segunda-feira, 19 de março de 2018

BALLET DU CAPITOLE DE TOULOUSE ABRE A TEMPORADA DE DANÇA 2018 DA DELL’ARTE


O Ballet du Capitole de Toulouse foi formado há 250 anos e não somente manteve a tradição do grande repertório clássico e neoclássico, mas também se abriu à diversidade de estéticas, dando grande ênfase às criações contemporâneas. A tradição e a modernidade do seu repertório é também inspiração na formação do seu corpo de baile de 35 bailarinos de 12 nacionalidades diferentes. Atualmente sob a direção de Kader Belarbi, o Ballet du Capitole, orgulho da França contemporânea e das grandes tendências, oferece a cada temporada um novo balé vivo e vibrante.

Nesta turnê brasileira, o Ballet du Capitole trará o espetáculo “Nos Passos de Nureyev “para três cidades do Brasil: estreia no Rio de Janeiro, nos dias 5 a 7 de abril, no Theatro Municipal, depois segue para São Paulo, nos dias 10 e 11 de abril, no Teatro Alfa e encerra a turnê em Curitiba em uma única apresentação, dia 14 de abril, no Teatro Guaíra.

“Nos Passos de Nureyev “é uma série de coreografias refinadas e modernas concebidas por Rudolf Nureyev. A figura do grande bailarino que encantou o mundo na segunda metade do século XX se consagra e se eterniza em suas coreografias vibrantes, onde a técnica secular do balé russo, que continua até hoje uma referência para a dança clássica, soma-se a uma sensualidade e beleza estética sem iguais.

O grupo Bradesco Seguros apresenta a turnê brasileira do Ballet du Capitole de Toulouse, que faz parte do Circuito Cultural Bradesco Seguros com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Accenture por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. O Circuito apresenta para o público brasileiro um calendário diversificado de eventos artísticos com espetáculos nacionais e internacionais de grande sucesso, em diferentes áreas culturais, como dança, música erudita, artes plásticas, teatro, concertos de música, exposições literárias e grandes musicais.

Realizada pela empresa Dell´Arte, a turnê conta com o patrocínio de Furnas, Windsor Hotéis e Aliança.

A Temporada de Dança Dell’Arte 2018 apresenta para o público um calendário diversificado de eventos, com espetáculos internacionais de grande sucesso. Além do Capitole de Toulouse, virão ao Brasil este ano a Maria Pagés Compañia, em maio, criadora premiadíssima que, a partir do início de carreira com o grande mestre Antonio Gades, desenvolveu uma linguagem própria, poderosa e marcante pela personalidade singular; o Ballet de Santiago, em agosto, uma das companhias mais conceituadas do mundo com os mais criativos coreógrafos de nosso tempo; e o eVolution Dance Theater, em outubro, que completa 10 anos em 2018 e que já ultrapassou os limites da dança, criando obras baseadas na fusão do balé contemporâneo com outras expressões artísticas como teatro, atletismo, ilusionismo e vídeo-arte.

SOBRE

BALLET DU CAPITOLE

Ao longo de mais de dois séculos, a atividade do Ballet du Capitole acompanha inteiramente a da arte lírica, enquanto “divertissement” dos balés de óperas. Foi necessário esperar a chegada de 1949 para que acontecessem as primeiras apresentações inteiramente dedicadas à dança. Isto se deu graças a Louis Orlandi, mestre de balé e coreógrafo. O Ballet du Capitole passa, enfim, a programar espetáculos dedicados à criação coreográfica. Conhece, então, expressivos sucessos com seus diretores de dança: Louis Orlandi (1949-1954 e 1963-1978), Juan Guiliano (1978-1984), Jacques Fabre (1984-1994) e Nanette Glushak (1994-2012).

Em agosto de 2012, Kader Belarbi, coreógrafo e bailarino estrela, assume a direção da dança no Théâtre du Capitole. Passa, então, a ser escrita uma nova página para o Ballet du Capitole, feita de preservação do repertório clássico e neoclássico, e de uma grande abertura para a criação contemporânea.

O projeto artístico trazido por Kader Belarbi é o de abrir essa companhia clássica, integrada por 35 bailarinos, a todas as linguagens corporais da atualidade e manifestações da diversidade da arte coreográfica.

