terça-feira, 2 de julho de 2019

PROTESTE FAZ ALERTA SOBRE QUANTIDADE DE SÓDIO EM ALIMENTOS


Desde 2001, ano em que a PROTESTE, Associação de Consumidores, foi criada, inúmeros testes foram realizados em alimentos com o objetivo de proteger o consumidor e produtos prejudiciais à sua saúde.

Dentre os problemas detectados no setor alimentício, o excesso de sódio foi um dos mais relevantes. Por exemplo, o macarrão instantâneo chegava a ter 90% da quantidade de sódio que um adulto pode consumir por dia, os combos infantis (fast food) ofereciam 400% do sódio que crianças entre 1 e 3 anos necessitam diariamente.

Por isso, a PROTESTE sempre buscou, e ainda busca junto ao governo a fiscalização da indústria alimentícia bem como uma mudança de postura por parte dos fornecedores, visando proteção dos consumidores.

E como consequência dessas reivindicações, houve a criação de acordo de cooperação assinado junto à Associação Brasileira das Indústrias de Alimento (Abia) e o Ministério da Saúde para a redução gradual e em etapa da quantidade de sal nos alimentos, bem como instituído um Fórum de discussão, que estabelece como meta de trabalho a redução gradual e sustentável do consumo de sal na dieta com o objetivo de alcançar metas internacionais recomendadas de consumo inferior a 5g/pessoa/dia para o ano de 2020.

E no ano passado, 14.893 toneladas de sódio foram retiradas dos alimentos industrializados, entre eles, margarinas, cereis matinais, caldos e temperos, com base nesse acordo, segundo o Ministério da Saúde.

No último dia 13, foi anunciada uma nova etapa que reafirma o acordado anteriormente junto a ABIA para os próximos cinco anos (2017 e 2022), cujo foco é retirar sódio de pães, bisnaguinhas e massas instantâneas, com o propósito de reduzir um total de 28,5 mil toneladas da substância até 2020.

Vale lembrar que o consumo excessivo de alimentos com sódio aumenta as chances de hipertensão, infarto e problemas renais. É sempre importante conferir o rótulo dos alimentos consumidos e preferir comida in natura ao invés de alimentos processados.

Confira seis dicas de saúde da PROTESTE para uma alimentação mais saudável e com menos sódio:

• Leia atentamente o rótulo dos alimentos. Verifique se o percentual de sódio, gordura e açúcar, são representativos na sua dieta. Por exemplo, se o sódio corresponder a 70% da ingestão diária recomendada, é preciso ter atenção redobrada.

• Evite a todo custo consumir produtos ultra processado, como frango empanado, alimentos congelados prontos como pizzas e tortas e doces.

• Prefira sal marinho ao sal refinado comum. Existem também versões que tem baixo sódio, com redução de até 50% do mineral, o sal rosa do himalaia, e até o sal grosso, que tem preço acessível e pode ser usado para cozinhar alimentos e vegetais preservando seu sabor.

• Evite os realçadores de sabor como o glutamato monossódico vendido como tempero ou em biscoitos e salgadinhos. Existem altas quantidades de sódio nesse produto.

• Consuma carne in natura. Evite o hambúrguer, empanados, steaks e outros produtos que trazem carne processada e muito sal usado em sua preparação.

• Tire o sal da mesa e também dos seus petiscos antes das refeições. Se for oferecer um petisco, tente preparar algum vegetal no forno com pouco sal como batata, batata doce ou banana.

Foto: Reprodução/divulgação

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário