quinta-feira, 1 de outubro de 2020

HUGO FRANÇA: DE TRANCOSO PARA A CASA DE ELIOT NOYES, EM NEW CANAAN

 

A arte sem fronteiras e genuinamente brasileira de Hugo França sai de Trancoso (BA), local que tem sido o reduto criativo do artista desde o início da quarentena, direto para New Canaan, Connecticut, para a "At The Noyes House, uma exposição colaborativa de obras de arte e design contemporâneo no ambiente doméstico da casa da família de Eliot Noyes (1910-1977) em New Canaan, Connecticut.

Idealizada e produzida pelas galerias Blum & Poe e Mendes Wood DM, juntamente com a feira de arte e design Object & Thing, a mostra, que terá exibição até 28 de novembro de 2020, tem grande destaque nos Estados Unidos por ser uma oportunidade única de visita à histórica casa modernista do designer industrial e arquiteto de Harvard Five. 

Utilizando a casa e o espírito de Noyes como inspiração, At The Noyes House apresentará trabalhos de grandes artistas contemporâneos internacionais e designers reunidos pelos três parceiros organizadores, incluindo obras de Hugo França, Sergio Camargo, Alma Allen, Lucas Arruda, Lynda Benglis, Sonia Gomes, Green River Project LLC , Mark Grotjahn, Kazunori Hamana, Jim McDowell e Antonio Obá entre outros. Object & Thing continua sendo uma plataforma que apresenta obras de galerias de arte e design sem distinção ou hierarquia e espera trabalhar com galerias como Ago Projects (Cidade do México), Salon 94 Design (Nova York) e Tiwa Select (Los Angeles). As obras serão apresentadas nas áreas de convivência e no jardim da casa, juntamente com o mobiliário original da família. 

As visitas do público estarão disponíveis por meio de reservas limitadas e cuidadosamente coordenadas aos sábados durante a exibição. Uma turnê de vídeo detalhada produzida por Michael Biondo está disponível  nas plataformas digitais dos três parceiros. 

Fred Noyes, filho de Eliot Noyes, comentou: “Meu pai concebeu a arquitetura da casa como um pano de fundo para misturar perfeitamente a arte com a vida cotidiana. Conforme cresci, novas obras de arte foram continuamente introduzidas, sem restrições por período ou estilo, e as peças existentes foram reorganizadas conforme a vida mudava. Esta exposição é uma continuação direta da tradição de trazer novas ideias para a casa. Convidamos os visitantes a vivenciar a casa à medida que ela é transformada por essas obras de arte e design exclusivos, mostrando a flexibilidade para a qual foi projetada. Meu pai ficaria encantado. 

”A Noyes House é um exemplo icônico da arquitetura modernista de meados do século XX, projetada e construída em 1954 por Eliot Noyes para sua família. Localizada em New Canaan, Connecticut, a Noyes House está dentro de um grupo de outras residências modernistas importantes, como a Glass House de Philip Johnson, agora um local histórico do National Trust. Noyes, que foi um titã do design de meados do século, respeitado por sua arquitetura, seu trabalho como Diretor Consultor de Design da IBM, onde projetou a máquina de escrever elétrica, e seu papel como curador de design industrial no Museu de Arte Moderna, no qual defendeu a carreira de designers como Charles Eames e Eero Saarinen. 

O projeto da casa alterou convenções para a arquitetura doméstica, com uma ala de descanso com os quartos e uma ala paralela para reunir, unificadas por um pátio ao ar livre. Também foi projetada como um espaço para se viver imerso na arte e no design - Noyes acreditava profundamente na importância de viver com a arte, seja ela feita por familiares ou amigos como Alexander Calder, que criou uma peça específica para o local no pátio interior da casa, que agora faz parte do acervo permanente do MoMA.

Abby Bangser, fundadora e diretora criativa da Object & Thing, acrescentou: “Apresentar obras de arte e design neste ambiente íntimo e arquitetonicamente significativo demonstrará como os limites entre as duas disciplinas podem ser apagados e como a arte e o design constroem o caráter e experiência de uma casa. Meu marido Matt Bangser, sócio da Blum & Poe, e eu moramos em New Canaan justamente por causa de seu legado arquitetônico e há algum tempo trabalho com Fred Noyes como membro de um comitê consultivo para discutir as possibilidades para o futuro desta casa tão importante. Nossos amigos da Mendes Wood DM, compartilham nossos valores de preservação e as possibilidades de diálogos artísticos significativos entre o passado e o presente”. 

Sobre 

Hugo França 

Hugo França nasceu em Porto Alegre, em 1954. Em busca de uma vida mais próxima da natureza, mudou-se para Trancoso, na Bahia, no início da década de 80, onde viveu por 15 anos. Lá, percebeu o grau de desperdício na extração e uso da madeira, vivência que pautou seu trabalho. 

Desde o final dos anos 1980, desenvolve "esculturas mobiliárias", expressão usada primeiramente pela crítica Ethel Leon e adotada pelo designer por sua precisão em descrever a produção que ele executa a partir de árvores condenadas naturalmente, por ação das intempéries ou pela ação do homem. 

As peças criadas por ele nascem de um diálogo criativo com a matéria-prima: tudo começa e termina na árvore. Ela é a sua inspiração; suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo provocam sua sensibilidade e o conduzem a um desenho cuidadosamente escolhido, uma intervenção mínima que gera peças únicas. 

Blum & Poe 

 A Blum & Poe foi fundada por Timothy Blum e Jeffrey Poe em Los Angeles em 1994 como um espaço para mostrar arte contemporânea local e internacional em todas as mídias. Ao longo de uma história de 26 anos, Blum & Poe moldou a trajetória da arte contemporânea ao defender artistas em todos os estágios de suas carreiras - cultivando as linhagens que circulam entre práticas emergentes e estabelecidas e trabalhando com propriedades artísticas para gerar um novo discurso sobre o trabalho histórico. Agora localizada em Los Angeles, Nova York e Tóquio, Blum & Poe tem colaborado com importantes curadores para realizar pesquisas em caráter de museu, examinando o trabalho histórico de movimentos como a escola japonesa Mono-ha; os pintores monocromáticos coreanos Dansaekhwa; o movimento europeu do pós-guerra CoBrA; uma releitura do Modernismo brasileiro (2019); e mais.

Mendes Wood DM 

A Mendes Wood DM foi fundada em 2010 pelos sócios Felipe Dmab, Matthew Wood e Pedro Mendes com o intuito de expor artistas internacionais e brasileiros em um contexto propício ao diálogo crítico e a polinização cruzada. No centro do programa da galeria está a preocupação com a diferença regional e a individualização, ao mesmo tempo em que promove o cosmopolitismo e a colaboração. Inspirada pela crença de que as práticas artísticas ampliam o escopo do agenciamento de pessoas e têm o poder de tocar e mudar o mundo, Mendes Wood DM cultiva um programa que tem como premissa o conceitualismo, a resistência política e o rigor intelectual. 

Object & Thing 

Object & Thing reúne obras baseadas em objetos dos séculos 20 e 21, das principais galerias de arte e design internacionais, em um novo conceito de feira que enfoca o objeto por meio de exposições pessoais e um e-commerce, o object-thing.com. Por meio desses formatos variados, Object & Thing oferece uma experiência de compra enriquecedora e acessível para o colecionador experiente de arte e design, bem como para o comprador casual. A Object & Thing foi fundada em 2019 por Abby Bangser, ex-Diretora Artística da Frieze Art Fairs para as Américas e Ásia, com experiência significativa em instituições artísticas sem fins lucrativos, e é organizada em coordenação com o diretor artístico Rafael de Cárdenas. 

Fonte: Assessoria de Imprensa - Legenda: The Eliot Noyes House in New Canaan, CT. Photo by Michael Biondo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário