosas "xuquinhas" no cabelo e chegando em uma nave, Xuxa conquistou uma legião de fãs nos anos 80 e segue, até hoje, como um dos rostos - e nomes - mais famosos do mundo. Em Memórias ela não se esconde: conta desde a infância - e os terríveis abusos que sofreu -, namoros famosos (como Pelé e Ayrton Senna), o estouro na Globo com o Xou da Xuxa, as polêmicas, além de seu ativismo pela causa animal e pelos direitos das crianças, o nascimento de Sasha, até chegar aos dias atuais.

Nesta obra lançada pela Globo Livros, Xuxa escreve sem meias palavras e de coração aberto. As páginas estão repletas de fatos, impressões, sentimentos. E mostra que nem tudo é glamour na vida de uma estrela de sua magnitude: ela fala de perdas e do trabalho árduo para chegar onde está. "Cada indivíduo é único. E só posso contar o que eu vivi. O que eu penso. Quem eu sou. E quais as graças que tive em minha trajetória até aqui. Não tenho terapeuta, então quem sabe essas próximas linhas não sirvam também como uma terapia?", diz ela, logo no começo da obra.

Rita Lee, primeira pessoa a ler as memórias de Xuxa, destaca justamente a honestidade da apresentadora: "Ler as memórias de Xuxa é como assistir a um filme sobre uma atriz hollywoodiana que começou ralando na vida e quis o destino que se tornasse uma deusa superstar. Conhecendo os pormenores de suas aventuras, que, aliás, escreve com coragem e honestidade, entendo melhor essa mulher estonteantemente bela e os momentos nem sempre fáceis pelos quais passou", diz a rainha do rock em um trecho do texto que escreveu para a orelha da capa da obra.

Memórias traz ainda outra surpresa: mais de 100 fotos selecionadas por Xuxa, muitas delas inéditas e de seu acervo pessoal. A capa também foi concebida pela apresentadora, que doará os royalties deste livro para a Aldeia Nissi, na Angola, e para santuários de animais resgatados de maus-tratos no Brasil.

Serviço

Título: Memórias

Autora: Xuxa Meneghel | Páginas: 272 | Formato: 16X23cm

ISBN: 978-65-5567-015-8 | Preço: R$ 44,90

Fonte: Assessoria de Imprensa 


segunda-feira, 21 de setembro de 2020

21 DE SETEMBRO: DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Para marcar o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, em 21 de setembro, o Instituto Jô Clemente, antiga Apae de São Paulo, está lançando o Guia de Direitos: Pessoa com deficiência intelectual, capacidade jurídica e tomada de decisão apoiada. O material, produzido em parceria com a Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (ANADEP), Ministério Público de São Paulo e Ordem dos Advogados (OAB) Nacional e de São Paulo, faz parte de um conjunto de ações do projeto "Capacidade Jurídica e Decisão Apoiada - Rompendo Paradigmas", financiado pela Open Society Foundations, visando contribuir para a mudança de práticas sociais e jurídicas que ainda impedem as pessoas com deficiência de exercerem a sua autonomia e independência, favorecendo assim o efetivo exercício de sua capacidade jurídica.

O guia, que estará disponível a partir de 21 de setembro no site ijc.org.br, apresenta um olhar mais atual sobre a deficiência, de acordo com a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU. O intuito é ampliar o entendimento e a percepção das pessoas com deficiência e suas famílias, dos integrantes do Sistema de Justiça e do público em geral sobre a capacidade jurídica, a tomada de decisão apoiada e outros direitos diretamente relacionados, ao apresentar, de forma simples e objetiva, informações práticas sobre o assunto.

Segundo a supervisora de Advocacy do Instituto Jô Clemente, Deisiana Paes, "a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência romperam com o paradigma da incapacidade das pessoas com deficiência e reconheceram que todas as pessoas têm capacidade de exercer seus direitos, ainda que para isso precisem do apoio de outras pessoas ou outros recursos de acessibilidade. Isso é que o chamamos de capacidade jurídica, uma importante conquista na luta dos direitos das pessoas com deficiência".

De acordo com, Stella Camlot Reicher, consultora jurídica do Instituto Jô Clemente, quando uma pessoa atinge a maioridade, aos 18 anos, as leis asseguram sua autonomia e independência para fazer escolhas e tomar decisões em diversas áreas da vida, como casar, votar, decidir sobre o próprio corpo, alugar imóveis, matricular-se em algum curso, celebrar negócios, entre outros. "Em relação às pessoas com deficiência, isso nem sempre foi assim. Por muito tempo se entendeu que mesmo após a maioridade, por conta da deficiência, não se tinha assegurado o direito de exercer sua autonomia. Hoje a existência da deficiência não é causa de incapacidade e nem impede que a pessoa com deficiência exerça seus direitos em todos os aspectos da vida".

O Guia de Direitos: Pessoa com deficiência intelectual, capacidade jurídica e tomada de decisão apoiada apresenta, também, orientações sobre como buscar e exigir direitos, além de esclarecimentos sobre o que fazer quando uma pessoa com deficiência tem um direito negado. O material ficará permanentemente disponível para download gratuito no site ijc.org.br. "Esse guia é mais uma das muitas iniciativas que adotamos nos Instituto Jô Clemente em defesa e garantia dos direitos das pessoas com deficiência, com o objetivo de promover a inclusão e o protagonismo dessas pessoas", finaliza Deisiana.

Sobre o Instituto Jô Clemente

O Instituto Jô Clemente é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos que há 59 anos previne e promove a saúde das pessoas com deficiência intelectual, além de apoiar a sua inclusão social e a defesa de seus direitos, produzindo e disseminando conhecimento. Atua desde o nascimento ao processo de envelhecimento, propiciando o desenvolvimento de habilidades e potencialidades que favoreçam a escolaridade e o emprego apoiado, além de oferecer assessoria jurídica às famílias acerca dos direitos das pessoas com deficiência intelectual. Pioneiro no Teste do Pezinho no Brasil e credenciado pelo Ministério da Saúde como Serviço de Referência em Triagem Neonatal, o Laboratório do Instituto Jô Clemente é o maior do Brasil em exames realizados. Por meio do CEPI - Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do Instituto Jô Clemente, a Organização gera e dissemina conhecimento científico sobre deficiência intelectual com pesquisas e cursos de formação.

Fonte: Assessoria de Imprensa

sábado, 19 de setembro de 2020

RIO COFFEE NATION ACONTECE EM OUTUBRO E TRANSFORMA RIO DE JANEIRO NA CAPITAL DOS CAFÉS ESPECIAIS

 

O Rio de Janeiro sediará, entre os dias 24 e 25 de outubro, a primeira edição do Rio Coffee Nation, evento dedicado exclusivamente ao segmento de cafés especiais e orgânicos. Diante do novo cenário, o evento foi reestruturado para garantir a segurança do público, expositores e palestrantes. Na plataforma digital do evento estarão reunidos estandes virtuais, palestras, workshops, apresentações, sala de negócios, exposição, e-vouchers, brindes para os visitantes e muito mais. Serão realizadas algumas atividades presencias, que terão transmissão nas plataformas digitais. Todos os protocolos de segurança serão respeitados.

O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo. Além desta liderança, cresce também o interesse dos brasileiros para o consumo de produção de cafés especiais, que seguem algumas premissas em sua produção: seleção qualificada dos grãos, produção com certificado de qualidade, além das diferenças de fragrância, sabor, acidez e corpo.

A programação do Rio Coffee Nation vai mostrar a evolução do mercado de cafés especiais - da cereja à xícara, para consumidores, produtores, profissionais e empresas do setor. O público poderá ainda conferir uma exposição virtual sobre as regiões do cultivo dos grãos especiais no Brasil, bem como, os "terroirs" e métodos de produção.

Serão cerca de 30 estandes virtuais de cafeicultores e outros produtos ligados ao segmento. Entre os participantes já confirmados estão:

• Ilha "Cafés do Rio de Janeiro": Grupo de 16 marcas de café especial do estado, entre os quais o café Fazenda Florença (melhor café especial do Rio de Janeiro em 2019), Vale do Er, Café da Serra.
• Café Terras de São Francisco
• Café Klem
• Café Gran Monteiro
• Leite de aveia NAVEIA
• Café Clessico
• Café Flô
• Cerveja de café Matisse

Uma loja virtual/marketplace funcionará para que os visitantes possam comprar os produtos expostos.

O francês Hippolyte Courty, fundador da L´Arbre à Café e um dos maiores especialistas em cafés orgânicos e especiais participa da primeira edição do Rio Coffee Nation. "O maior valor dos cafés especiais está em conhecer o sabor, dar valor ao processo agrícola de produção e a função social que podemos exercer com este trabalho", diz Hippolyte Courty.

Em paralelo, acontecem palestras e apresentações com especialistas nacionais e internacionais sobre produção, importação e exportação, torrefação, métodos de extração dos grãos (soft, expresso, filtração), diferentes formatos de preparo de café, sustentabilidade, café na gastronomia, turismo e receitas, entre outros.

Palestras confirmadas

- Café & Saúde - Monica Pinto - Diretora ABIC
- Passo a passo para produzir um café especial - Flavio Borem - Professor da UCLA
- Sustentabilidade na distribuição de produtos orgânicos - Rafael Coimbra - Empresário
- Modo de preparo do café coado - Adriana Valinhas - Barista
- Entrevista com Presidente da ASCARJ - Moacyr Santos - Produtor de café especial
- Receita de sobremesa com café - Frederic Monnier - Chef
- Receita com café - Frederic Monnier - Chef
- Ministério da Agricultura - Marcia Nejaim
- Tendências do mercado de cafés especiais no Brasil - Leonardo Gonçalves - Empresário
- Métodos de preparo de café: Prensa Francesa e Aeropress - Ana Paula Zerbini - Barista
- Protagonismo feminino na cadeia de café - Isabel Vilela - Produtora de café especial e diretora da IWCA
- A importância do marketing para as estratégias da indústria do café - Benedito Cantanhede - Consultor
- A quarta onda no mercado de café - Paula Dulgherof - Barista e empresária
- Articulação dos cafés especiais do Brasil - Vanusia Nogueira - Diretora BSCA
- Fazendas de café na rota do turismo - Paulo Roberto Santos - Produtor e empresário

A Competição de Melhor Café Torrado e Moído para Espresso, com chancela da BSCA, será presencial para os participantes e terá transmissão ao vivo para o público na plataforma. Serão cerca de 10 horas de competição e o vencedor terá sua marca exposta na Paris Coffee Nation 2021. A coordenadora da competição é Adriana Valinhas, Barista e Brewer profissional formada pela SCA Education, membro da BSCA e da IWCA - aliança internacional das mulheres do café - que ministra aulas na escola Le Cordon Bleu do Rio de Janeiro. Ela também é fundadora e idealizadora do LANGUAGECAFÉ, cafeteria escola de proposta cultural e conceito educacional que harmoniza café, livros e idiomas, reunindo pessoas , música e arte.

"Promover o Rio Coffee Nation tem como objetivo incentivar o mercado de café especiais no Brasil, desde a cereja à xícara. É também uma forma de estimular os produtores destes grãos e apresentar a excelência dos terroirs obtidos em plantações nacionais e, que estão cada dia mais presentes nas xícaras dos brasileiros e conquistam cada dia mais admiradores no exterior. Queremos que, com nossa iniciativa, os consumidores passem a conhecer e exigir cafés de melhor qualidade, e que um dia tenhamos uma carta de cafés nos restaurantes - como a de vinhos. Será uma oportunidade enriquecedora para os fãs da bebida e para toda a categoria", afirma Martina Marina Barth d'Avila, idealizadora do evento e proprietária da SonImage. Para a realização do Rio Coffee Nation, Martina conta com a parceria da Take the Lead, de Vania Tavares.

O Rio Coffee Nation é parceiro exclusivo do Paris Coffee Show, considerado o maior evento de café da França, com 35 anos de existência e referência no ramo de cafés.

Os ingressos para a primeira edição do Rio Coffe Nation custam a partir de R$25 e podem ser adquiridos pelo site www.riocoffeenation.com

O Rio Coffee Nation tem patrocínio da Secretaria da Agricultura do Estado do Rio de Janeiro e da Melitta.

O evento tem como apoiadores BSCA, ABIC, SindRio, IWCA (International Women Coffee Association), ASCARJ, Paris Coffee Show, L’Arbre à Café, Escola Languagecafé, Casa do Barista, Gran Coffee (fornecedor do equipamento oficial da competição), Castanhal e Café ao Leo.

Serviço

Dias: 24 /10 - 10h00 às 18h00

25 /10 - 10h00 às 18h00

Local: Plataforma Digital Rio Coffee Nation

Ingressos: www.riocoffeenation.com

Quem comprar ingresso até o dia 24 de setembro ganha uma amostra de café de um dos expositores do evento.

Instagram: http://www.instagram.com/riocoffeenation/

#riocoffeenation

#purosabordocafe

Fonte: Assessoria de Imprensa

COMO JOÃO FREIRE SE TORNOU REFERÊNCIA DE MODA MASCULINA NO BRASIL: "VIVEMOS NUM PAÍS CONSERVADOR E PRECONCEITUOSO"

 

Com apenas 29 anos, João Freire já se tornou um dos nomes queridinhos da moda e consultoria de imagem no Brasil. O paulista, que estudou em Nova York, com passagem como personal shopper da rede de lojas Saks Fifth Avenue, vem ganhando notoriedade em tudo que faz envolvendo luxo e bom gosto. Ele é empresário e influenciador digital, especialista em viagens, além de assinar uma coleção de joias para Marisa Clermann há seis anos, com peças usadas por nomes como Alok, Adriane Galisteu e Sabrina Sato. 

“Tudo começou quando me formei em Relações Internacionais na FAAP. Fui fazer um curso de férias em consultoria de moda e adorei. Decidi me mudar para Nova York para estudar moda e consultoria. Trabalhei como personal shopper da Saks por quase um ano e, assim, ingressei na Semana de Moda de NY. Criei meu blog nesse período, ele cresceu e eu voltei para o Brasil. Foi aí que as coisas começaram a acontecer por aqui, muitos serviços e cursos de consultoria, experiências de viagens para clientes durante as semanas de moda de Milão, NY e Paris, e também a coleção de joias. Meus trabalhos foram, de certa forma, consequência do sucesso do meu blog e da visibilidade que conquistei no mercado de luxo voltado para o público masculino”, conta João, que ressalta ainda que suas principais referências estão nas ruas, no dia a dia e em suas viagens. 

De toda a experiência com moda, João considera que foi no período que trabalhou na americana Saks que viveu o seu ‘divisor de águas’ na carreira. “Personal shooper é aquele que auxilia o cliente a encontrar peças ideais para o seu estilo, budget e ocasião. Conversamos com o cliente e muitas vezes mandamos até perguntas para conhecer melhor seu gosto e perfil. Sem dúvidas quando fiz este trabalho aprendi muito sobre o mercado, varejo, relacionamento o cliente. E hoje trabalho com a consultoria de imagem por aqui”, diz o especialista

João explica, para quem ainda não conhece, como funciona atualmente seu trabalho em consultoria: “Acontece, basicamente, em três fases: aplicação de questionário, análise do perfil e guarda-roupa do cliente e, por fim, execução da consultoria. Qualquer pessoa que deseja mudar a sua imagem e o seu estilo pode contar comigo. Pessoas em transição de carreira, objetivos de vida ou recém-recuperadas de algum trauma são pessoas que solicitam uma consultoria.”

Coleção de joias: 

De olho nas tendências mundiais, João Freire ganhou famosos e anônimos com sua coleção de joias masculina para Marisa Clermann. Ele revela que hoje em dia cria peças sem gênero e que tudo vai de acordo com o gosto e estilo de seus clientes. 

“Nossa coleção acompanha as tendências e disponibilidade das pedras, além, é claro, do meu estilo pessoal. A Marisa Clermann está no mercado há muitos anos. Quando me convidou para assinar a coleção masculina foi uma honra. Para desenvolver as principais coleções, lançamos duas oficiais por ano, fazemos pesquisa e observamos o comportamento dos nossos clientes.  Nomes como Adriane Galisteu, Alok, Fernanda Keulla, Mirella Santos e Sabrina Sato usam tanto a minha coleção quanto as da Marisa”, revela João. 

A moda masculina no Brasil: 

João Freire sabe que a moda masculina no Brasil ainda é bastante atrasada quando comparamos com Europa e Estados Unidos. Porém, o consultor de imagem acredita que cada vez mais o homem brasileiro tem se interessado no tema e vencendo um preconceito bobo. 

“Vivemos em um país extremamente conservador e preconceituoso. O Brasil é bastante atrasado na moda masculina. Mas estamos crescendo em uma longa caminhada. O homem está cada vez mais vaidoso e exigente, especialmente buscando produtos que geram bem-estar e autoestima. A moda serve como ferramenta para isso. Meu objetivo ao criar meu blog, com dicas de consultoria de estilo, era esse: falar de moda como ferramenta fundamental para criar autoconfiança, segurança e, por consequências trabalhar a imagem do homem”, aponta o profissional. 

Mais de 22 países: 

Apaixonado por viagens e um dos influenciadores mais procurados no assunto, João Freire já viajou mais de 22 países. Entre seus lugares favoritos ele destaca: Nova York, Florença, Paris e St. Barths.

“Adoro viajar. Seja para Rio de Janeiro, Nova York, ou até mesmo Japão, China e Austrália. Tirando a China, já visitei todos esses lugares e quero conhecer novos. Ainda esse ano pretendo conhecer a Russia”, conta o blogueiro e influencer. 

Saiba mais sobre João Freire: 

http://joaofreire.com.br/ 

https://www.instagram.com/freirejoao/ 

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa


PRIMEIRA PROPRIEDADE MGALLERY NA GRÉCIA - ATHENS CAPITAL HOTEL - ESTÁ ABERTO

 

O Athens Capital Hotel - MGallery oficialmente abriu suas portas trazendo o estilo cativante da marca para o centro de Syntagma Square, em Atenas. A chegada do MGallery Hotel Collection na Grécia, apresenta aos visitantes de uma das cidades mais requintadas do país, sua ligação com a arte em todas as suas expressões, com a gastronomia contemporânea e com suas acomodações personalizadas.

A nova unidade é o ponto de partida perfeito para descobrir Atenas, uma cidade que alia o estilo de vida da Grécia antiga com o contemporâneo e promove experiências inigualáveis. Da Acrópole de Atenas ao Odeon de Herodes, este hotel verdadeiramente experiencial criará memórias inesquecíveis para seus hóspedes e visitantes, conduzindo-os em uma jornada evocativa pelas joias históricas escondidas da cidade.

O hotel conta com 177 quartos, incluindo 18 suítes e uma exuberante suíte presidencial. Cada quarto é seu próprio universo estético, celebrando a elegância absoluta de materiais nobres com designs que integram sutilmente símbolos e padrões gregos, enquanto suas vistas mostram a vibrante capital grega em toda sua glória. Sua alta gastronomia e serviço impecável são marcas registradas dos restaurantes e bares do hotel, proporcionando uma experiência que é, ao mesmo tempo, emocionante e requintada, e que promete despertar uma conexão genuína entre o hóspede e a cidade. O restaurante principal, MFlavours, é uma viagem ao Mediterrâneo, com ambiente requintado e descontraído. Enquanto o Galerie Café, localizado no térreo do hotel, é um ponto de encontro mais badalado para convergir no coração pulsante de Atenas.

O Mappemonde Rooftop Pool Bar é o novo point da cidade, compartilhando suas vistas panorâmicas deste destino multifacetado de manhã à noite. O rooftop é uma das partes mais atraente do hotel, pois possui uma coleção de obras de George Lappas - criada em 1988 - que inclui 3.000 peças, a maioria instaladas ao longo da área do átrio do hotel, que vai do 10º andar ao lobby, criando uma impressionante obra-prima interativa para despertar as mentes curiosas.

