domingo, 7 de setembro de 2014

EDIÇÃO DE AGOSTO DO CORREIO DAS ARTES TEM COMO MATÉRIA DE CAPA ENSAIO DO CRÍTICO DE CINEMA E LITERATURA JOÃO BATISTA DE BRITO

O jornal A União no domingo passado (31 de agosto), lançou a edição de agosto do Correio das Artes, tendo como matéria de capa ensaio do crítico de cinema e literatura João Batista de Brito sobre a tradução de poemas de Augusto dos Anjos (1884-1914) para o alemão.

A coletânea bilíngue (português/alemão) Augusto dos Anjos: Monólogo de uma sombra – Monolog eines Schattens, uma publicação do Instituto Cultural Brasileiro na Alemanha (ICBRA), tem seleção de textos e organização de Carlos Alberto Azevedo, tradução de Helga Reek e revisão de Marli Woll-Tienes.

João Batista não procede a uma análise detalhada de todos os poemas reunidos pela equipe coordenada por Carlos Alberto. Escolhe apenas um poema – “A árvore da serra (“Der Baum des Gebirges”, em alemão) -, para exercitar seus conhecimentos de português, alemão e literatura - acima de tudo, de poesia.

A grande novidade desta edição é Tem um jacaré no meu quarto, uma história em quadrinhos infantil inédita, com roteiro do jornalista e crítico de cinema Barreto Neto (1934-2000) e desenhos do artista plástico Tonio, ilustrador de A União. A reportagem é assinada pelo jornalista Guilherme Cabral.

O jornalista e poeta Linaldo Guedes assina um artigo sobre a luta quixotesca de Ariano Suassuna (1927-2014) contra o imperialismo norte-americano, além de comentar o lançamento do livro Augusto dos Anjos em quadrinhos (Editora Patmos), com roteiro de Jairo Cézar e ilustrações de Luyse Costa.

O professor e poeta Hildeberto Barbosa Filho analisa o romance latino-americano dos anos 60, época de Paradiso (Lezama Lima), O reino deste mundo (Alejo Carpentier), O jogo da amarelinha (Julio Cortázar), Grande sertão: veredas (Guimarães Rosa) e Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez).

O poeta, ensaísta, tradutor e professor Marco Lucchesi, da Academia Brasileira de Letras (ABL), presta uma homenagem ao escritor baiano João Ubaldo Ribeiro, que faleceu no dia 18 de julho deste ano. Ubaldo é autor de pelo menos dois livros magistrais: Viva o povo brasileiro e Sargento Getúlio.

O novo livro do poeta Sérgio de Castro Pinto, A flor do gol, é tema da coluna do professor e crítico de literatura Expedito Ferraz. Para Expedito, “a figura que definiria a poesia de Sérgio seria a de um objeto estranho, que hesitasse entre o funcionamento de um caleidoscópio e o de um ganzá”.

O escritor W. J. Solha entrevista o artista plástico Sérgio Lucena, atualmente radicado em São Paulo (SP). Fases, influências e transcendências são temas abordados nas conversas que Sérgio e Solha mantiveram via correio eletrônico, e que acabaram por configurar a entrevista.

Na coluna “duas palavras”, o jornalista e escritor William Costa, editor do Correio das Artes, discorre sobre os caminhos trilhados por Sérgio Lucena, a partir da Grande Pedra Sertaneja, para obter autoconhecimento através da arte. Descer ao inferno e subir ao céu de si mesmo são etapas dessa caminhada.

Quando o assunto são as relações não tão perigosas assim entre futebol e literatura, ninguém melhor para discuti-lo que o professor e jornalista Edônio Alves. Nesta edição, ele comenta o conto “O goleiro Leleta”, do escritor baiano Cyro de Mattos, que integra o livro Contos brasileiros de futebol.

O poeta Cláudio Limeira, ex-editor do Correio das Artes, participa desta edição com o conto inédito “Quadro da discórdia”. O autor narra a divertida história de uma tela de muito mau gosto, cuja venda foi imposta quase à força por um amigo pintor, e que quase leva seu proprietário à loucura.

O professor, poeta e ensaísta Carlos Newton Júnior narra a viagem que fez com o fotógrafo Gustavo Moura e o poeta Alexei Bueno viajaram, de carro, do Recife a Buíque, sertão de Pernambuco, para conhecerem Manoel Dantas Loiola, o cangaceiro “Candeeiro”, do bando de Lampião.

No segundo capítulo da série “Anotações sobre romances”, o professor e crítico de literatura Rinaldo de Fernandes comenta O tigre na sombra, da escritora Lya Luft. “O livro de Lya Luft tem força e se impõe pela linguagem bem elaborada, pelo estilo enxuto, exato”, destaca ele.

SOBRE

JORNAL A UNIÃO

O jornal A União foi fundado em 2 de fevereiro de 1893. Superintendente: Albiege Fernandes. Diretor Administrativo: Murillo Padilha Câmara Neto. Diretor Técnico: Gilson Renato. Editor Geral: Walter Galvão. Chefe de Reportagem: Conceição Coutinho. Editor do Correio das Artes: William Costa

CORREIO DAS ARTES

O Correio das Artes é um suplemento cultural do jornal A União, da imprensa oficial do Estado da Paraíba. Foi fundado em 27 de março de 1949 pelo jornalista pernambucano Edson Régis. Em 1981, recebeu o prêmio de melhor publicação cultural da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

O Correio das Artes recebe colaborações gratuitas de escritores, artistas, professores e estudantes do país e do exterior (desde que em língua portuguesa), em gêneros como poesia, prosa, crônica, ensaio, artigo e reportagem. A publicação de textos depende de análise do conselho editorial.

Para informações, críticas, elogios e sugestões, enviar mensagem para: editor.correiodasartes@gmail.com

Fonte: William Costa


Nenhum comentário:

Postar um comentário