sábado, 2 de julho de 2022

EDITORAS MODERNA E SALAMANDRA LEVAM AUTORES EXCLUSIVOS À BIENAL DO LIVRO DE SP

 


Após ser cancelada em 2020 em função da pandemia da Covid-19, a 26ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo retomará sua programação presencial este ano na capital paulista. O evento será realizado de 2 a 10 de julho e contará com a presença das editoras Moderna e Salamandra, que vão promover o lançamento de obras e sessão de autógrafos com seus autores exclusivos Eva Furnari, Ilan Brenman, Pedro Bandeira e Walcyr Carrasco, além de ativações no estande durante todo o evento.

 

Esta será a primeira Bienal em que as editoras serão apresentadas ao público como integrantes da Santillana Educação, a nova marca da Santillana no Brasil voltada para o mercado privado de educação. Além de conferir os lançamentos e acervos da Moderna e da Salamandra, o visitante também poderá conhecer outras soluções oferecidas pela Santillana Educação, como os projetos Leiomundo e Território da Leitura, voltados para escolas, professores e alunos.


O estande contará também com vários ambientes para interação dos visitantes conectando ações presenciais ao ambiente digital nas redes sociais.

 

“A pandemia fez o hábito da leitura aumentar no Brasil. A Bienal volta em contexto de mercado aquecido para as editoras e de leitores ávidos pela retomada das feiras presenciais. Ao mesmo tempo, as restrições da pandemia fizeram com que novas soluções digitais fossem criadas para o segmento literário. Este ano trazemos inovação com a plataforma de leitura digital Leiomundo para as escolas”, diz Fagner Vinícius, Gerente de Marketing da Santillana Educação.

 

Livro inédito de Walcyr Carrasco


Entre os principais lançamentos deste ano está a obra Meu Lugar no Mundo, do escritor, dramaturgo, cronista e roteirista Walcyr Carrasco. O livro, publicado pela Moderna, traz à tona um assunto por vezes delicado para o público jovem: suicídio e saúde mental na adolescência.

 

Walcyr conta a história de Aleph, um adolescente que não se encaixa em sua realidade e que é constantemente submetido a comparações com seu irmão Ariel, considerado por seus pais um jovem exemplo. O protagonista questiona seu lugar no mundo e se considera um extraterreste em seu ciclo social, remetendo a dilemas comuns da adolescência, como os sentimentos de pertencimento e auto-aceitação. A trama muda de rumo após Aleph tomar conhecimento de um caso inesperado de suicídio.

 

A obra tem posfácio assinado por Vera Iaconelli, psicanalista, autora, Mestre e Doutora em Psicologia pela USP e colunista do jornal Folha de S.Paulo. Ela destaca o brilhante trabalho de Walcyr ao mostrar as redes de apoio e laços afetivos como condição necessária na transição da adolescência. "Para o jovem, o risco de dar cabo de tudo num gesto impensado não é negligenciável, e o autor acerta ao abordá-lo diretamente, pois sabemos como os números de suicídios de crianças são cada vez mais alarmantes", comenta no posfácio.

 

Autores exclusivos na Bienal


Além da variedade de obras que o leitor poderá encontrar no estande, as editoras Moderna e Salamandra vão promover ao longo do evento sessões de autógrafos com seus autores exclusivos. Eva Furnari, Ilan Brenman, Pedro Bandeira e Walcyr Carrasco receberão seus leitores em horários específicos entre os dias 2 e 9 de julho.

 

Confira a programação:

02/07 às 13h30 -- Eva Furnari

03/07 às 15h -- Ilan Brenman

07/07 às 15 -- Pedro Bandeira

09/07 às 16h -- Walcyr Carrasco


Papo de Mercado


A Santillana Educação também marca presença no Papo de Mercado, um espaço dentro da Bienal onde ocorrerá cerca de 80 palestras ao longo dos nove dias de evento.

 

O primeiro papo será sobre metaverso e educação, com a consultora de Inovação da Santillana, Gabriela Dias, que participa no dia 05/07, às 14h, da palestra Há oportunidades para o setor editorial no Metaverso?

 

Ainda no dia 05/07, às 17h30, a diretora Editorial da Santillana Educação, Maristela Petrili, participa da palestra A Marca do Editor -- Os editores por trás de grandes sucessos editoriais. Ela vai contar um pouco sobre a experiência de editar autores consagrados como Pedro Bandeira e seus clássicos da literatura infantil e juvenil.

 

Por fim, o papo do dia 07/07 será sobre sustentabilidade e contará com a participação do diretor global de Comunicação e Sustentabilidade da Santillana, Luciano Monteiro. Ele participa da conversa ao lado de Manoel Manteigas de Oliveira, da Two Sides. O tema da palestra, marcada para 17h30, é Sustentabilidade e eficácia da mídia impressa: mitos e fatos.


Sobre


Moderna

 

A Moderna, uma das marcas da Santillana Educação, atua há mais de 50 anos com o compromisso de educar para um mundo em constante movimento. Uma empresa que se renova sempre e se reposiciona para atender às demandas reais da educação de hoje. Com uma equipe de autores e especialistas que conhecem primordialmente as necessidades e as particularidades regionais das instituições de ensino brasileiras, a moderna investe em pesquisas, inovações e novas metodologias para criar e produzir conteúdos didáticos, literários e serviços educacionais efetivos. Assim, coloca-se como parceira de secretarias de educação, escolas e famílias, desenvolvendo habilidades, competências e valores para os desafios pessoais e profissionais que estão por vir.


Desde 2001, como parte do Grupo Santillana, presente em 21 países, a Moderna contribui com projetos sociais de fomento à educação em parceria com a Fundação Santillana e outras entidades do setor. Também apoia a formação de professores e gestores, com a realização de cursos, oficinas e seminários gratuitos e a disponibilização de obras de referência para incentivar reflexões e políticas públicas em prol da equidade e da qualidade do ensino público brasileiro. Acesse o site da editora Moderna.

 

Salamandra


Com um catálogo formado por obras de autores brasileiros e estrangeiros para diferentes fases da vida, a Salamandra publica títulos que dialogam com o leitor, desde bebês até jovens leitores, divertindo e provocando a reflexão sobre questões pessoais e do mundo, por meio de uma linha editorial ampla e diversificada.


Incentivar o hábito da leitura e criar uma comunidade de leitores desde cedo é nosso objetivo. Por isso oferecemos títulos que atendem a todos os tipos de gosto: livros cartonados, livros tipo álbum para leitores iniciantes, e, para os maduros, os mais variados temas para encantar e divertir.


Fonte/Fotos-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa 

25ª EDIÇÃO DO FESTIVAL DAS CEREJEIRAS BUNKYOS ACONTECE NOS DOIS PRIMEIROS FINS DE SEMANA DE JULHO, EM SÃO ROQUE

 

O tradicional Festival das Cerejeiras Bunkyo, que acontece há 25 anos na cidade de São Roque, interior de São Paulo, será celebrado nos dias 02, 03, 09 e 10/07 das 10h às 17h. Tendo como principal atração as 400 árvores de cerejeiras floridas, o evento contará com uma programação completa e diversas atrações da cultura japonesa, como apresentação de danças, artes marciais e uma variedade barracas com comidas típicas do Japão. A entrada no evento é gratuita.

Com capacidade para reunir 30 mil pessoas, a organização do evento preparou uma operação de traslado especial para quem estiver na capital paulista. A organização disponibilizará dois ônibus que sairão da sede da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), que fica próxima à estação São Joaquim do Metrô. Com saídas previstas às 08h e às 09h e com previsão de retorno à capital às 16h e 17h, respectivamente, o valor do traslado (ida e volta) é de R$ 50 por pessoa. O evento está sendo organizado pela Associação Cultural de Mairinque, ACE Vargem Grande Paulista, Cotia Seinen, e Associação Mallet Golf Kokushikan.


Além disso, no último final de semana foi comemorado o Dia da Imigração Japonesa no Brasil. Este é um mês muito significativo para a comunidade japonesa presente no nosso País. Para seguir preservando e contando essa história, que completou 114 anos, o Museu Histórico da Imigração Japonesa inaugurou mais um espaço de exposição com a reforma e modernização do nono andar no prédio Bunkyo - Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, localizado no Bairro da Liberdade, em São Paulo.

O novo espaço é dedicado a contar mais sobre a comunidade nipo-brasileira a partir dos anos 50. Aos fãs de mangás, animes e cosplays: uma das atrações é uma exposição inédita de armaduras de heróis pop vindas diretamente do Japão, como as do Jaspion, Jiraya e Ultraman. O Museu da Imigração Japonesa fica na rua São Joaquim, 381 - Liberdade, São Paulo.

Confira a programação completa no link: Link

Serviço 

25.º FESTIVAL DAS CEREJEIRA BUNKYOS


Entrada gratuita


Data e horário| 02 e 03 / 09 e 10 de julho -- 09h às 17h


Local| Parque Bunkyo Kokushikan | Estrada do Carmo, 801 -- São Roque (entrada pela Rod. Bunjiro Nakao Km 48)


Estacionamento| R$40

 

Opção de traslado saindo de São Paulo


Valor | R$50 por pessoa (compra poderá ser feita no mesmo dia)


Local de saída e venda das passagens| R. São Joaquim, 381


Horários| Primeira saída - 08h

Segunda saída -- 09h


Fonte: Assessoria de Imprensa 

BERNA REALE  FAZ BATE-PAPO NESTE SÁBADO (02/07) NA NARA ROESLER SÃO PAULO

 

Em cartaz na Galeria Nara Roesler São Paulo, com ‘Agora: Right Now’, a artista Berna Reale participa de um bate-papo neste sábado (02/07), às 11h30, ao lado de Agnaldo Farias e Silas Marti, com mediação de Vivian Gandelsman. Em sua nova exposição, Berna, conhecida por sua prática performática de contundente discurso político, apresenta um novo corpo de trabalho, entre fotografias, instalações e, pela primeira vez, pinturas. Com curadoria de Claudia Calirman, a mostra permanece em exibição até 23 de julho.

‘Agora’ é uma palavra que comunica a urgência, convocando nossa atenção para os acontecimentos do presente, assim, a escolha do título da terceira individual de Reale na Nara Roesler visa ressaltar a ideia de atualidade. Para isso, Berna Reale busca na linguagem da moda, em suas cores e abordagens publicitárias, as formas para comunicar o modo como a mídia contemporânea lida com a violência. Assim como as passarelas e revistas ditam tendências que serão superadas instantes depois, os veículos de comunicação passam de um crime a outro, sempre com imagens impactantes a serem consumidas pelo público. Por outro lado, a mostra nos lembra que o tempo da violência é também o tempo presente, tendo em vista que, a cada instante, em algum lugar do mundo, alguém é vítima de alguma forma de agressão.

Observando isso, Reale criou uma série de fotografias que poderiam facilmente estar em publicações de moda e outdoors, se não fosse a estranheza dos acessórios que elas parecem anunciar, tais como algemas, em ‘Cabeças raspadas’ (2022), e tornozeleiras eletrônicas, em ‘Ligadas’ (2022) e ‘Acorda Alice’ (2022). Apesar de serem imagens construídas pela artista, Reale não visa celebrar ou estetizar ações abomináveis, justamente por compreender os riscos da banalização da violência. Na realidade, para revelar seus efeitos, apontar os algozes e evidenciar os modos como a violência é fetichizada e espetacularizada na cultura, a artista recorre muitas vezes à alegoria como estratégia, construindo imagens cuja força reside justamente na abertura de sentidos possíveis e na abrangência com que lida com o tema da violência.

Em uma das salas da galeria, revestida – das paredes ao chão – de prateado, encontram-se seis pinturas a óleo sobre chapas de metal, portando representações de corpos violentados. Essas pinturas de Reale são, nas palavras da artista, "sobre a realidade, sem serem realistas". A artista não está preocupada em representar a violência tal como ela a encara em seu trabalho como perita criminal no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Belém, mas de recriá-la de modo a evidenciar a ambiguidade de nossa relação com essas imagens. Como os títulos dos trabalhos apontam – ‘Olhe para mim’‘Ela disse não’‘Desistir’para citar alguns - essas pinturas instauram o fascínio e o horror, o desejo e a abjeção.

Reale apresenta, uma instalação que, assim como O tema da festa (2015), joga com a ambiguidade entre a celebração e a violência. A artista constrói uma mesa, sobre a qual estão dispostas diversas formas de bolo de metal, em diferentes tamanhos e formatos. A superfície imaculada do metal, contudo, é marcada por perfurações que criam representações de armas brancas, criando riscos e reentrâncias que são rastros de gestos agressivos capazes de modificar, de modo incontornável, o material.

Em especial, Reale se debruça sobre temas que lhe são caros: a violência contra identidades subalternizadas em nossa sociedade, como o feminicídio e a lgbtfobia, sem, contudo, se restringir a elas. O que interessa à artista é, por fim, nos retirar do estado de indiferença disseminado pela banalização da mídia. Suas imagens provocadoras têm o poder de nos perturbar e nos acompanhar, mostrando a urgência de lidar com as políticas da violência do presente. Como sintetiza a curadora Claudia Calirman, “ao disparar contra diversas formas de injustiças sociais, o trabalho de Berna Reale tem uma mira certeira. Criando situações limite, sua obra é lúdica ao mesmo tempo em que beira o absurdo, causando espanto e desconcerto. O tempo retratado por Reale na exposição Agora: Right Now ‘ é o presente impregnado da violência que está em todo lugar, profanando e devastando o aqui e agora”.

Sobre

Artista

Berna Reale é uma das artistas mais importantes no cenário brasileiro atual, sendo reconhecida como uma das principais expoentes da prática de performance no país. Reale iniciou sua carreira artística no começo da década de 1990. Seu primeiro trabalho de grande impacto, Cerne (25º Salão Arte Pará, 2006), intervenção fotográfica realizada no Mercado de Carne do Complexo do Ver-o-Peso, conduziu a artista ao Centro de Perícias Renato Chaves, onde passou a trabalhar como perita a partir de 2010.

 

Desde então, Reale tem explorado seu próprio corpo como elemento central da produção de suas performances, fotografias e vídeos. Seus trabalhos, marcados pela abordagem crítica aos aspectos materiais e simbólicos da violência e aos processos de silenciamento presentes nas mais diversas instâncias da sociedade, investigam a importância das imagens na manutenção de imaginários e ações brutais. A potência de sua produção reside na contraposição entre o desejo de aproximação e o sentimento de repulsa, ressaltando a ironia que resulta da combinação entre o fascínio e a aversão da sociedade pela violência. A fotografia, nesse contexto, desempenha um papel fundamental. Ela não é apenas o meio de registro de suas ações, capaz de perpetuá-las, mas um desdobramento de seu processo de criação.

 

Nascida em Belém do Pará, em 1965, Berna Reale vive e trabalha em sua cidade natal. Algumas de suas exposicões individuais recentes incluem: While You Laugh, na Galeria Nara Roesler (2019), em Nova York, Estados Unidos; Festa, no Viaduto das Artes (2019), em Belo Horizonte, Brasil; Deformation, no Bergkirche (2017), e Berna Reale – Über uns / About Us, na Kunsthaus (2017), ambas em Wiesbaden, Alemanha; Berna Reale: Singing in the Rain, no Utah Museum of Contemporary Art (UMoCA) (2016), em Salt Lake City, Estados Unidos; Vazio de nós, no Museu de Arte do Rio (MAR) (2013), no Rio de Janeiro, Brasil. Entre mostras coletivas recentes, encontramos seus trabalhos na: 3ª Beijing Photo Biennial, China (2018); 56ª Bienal de Veneza, Itália (2015); além de Brasile. Il coltello nella carne, no Padiglione d’Arte Contemporanea Milano (PAC-Milano) (2018), em Milão, Itália; Video Art in Latin America, II Pacific Standard Time: LA/LA (II PST: LA/LA), no LAXART (2017), em Hollywood, Estados Unidos; Artistas comprometidos? Talvez, na Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) (2014), em Lisboa, Portugal. Suas obras fazem parte das coleções do: Instituto Itaú Cultural, São Paulo, Brasil; Kunsthaus Wiesbaden, Wiesbaden, Alemanha; Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), São Paulo, Brasil; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio), Rio de Janeiro, Brasil; e JW Collection, Atlanta, Estados Unidos.


Galeria Nara Roesler

Nara Roesler, uma das principais galerias de arte contemporânea do Brasil, representa artistas brasileiros e latino-americanos influentes da década de 1950, além de importantes artistas estabelecidos e em início de carreira que dialogam com as tendências inauguradas por essas figuras históricas. Fundada em 1989 por Nara Roesler, a galeria fomenta a inovação curatorial consistentemente, sempre mantendo os mais altos padrões de qualidade em suas produções artísticas. Para tanto, desenvolveu um programa de exposições seleto e rigoroso, em estreita colaboração com seus artistas; implantou e manteve o programa Roesler Hotel, uma plataforma de projetos curatoriais; e apoiou seus artistas continuamente, para além do espaço da galeria, trabalhando em parceria com instituições e curadores em exposições externas. A galeria duplicou seu espaço expositivo em São Paulo em 2012 e inaugurou novos espaços no Rio, em 2014, e em Nova York, em 2015, dando continuidade à sua missão de proporcionar a melhor plataforma possível para que seus artistas possam expor seus trabalhos.

Serviço 

Berna Reale

Bate-papo

Data: 02/07 (sábado)

Horário: 11h30

Com Agnaldo Farias, Silas Marti

Mediação:  Vivian Gandelsman

Agora: Right Now

Exposição: até 23 de julho de 2022

Horário: Segunda a Sexta, de 10h às 19h / Sábado, de 11h às 15h

Nara Roesler

Av. Europa 655 – Jardim Europa

Tel: 11 2039 5454

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa 

MELIM ESTREIA PROJETO ACÚSTICO HÍBRIDO DO TEATRO BRADESCO

 


Após o sucesso das lives durante a pandemia, que contou com grandes nomes como Alexandre Pires, Alok, Leandro Karnal, Maurício de Sousa e Turma da Mônica, Alceu Valença, Gal Costa, Raça Negra, Elba Ramalho, entre muitos outros, o Teatro Bradesco lança agora o projeto Teatro Bradesco Acústico, que promoverá uma série de shows presenciais com consagrados artistas da música brasileira em inédito formato acústico, sob a curadoria da Universal Music Brasil.

A banda Melim, que faz a estreia do projeto, empolgou a noite da última quinta-feira (23/6) com sucessos de seu mais novo trabalho, "Deixa Vir do Coração" (com regravações de músicas de Djavan) e também outras releituras e grandes hits de seu repertório autoral. Mais de 20 músicas embalaram a plateia convidada, incluindo “Possesiva”, “Amores e Flores”, “Eu Feat. Você”, “Gelo”, “Ouvi Dizer” e “Meu Abrigo”, além de um medley com canções da reggae music.

 

A direção geral de gravação foi de Otávio Juliano. O show na íntegra está disponível até 29/7 no YouTube do Teatro: Link

 

Sobre


Melim


Nascidos em Niterói, os irmãos Rodrigo, Diogo e Gabi formam a Melim. Donos de diversas músicas de sucesso no Brasil, como “Meu Abrigo”, “Ouvi Dizer”, “Gelo” e “Eu Feat. Você”, eles se aventuram na música desde cedo. Uniram-se para cantar em um festival e, desde então, nunca mais se separaram.

 

Após o sucesso de "Melim", primeiro álbum da banda, eles gravaram "Eu Feat. Você", que foi indicado ao Latin GRAMMY 2020 na categoria "Melhor Álbum de Língua Portuguesa". E no início de 2021, lançaram "Amores e Flores", que contém as faixas “Possessiva”, “O Bem”, releitura do sucesso do cantor e compositor Arlindo Cruz e “Amores e Flores”, música que carrega o nome do álbum e que presenteou a banda com a indicação ao Latin Grammy 2021 na categoria "Melhor Canção em Língua Portuguesa".

 

Melim lançou também "Deixa Vir Do Coração", álbum com 13 faixas em homenagem ao grande nome da música brasileira Djavan, contendo sua participação na faixa "Outono". Para 2022, a banda prepara grandes surpresas ao público, incluindo um álbum inédito no segundo semestre

 

Bradesco e a cultura


Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Além do Teatro Bradesco, o banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. O banco também mantém o Bradesco Cultura, plataforma digital que reúne conteúdo relacionado às ações culturais que contam com o patrocínio da instituição. Visite no site.

 

Opus Entretenimento


Celebrando 45 anos em atividade, a Opus Entretenimento acredita no poder transformador da tríade cultura, conteúdo e experiência, trazendo ao Brasil grandes artistas nacionais e internacionais. Administradora de teatros pelo Brasil nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste, também faz a gestão artística de importantes nomes da música e do entretenimento brasileiro como Luccas Neto, Daniel, Maurício Manieri, Seu Jorge, Alexandre Pires, Hello Adele Tribute e Sinatra 1915 Tribute.


Foto/Crédito: Claudemir De Santi


Fonte: Assessoria de Imprensa 

sexta-feira, 1 de julho de 2022

ENCONTRO: “MOBILIZADORES DE FUTUROS" EM APOIO A CAUSA DO CEFEC SERÁ REALIZADO DIA 19 DE JULHO NA MAISON BLU'NELLE

 

O Encontro: “Mobilizadores de Futuros" em apoio a causa do CEFEC será realizado dia 19 de julho, terça-feira,  às 19h, na Maison Blu'nelle.

SOBRE

ENCONTRO: “MOBILIZADORES DE FUTUROS"

Há 15 anos nós transformamos a realidade de muitas crianças, adolescentes e jovens que vivem em situação de vulnerabilidade no estado da Paraíba, através de oficinas pedagógicas e cursos profissionalizantes, estimulando o desenvolvimento educacional e proporcionando uma vida digna para essas famílias.

Em 19 de julho, estaremos realizando o Encontro: “Mobilizadores de Futuros", uma ação filantrópica com objetivo de arrecadar fundos para que o nosso projeto social continue crescendo.

No Encontro teremos a palestra do Presidente da MCF Consultoria, Carlos Ferreirinha e apresentação da nossa Orquestra e Coral CEFEC. 

CEFEC

O Centro de Formação Educativo Comunitário (CEFEC) promove atendimentos educativos, sociais, preventivos e profissionais a crianças, adolescentes, Jovens e famílias em situação de risco e vulnerabilidade social.

O CEFEC nestes 15 anos, já atendeu mais de 5.300 crianças e adolescentes dos 5 aos 13 anos e mais de 10.000 (dez mil) adolescentes, jovens e adultos ,bem como promoveu a formação de diversos educadores sociais, tornando se assim, referência na luta pela promoção e defesa de vidas na comunidade.

O Encontro Mobilizadores de Futuros é uma ação filantrópica com o objetivo de sensibilizar as pessoas a contribuir com o projeto social CEFEC. A instituição atua há 15 anos, no Bairro de Marcos Moura, na cidade de Santa Rita, transformando a realidade de crianças, adolescentes, jovens e famílias que vivem em situação de vulnerabilidade, através de oficinas pedagógicas e cursos profissionalizantes, promovendo e estimulando o desenvolvimento do ser em sua plenitude, através de uma ação educativa capaz de proporciona lhes uma vida digna e a perspectiva de um futuro melhor. A busca por doadores permanente é o principal desafio para a instituição se manter firme no cumprimento da sua missão: Promover e Defender Vidas.

Carlos Ferreirinha

Presidente e fundador da MCF Consultoria, Líder, gestor, pensador estratégico, advisor, palestrante, colunista, formador de opinião, influencer, visionário. Carlos Ferreirinha possui vasta experiência internacional e é o mais jovem em posição executiva na EDS Electronic Data Systems onde atuou na área administrativa, apoio ao cliente e vendas. Embaixador EDS de Marketing Global morando nos EUA e Diretor de Marketing,  Comunicação e Novos Negócios operação Brasil. Diretor de Marketing, Comunicação e Novos Negócios da Louis Vuitton Caribe, América Latina e Brasil, finalizando como CEO da operação Brasil sendo o mais jovem executivo em posição de Presidência no Grupo LVMH.

Fundador da MCF Consultoria atuação líder em Gestão do Luxo na América Latina, Brasil, Portugal e África. Sócio Fundador da BENTO STORE, tida entre as mais inovadoras do mundo e criador da ABRAEL Associação das Marcas de Luxo.

Orquestra e Coral CEFEC

A apresentação da orquestra e coral, tem o objetivo de apresentar uma das atividades realizadas na Instituição. O repertório selecionado é composto por músicas clássicas e músicas populares brasileiras.

SERVIÇO 

Data: 19/07/2022

Horário: 19h00

Local: Maison Blu’Nelle

Endereço: R Adália Suassuna Barreto, 65 - Pedro Gondim

Clique já no link 👉​ https://bit.ly/cefec2022

Fonte: Gerardo Rabello -  https://instabio.cc/4042917eWHIpR





POVOADO DO CAPIM FROUXO ESTREIA HOJE NO TEATRO SANTA CATARINA, EM CABEDELO

 

 

Tem estreia nesta sexta-feira, 1°, no Teatro Santa Catarina, em Cabedelo. A Comédia O Povoado do Capim Frouxo fica em cartaz de hoje até domingo, às 20h00, com ingressos ao preço de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). Mais informações pelo fone: (83) 99940-1172.

De acordo com autor, Erivan Lima, que também está no elenco, a comédia se passa em meados do século passado, e um narrador misterioso, junto a sua rabeca, apresenta uma bela história.

O tempo passou, e o Povoado cresceu. Eis que o Coronel Lola é prefeito da cidade e futuro deputado federal, mas os dias ficaram difíceis para ele… Um certo Manoel Sebastião, que ninguém sabe como apareceu por lá, está presente em cada fuxico, em cada confusão; ao lado de seu amigo e companheiro de infância, Raimundinho, Mané Bastião faz Capim Frouxo virar um caldeirão de confusão.

Entraxem cena o padre! O padre Epitácio, na sua igreja defendendo seus fiéis, é louco por dinheiro; Pastor José Vicente, evangélico, na sua igreja com sua nova convertida Justina, a cada dia tenta ganhar mais almas, sempre defendendo seus irmãos e, também, louco por dinheiro.

O delegado Zacarias, o valentão, tenta contornar a situação, pois, vez ou outra, está investigando quem tem olhado a filha do Coronel tomar banho no riacho. A Belinha, bela, mais que bela, mexe com muitos corações — menina inocente do interior, que desperta o desejo e o amor dos sonhadores que tentam conquistá-la.

Ambrosina, a charmosa sedutora! Amante do dinheiro! Toda cidade de interior tem aquela mulher que acalenta os corações machucados e, inclusive, realiza as fantasias mais secretas dos homens de Capim Frouxo. Na sua pensão, tem Zefa Gaga, que tenta encontrar o príncipe encantado e gosta de cuidar do estabelecimento da patroa; ela é o braço direito da Ambrosina.

Quando se fala de Coronel, iremos sempre ter uma comparação com um tirano que quer ser o mandão; falaremos dos Padres, dos Pastores que sempre querem se dar bem, dos Delegados metidos a valentões, das inocentes que neste mundo ainda existem e das mulheres que lutaram pelo seu espaço de direito, por sua liberdade e contra os preconceitos. Por fim, há também os trambiqueiros ou malandrões que, por motivos sociais, são obrigados a passar ou criar situações constrangedoras: “Manoel Sebastião” e “Raimundinho”, esses dois personagens representam os menos favorecidos deste mundo, eles são os excluídos,  aqueles que não têm oportunidades de um futuro melhor.

Capim Frouxo é o lugar que todo mundo gostaria de morar! Tem Cigana que o mistério se fez lançar; tem Delegado que gosta de proteger; tem cachorro que leva culpa sem merecer; tem Padre e Pastor que gostam de dinheiro fácil ganhar; tem Justina, que quer se converter; tem Ambrosina, que gosta do prazer espalhar; Zefa Gaga, que gosta de ajudar; Coronel que gosta de mandar; Belinha, que gosta de amar; Raimundinho, que não gosta de confusão criar e tem Manoel Sebastião, que ora é herói, ora é vilão.

Uma história com muito riso e mistério. Vale a pena conferir!

FICHA TÉCNICA

Produção de Itamê Júnior

Elenco:

Erivan Lima
Hermano Queiroz
Alcemy Araújo
Marcos Vinicius
Aymê Vasconcelos
Puama Sheila
Sebastião Formiga

Direção Musical: Ademilton Barros

Iluminação: Nilson Silva

Sonoplastia: Sudailson

Texto da assessoria do espetáculo. Fotos: Divulgação - Fonte: POVOADO DO CAPIM FROUXO estreia hoje no Teatro Santa Catarina, em Cabedelo https://bafafanoticias.com.br/povoado-do-capim-frouxo-estreia-hoje-no-teatro-santa-catarina-em-cabedelo/

ESPETÁCULO NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS, DE AUGUSTO CURY, FAZ ÚNICA APRESENTAÇÃO EM JOÃO PESSOA, NESTE SÁBADO, NO TEATRO PAULO PONTES

 

Espetáculo NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS, de Augusto Cury, faz única apresentação em João Pessoa, neste sábado, 02 de julho, às 20h, no Teatro Paulo Pontes.

Considerado o psiquiatra mais lido do mundo nas últimas duas décadas, com 35 milhões de livros em mais de 60 países, Augusto Cury é autor do livro Nunca Desista de seus Sonhos, título que ganha versão teatral adaptada pelo próprio Augusto e Cristiane Natale - também roteirista dos espetáculos de sucesso O Vendedor de Sonhos e O Homem Mais Inteligente da História - e produção de Luciano Cardoso, da Applaus, responsável pelas duas montagens citadas acima. 

A direção é de Rogério Fabiano e o elenco é formado por Myrian Rios, Nizo Neto, Mari Feil e Murilo Cunha.

Myrian Rios comemora estar no elenco do espetáculo: “Sempre fui admiradora de Augusto Cury. Desde o nosso primeiro encontro, na TV Canção Nova, acompanho sua trajetória e coloco em prática seus ensinamentos através dos livros”. Para

Para o diretor Rogério Fabiano, o objetivo da montagem é que o público saia motivado a buscar a felicidade. “Em cena, coloquei emoção e humor para contar a bela história que é Nunca Desista de seus Sonhos”. 

Sobre o espetáculo

Você compreende a fundo o que significa sonhar e por que é vital que nunca desista de seus sonhos? Sonhar pode ser interpretado como uma maneira de busca pela felicidade, mas que comportamentos podem garantir sua conquista?

(Augusto Cury)

No espetáculo Nunca Desista de seus Sonhos, a psiquiatra Camila, enquanto estudante de medicina, assiste a uma palestra de Dr. Augusto Cury e toma a decisão de seguir os seus ensinamentos. Apesar de almejar uma especialização fora do País, protela a realização por vários motivos. 

A profissional é muito apaixonada pela sua área e auxilia seus pacientes, estimulando-os ao contar como homens brilhantes da história fracassaram e, ainda assim, foram persistentes e não desistiram de seus propósitos.

A psiquiatra expõe seu lado humano ao confessar que tem um filho viciado em tecnologias e jogos digitais. Sua experiência com a problemática tão presente na atualidade faz parte do enredo. Ela também trabalha temas como depressão e ansiedade. Para superar seus desafios, Camila tem como aliada sua estagiária Helena, recém-formada em medicina psiquiátrica.

A peça tem como pano de fundo passagens da vida do Dr. Augusto Cury, fonte de inspiração da protagonista. “Um espetáculo que pode ressignificar ou até despertar novos olhares sobre seu projeto de vida com personagens vibrantes e divertidos”, observa Cristiane Natale.

Ficha Técnica


Adaptação: Augusto Cury e Cristiane Natale


Direção: Rogério Fabiano


Elenco: Myrian Rios, Nizo Neto, Mari Feil, Murilo Cunha


Direção Geral de Produção: Luciano Cardoso


Produção Executiva: Mari Feil


Cenário e Criação de Luz: Rogério Fabiano


Técnico de som e luz: Agnaldo Nicoleti


Trilha Sonora: Amanda Anunciato


Figurino: Tina França


Coordenação de Operações: Andressa Pagnussat


Social Media: Jéssica Branco


Design Gráfico: Lucas Peixoto


Gestão Tráfego Digital: AT Marketing Digital


Assessoria de Imprensa: Pombo Correio


Assessoria Jurídica: Ranzolin – Propriedade Intelectual


Promoção: Dreamsellers 

Realização: Applaus

Gênero: Drama


Classificação: 12 anos

Duração: 75 min


Serviço


Dia: 02 de julho - sábado


Horário: 20h


Teatro Paulo Pontes 
R. Abdias Gomes de Almeida, 800 - Tambauzinho - João Pessoa/PB

Ingressos de R$ 60.00 a R$ 120.00 - https://www.ingressodigital.com/evento/4850/Nunca_Desista_de_Seus_Sonhos

Produção local: @incenaproducoes e @dearteproducoes

Fonte: Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 30 de junho de 2022

TV RÁ TIM BUM PREPARA DUAS ESTREIAS PARA O MÊS DE JULHO

 


O mês de julho na TV Rá Tim Bum, canal dedicado à programação infantil da Fundação Padre Anchieta, está repleto de novidades para as crianças. No dia 2, estreia Mundo Ripilica -- As Aventuras de Lilica, a Coala, no ar de segunda a sexta, às 11h30 e 18h10, e aos sábados e domingos, às 13h e 17h50. E dentro da Faixa Musical Rá Tim Bum, tem dois clipes novos do Mundo Aflora: A Fabulosa Aventura Pela Face e Funga Aláfia.

Em O Mundo Ripilica, as crianças se divertem no lugar em que o sonho e a brincadeira viram realidade. Lilica ganha vida em companhia de Donna e juntas vivem maravilhosas aventuras. Todas as brincadeiras, desejos e sonhos infantis habitam esse lugar, ganham vida e cores próprias. A direção é de Humberto Avelar.

E ao longo da programação, o público confere o clipe musical A Fabulosa Aventura Pela Face, que narra uma aventura pelas partes da face humana, como a boca, os olhos, nariz e ouvidos. Além de Funga Aláfia, canção de saudação e boas-vindas de origem tradicional do oeste africano. A direção é de Francisco de Paula Medici Neto.


Fonte/Imagem: Assessoria de Imprensa