Cada estadia nos hotéis da marca MGallery é enriquecida com histórias únicas; cada unidade leva seus hóspedes para uma viagem por meio de um item de grande significado para a cidade, e criando momentos memoráveis e experiências regionais. No Athens Capital Hotel - MGallery, é possível viver a Grécia por meio do estilo Akrokeramon, uma mostra de elegância arquitetônica que embeleza os edifícios neoclássicos da cidade e é um símbolo da filosofia do hotel e do senso único de hospitalidade. O tradicional Komboloi, um objeto grego evidenciado no design do hotel, promete atrair os hóspedes em uma viagem no tempo para uma autêntica experiência grega.

"O Athens Capital Hotel - MGallery é o primeiro hotel da marca de luxo da Accor na Grécia. Com sua localização privilegiada, na Praça Syntagma, este hotel se tornará sinônimo da própria capital, o único lugar onde os hóspedes podem experimentar o verdadeiro significado de Atenas. Estamos felizes por ter unido forças com um grupo cujos valores fundamentais são compartilhamos com a Lampsa Hellenic Hotels SA. Esta parceria significativa fala do ambiente singular do hotel e de seus excelentes serviços. Nós realmente acreditamos que a inauguração deste novo hotel trará uma nova era na hospitalidade ateniense" revela Jean-Charles Delgado, COO da Accor Sul da Europa.

Sobre o MGallery

MGallery é aonde histórias cativantes são vividas e compartilhadas. Com mais de 100 boutiques históricas ao redor do mundo, cada MGallery conta uma história única inspirada pelo destino. Desde um design sob medida e uma mixologia sensorial até o bem-estar dedicado às mulheres, os hotéis MGallery são espaços onde hóspedes podem descobrir o melhor que o mundo tem a oferecer. Os hóspedes do MGallery são inspirados e enriquecidos por meio da sua prazerosa visita para esses estilosos, pensativos e decididamente singulares hotéis. Propriedades conhecidas na coleção do MGallery incluem o Hotel Molitor Paris, INK Hotel Amsterdam, Queens Hotel Cheltenham, na Inglaterra, Santa Teresa Hotel Rio de Janeiro, Hotel Lindrum Melbourne, na Austrália, Muse Bangkok Langsuan, na Tailândia, e Hotel des Arts Saigon, no Vietnã.

MGallery é parte da Accor, um grupo líder mundial em hospitalidade aumentada, oferecendo experiências únicas e significativas em 5.000 hotéis, resorts e residências em 110 países.

mgallery all.accor.com ALLSAFE Roomoffice Hotéis abertos américa do sul Long Stay

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa

INSCRIÇÕES PARA O EDITAL NATURA MUSICAL 2020 VÃO DE 1 A 21 DE SETEMBRO

 

Natura Musical seleciona novos projetos para patrocínio em 2021, com inscrições até o dia  21 de setembro, e foco em impacto social, econômico e ambiental positivo. A plataforma busca artistas, bandas, grupos, coletivos e empreendedores culturais, em diversos estágios de carreira, que desejam desenvolver projetos artísticos com identidade própria, refletindo temas, narrativas e discursos contemporâneos, com potencial de alavancar cenas regionais, nacionais e internacionais. As inscrições podem ser feitas pelo site natura.com.br/naturamusical.

"Em 2020, a plataforma Natura Musical passou por uma grande revisão de categorias, formatos e critérios para que siga relevante diante do cenário atual", afirma Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding. "Além da criação artística, buscamos por propostas que promovam a inclusão e a representatividade em todo o seu âmbito, do artista a equipe técnica. Projetos que ampliam o impacto do setor cultural, por meio de capacitações profissionais, desenvolvimento de novos modelos de produção, distribuição e articulação", completa.

Está será a primeira vez que Natura Musical terá um investimento dedicado para toda a região Amazônica. Além de R$ 1 milhão disponibilizado para projetos do Pará, via Lei Semear, ao menos 20% da verba do Edital Nacional terá como prioridade as iniciativas da região Amazônia, que é um dos pilares da marca NaturaOutra novidade é a atuação internacional da plataforma. Dentro das categorias criação artística e inovação, serão estimulados novos formatos de interação entre artistas e público, seja no digital ou no presencial, com experimentação de novas redes e novos territórios, como ações e intercâmbios com a América Latina.

As propostas inscritas no edital podem ter diversos formatos como álbum, show, turnê e clipe, além de programas de formação, iniciativas de empreendedorismo cultural, circuitos culturais, laboratórios de inovação, experiências imersivas, pesquisas, séries de vídeos ou podcasts, documentários, mostras, residências artísticas, intercâmbios, oficinas, pontos culturais, casas de show e conferências. Os projetos serão avaliados por uma rede de curadores formada por artistas, produtores, jornalistas e empresários do mercado musical. Os critérios utilizados para a seleção podem ser consultados no regulamento do edital ( clique aqui)O anúncio dos selecionados será feito ainda em 2020.

"Outra novidade desse ano é a criação de um conteúdo especial voltado para os proponentes e artistas veiculado nos canais proprietários de Natura Musical. A programação, que se estende durante todo o processo de inscrição, trará lives e mentorias para sanar possíveis dúvidas e apoiar o mercado no desenvolvimento de projetos. Entendemos que Natura Musical tem um papel importante de influência e formação do mercado cultural e tornaremos essa prática uma frente perene", diz Fernanda.

O Edital Natura Musical receberá inscrições de projetos em âmbito nacional e terá seleções regionais na Bahia, com a Lei Faz Cultura; em Minas Gerais, com Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais; no Pará, com a Lei Semear; e no Rio Grande do Sul, com a LIC. Ao todo, o Edital Natura Musical distribuirá R$ 8,5 milhões de reais, sendo R$ 1,5 milhão para a projetos de todos o Brasil; R$ 1 milhão para Minas Gerais; R$ 1 milhão para a Bahia; R$ 1 milhão para o Pará ; R$ 1 milhão para o Rio Grande do Sul. As doações aos fundos de cultura têm valor total de R$ 3 milhões, repartidos igualmente entre Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul.

A seleção de projetos e a distribuição de verbas dos fundos de cultura será feita por meio de editais próprios e programas culturais vigentes. Os detalhes sobre os processos de seleção estaduais serão divulgados em breve.

Novas categorias e critérios de avaliação
Com objetivo de tornar o Edital Natura Musical ainda mais representativo, inclusivo e transparente, a plataforma reuniu um time de especialistas do mercado da economia criativa com a finalidade de criar categorias e critérios de avaliação das propostas. "A cultura tem um papel fundamental na construção de um mundo mais bonito, cada vez mais plural, inclusivo e sustentável. Em momentos de crise, a cultura é decisiva para enfrentar o caos, reconstruir o tecido social e ajudar a projetar o futuro. Entendemos que o papel de uma plataforma longeva como Natura Musical é reforçar o seu compromisso com a cultura, continuar fomentando a produção artística e valorizar o impacto positivo que esse mercado produz na nossa sociedade", explica Fernanda Paiva.

Participaram do processo profissionais de diferentes formações e trajetórias: Monique Evelle, empresária, idealizadora do Desabafo Social e sócia da SHARP; Lu Araújo, CEO da Lume Arte e idealizadora do MIMO Festival; Michelly Mury, coordenadora artística da Casa Natura Musical; Suyanne Keidel, diretora executiva da Casa Natura Musical; Juli Baldi, pesquisadora musical e diretora criativa do Bananas Music; Hernan Halak, diretor geral da produtora cultural Mundo Giras e idealizador do Festival MUCHO!; Ana Garcia, idealizadora do festival No Ar Coquetel Molotov; Carol Soares, co-criadora da plataforma de pesquisa e processos de aprendizagem ØCLB; Heloisa Aidar, empresária, sócia e diretora executiva da Altafonte Music Publishing; Lilian Fraiji, produtora cultural, ativista ambiental e co-fundadora do programa LABVERDE; Pena Schmidt, curador, produtor musical e diretor artístico; Adriana Barbosa, empresária, idealizadora da Feira Preta e CEO da PretaHub.

Saiba mais sobre o processo AQUI

Fomento de cenas e redes:
Iniciativas que ampliam o impacto do setor e promovem formação de profissionais, por meio de capacitações, ações educativas, fomento e desenvolvimento da cena musical e cultural. Propostas que apresentem novos modelos de produção, distribuição e articulação da rede.

Inclusão:
Projetos artísticos que promovam a inclusão e a representatividade em todos os âmbitos - gênero, LGBTQI+, população negra e indígena e pessoas com deficiência. Se enquadram nessa categoria trabalhos de novos artistas, coletivos e grupos que representem pautas identitárias e que tenham origem em comunidades da região amazônica, novos centros urbanos, periferias e interiores.

Criação artística
Projetos artísticos com identidade própria, que reflitam temas, narrativas e, discursos contemporâneos, que projetem a cultura e a música e tenham poder de alavancar suas cenas regionalmente, nacionalmente e internacionalmente. Iniciativas que trabalhem a gestão de suas comunidades (relação artistas, mercado e fãs), com experiências digitais e presenciais. Nesse contexto se enquadram a produção de lançamentos de músicas e álbuns, shows e turnês, documentários, podcasts, clipes e novos canais de comunicação.

Inovação
Propostas que exploram novas linguagens artísticas, experimentação de novas ferramentas, intersecções entre a música e outras manifestações culturais, primando pela excelência criativa a partir da inovação e do uso de tecnologia acessível. Se enquadram nessa categoria laboratórios de inovação, novas tecnologias e plataformas de remuneração cultural e experiências imersivas.

Histórico Natura Musical
Em 2020o programa Natura Musical completa 15 anos de atuação com foco em impacto positivo no setor cultural. No total, já foram investidos R$ 159 milhões no patrocínio de 467 projetos, impactando diretamente 1,8 milhão de pessoas. "Acreditamos que quando temos a ambição de tornar o mundo mais bonito, é necessário ter em perspectiva que esse é um processo de médio e longo prazo. Então, ao olhar a trajetória do Natura Musical, sabemos que estamos no caminho correto em busca de uma mudança efetiva", finaliza Fernanda Paiva.

Alguns dos mais representativos compositores e intérpretes da nova geração já foram patrocinados pelo programa, como Edgar, Liniker e os Caramelows, Emicida, Tássia Reis, francisco, el hombre, Luiza Lian, Tuyo, Larissa Luz, João Donato, entre outros. Ao mesmo tempo, a plataforma apoia projetos emblemáticos de ícones da música brasileira: é o caso de Jards Macalé, com "Besta Fera", Elza Soares, com "A Mulher do Fim do Mundo", Dona Onete, com "Rebujo", por exemplo.

Em 2017, como uma forma de ampliar seu impacto, Natura Musical expandiu a sua atuação, inaugurando a Casa Natura Musical. Em três anos de atuação, já passaram pelo palco mais de 200 artistas, que representam toda a diversidade da música brasileira. Desde que os eventos presenciais foram adiados em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, a Casa Natura Musical transferiu a sua programação para as redes sociais e já soma mais de 40 apresentações digitais. Com uma curadoria focada em nomes ascendentes e relevantes da música brasileira e um formato intimista e acolhedor, as iniciativas conquistaram o público em todo o país e até no exterior.

Ainda no ambiente digital, Natura Musical patrocina em 2020 quatro festivais de música independente: Sarará e Timbre, em Minas Gerais, Coquetel Molotov, em Pernambuco, e Se Rasgum, no Pará. "Ao apoiar festivais de música independes, buscamos alavancar o impacto positivo social e econômico da música brasileira. Estar ao lado de festivais regionais é decisivo para essa finalidade. Os eventos estimulam todo o ecossistema da música, graças ao seu potencial de formar público e criar pontes entre artistas e audiência", finaliza Fernanda.

Serviço Edital Natura Musical 2020
Inscrições, regulamento e conteúdos especiais
Inscrições abertas: de 1/9 até 21/9 (até às 17h, pontualmente) pelo site natura.com.br/naturamusical.

Fale com a gente em caso de dúvidas:
Instagram: @NaturaMusical
Facebook: Natura Musical
Twitter: /NaturaMusical

Fonte: Assessoria de Imprensa