sexta-feira, 13 de novembro de 2020

46% DOS BRASILEIROS NÃO TÊM CONDIÇÕES DE PROPORCIONAR O ENSINO REMOTO À SEUS FILHOS, DIZ ESTUDO

 

O retorno das aulas presenciais do ensino básico têm gerado grande polêmica entre as famílias brasileiras. E embora poucos sejam a favor do retornoo Trocando Fraldas em seu mais recente estudo, constatou que 46% das mães e pais brasileiros não têm condições que os filhos participem do ensino remoto sem restrições, ou seja, que usufruam de todas as aulas em todas as formas que são apresentadas (online ou pelo TV). 

Os dados por estado demonstram que Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, estão no topo da lista das famílias que têm condições de fazer os filhos participarem do ensino remoto sem restrições. Com 57% para o Rio Grande do Sul, e 52% para os outros dois estados. Já em São Paulo, pelo menos metade da população, tem ou teria condições dos filhos participarem dessa forma de estudo remoto. E no Rio de Janeiro, 44% dos participantes responderam terem condições para tal.

O estudo também constatou que 86das mães e pais brasileiros concordam que as aulas presenciais não devem ser retomadas no momento. Ou seja, mesmo que 46% não consigam fazer que os filhos participem do ensino remoto sem restrições, a grande maioria é a favor de manterem os filhos em casa no momento.

No Espírito Santo, Piauí e Rio Grande do Sul, 87% dos participantes não concordam com a retomada das aulas no momento. Em São Paulo, estado com o maior número de casos, 85% da população acredita que a suspensão das aulas deve ser mantida. Já no Rio de Janeiro, 82% dos entrevistadas concordam com o não retorno. Dentre todos os estados, Alagoas é o que menos concorda com a prorrogação da suspensão das aulas, com 71% dos participantes.

Fonte/Imagem: Assessoria de Imprensa


Nenhum comentário:

Postar um comentário