Tradição e modernidade resumem a vocação do Ballet du Capitole, com a ambição de oferecer, a cada temporada, o reflexo de um balé vivo, alinhado com seu tempo, aberto a todos.

O PROGRAMA: NOS PASSOS DE NUREYEV

Concebido por Kader Belarbi, “Nos Passos de Nureyev” pretende, ao mesmo tempo, uma antologia das coreografias de Nureyev e dos papéis nos quais o bailarino notabilizou-se particularmente. O programa de balés abre com a hipnótica e fantasmagórica procissão das Sombras, do 3º ato de La Bayadère. Trata-se de um símbolo nesta homenagem a Rudolf Nureyev, que considerava ser este ato, O Reino das Sombras, a obra-prima absoluta de Marius Petipa, seu coreógrafo favorito.

A Bela Adormecida é uma outra obra-chave na carreira de Nureyev, que a qualificava de “balé dos balés”. Grande sucesso de Marius Petipa, este balé é ainda a última expressão do estilo clássico do Mariinsky de São Petersburgo. O Pas de deux do 3º ato, entre Aurora e o Príncipe Désiré, também conhecido como Pas de deux do Casamento, é uma síntese de precisão clássica, virtuosismo, nitidez técnica e de uma elegância insuperável.

A cena de amor do 1º ato do Romeu e Julieta de Nureyev corresponde à tradicional cena do balcão. Na saída do baile, Romeu e Julieta se encontram à noite, no jardim dos Capuleto, e trocam juras de amor. De um lirismo exacerbado, esta cena é particularmente desafiadora para os bailarinos, devido a sua longa duração e por trazer uma abundância de passos, que devem ser encadeados quase sem respiração.

Nureyev revitalizou o balé da segunda metade do século XX. Seus preceitos e suas intenções ressoam ainda hoje. Ele dizia, por vezes: “Quando anoitece, não sei o que fazer de mim se não estiver no palco”. Essa noite de balés é um reencontro com Nureyev e um acontecimento para o Ballet du Capitole.

KADER BELARBI (DIRETOR DA DANÇA)

Admitido na Escola de Dança da Ópera de Paris em 1975, Kader Belarbi era, cinco anos depois, contratado para o corpo de baile. Nomeado Quadrilha em 1981, Corifeu em 1984, e solista no ano seguinte, escalou com brio todas as etapas. Em 1988 recebeu o prêmio da AROP (Association pour le Rayonnement de l’Opéra de Paris) e foi promovido a Primeiro Bailarino. Um ano mais tarde passa à categoria de Estrela, com o papel de Pássaro Azul em A Bela Adormecida, de Rudolf Nureyev, e recebe o Prêmio Nijinsky.

Seu percurso testemunha uma abertura a todos os estilos. Dançou numerosos balés do repertório da Opéra National de Paris e se mantém conectado à dança contemporânea. Foi notadamente associado a numerosas criações mundiais, assinadas por grandes coreógrafos de diferentes estéticas, como Roland Petit, Rudolf Nureyev e John Neumeier. Também coreógrafo, Kader Belarbi é autor de várias criações: “Giselle et Willy” (1991), “Salle des pas perdus” (1997), “Les Saltimbanques” (1998), “Harlevent (2002)”; para o Ballet de l’Opéra de Paris: “Les Épousés” (2004), “La Bête et la Belle” (2005); para os Grands Ballet Canadiens: “Entrelacs” (2007); e para o Balé Nacional da China “O Mandarim Maravilhoso” (2007).

Kader Belarbi se distingue por uma inesgotável curiosidade e por um renovado apetite por aventuras dançadas. Em 2004 recebe o Prêmio da Criação Artística. Em 2006 é feito Oficial das Letras e Artes e Cavaleiro da Ordem Nacional do Mérito; em 2008 torna-se Cavaleiro da Legião de Honra.

PROGRAMA

La Bayadère,

No reino das sombras – 3º ato

A Bela Adormecida,

Pas de deux – 3º ato

Romeu e Julieta,

Cena de amor – 1º ato

O Lago dos Cisnes,

Pas de trois do Cisne Negro – 3º ato

Dom Quixote – 3º ato

Fonte/Foto-reprodução/divulgação: Assessoria de Imprensa – Legenda: Ballet du Capitole de Toulouse é a primeira atração da Temporada de Dança Dell’Arte 2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário