sexta-feira, 13 de novembro de 2020

SP-FOTO VIEWING ROOM ACONTECE DE 23 A 29 DE NOVEMBRO COM FOCO NA PRODUÇÃO FOTOGRÁFICA BRASILEIRA

 

De 23 a 29 de novembro acontece o SP-Foto Viewing Room no site https://www.sp-arte.com. A feira online reúne mais de 50 expositores, entre galerias, editoras e projetos especiais que trazem uma seleção minuciosa de fotografia e videoarte. São casas nacionais e estrangeiras como Almeida e Dale (São Paulo), Artespacio (Chile), Millan (São Paulo), Central (São Paulo), Galeria Kogan Amaro (São Paulo e Zurique), Ginsberg (Peru), Isabel Amado Fotografias (Rio de Janeiro), Luciana Brito Galeria (São Paulo), Galeria Mário Cohen (São Paulo), Silvia Cintra + Box 4 (Rio de Janeiro) e Utópica Photography (São Paulo).

Entre os projetos independentes, estão a 01.01 Art Platform (São Paulo) e Levante Nacional Trovoa (São Paulo), além do estreante internacional, MFON: Women Photographers of the African Diaspora (Nova York), coletivo responsável por representar a voz de mulheres afrodescendentes, a Piscina Art (São Paulo), plataforma brasileira com foco em artistas mulheres e o Centro Cultural Veras (Florianópolis), um espaço múltiplo e transdisciplinar que promoverá encontros entre arte contemporânea e yoga. Ainda marcam presença instituições como o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM São Paulo), que comemora os 20 anos de seu Clube de Colecionadores de Fotografia, o Instituto Mário Cravo Neto (Salvador) e a Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT), bem como as editoras Fotô Editorial, Lovely House e Terra Virgem Edições.

"Cada edição da SP-Foto é única, singular. Buscamos sempre renovar a experiência com o público por meio de diferentes iniciativas onde a fotografia ocupa posição central. Para esta edição em formato digital, que acontece após o sucesso do SP-Arte Viewing Room, que alcançou mais de 56 mil visitantes, traremos conteúdos e projetos expositivos diversos sobre a produção fotográfica moderna e contemporânea", diz Fernanda Feitosa, fundadora e diretora da SP-Foto. "A fotografia brasileira ocupa uma importante posição no circuito internacional. A cada edição, promovemos um encontro de gerações entre artistas e galerias já consolidadas no circuito e jovens expositores e artistas que estão florescendo agora, são apostas, nomes que acreditamos que vão ascender cada vez mais, a exemplo de casas como a HOA e o Projeto Vênus, e projetos independentes como a 01.01 Art Platform e o Levante Nacional Trovoa", afirma.

Na página de cada galeria, o visitante poderá percorrer um projeto expositivo com até 20 obras de um ou mais artistas. Cada exposição é enriquecida por conteúdo em textos, vídeos e áudios a fim de propiciar uma narrativa única e uma experiência imersiva. Caso haja o interesse por algum trabalho disponível no site, apenas um clique em "Contactar galeria" já permite que o comprador inicie uma conversa com a galeria por meio de um chat da plataforma, Whatsapp ou e-mail.

A fim de estreitar os laços entre as obras expostas e os visitantes, o evento promove também uma programação ampla e gratuita com curadores, fotógrafos e outros especialistas em atividades como visitas guiadas e o ciclo de debates e palestras, o Talks, que retorna ao evento agora em formato online. Os detalhes da programação serão anunciados em breve.

ESTREIAS

Lançar luzes ao impacto que fotógrafas mulheres e não-binárias de ascendência africana têm no mundo é o cerne do coletivo MFON: Women Photographers of the African Diaspora. Fundado pelas fotógrafas nova-iorquinas Adama Delphine Fawundu e Laylah Amatullah Barrayn, o coletivo já reuniu mais de 100 projetos de artistas de diferentes regiões, nacionalidades, pesquisas e gerações. Pela primeira vez em um evento brasileiro, no SP-Foto Viewing Room elas apresentam obras de artistas como Deborah Willis, Dee Dwyer, Jaimee Todd Tokie Rome-Taylor em um projeto expositivo que enfatiza a forma diversa como cada uma aborda a ascendência africana e representa sua visão de mundo.

Também com foco na presença feminina, a Piscina Art traz à Feira obras produzidas por jovens artistas mulheres que tratam sobre temáticas relacionadas à autoimagem, representação e corpo, além de processos de transformação e diferentes percepções e meios de estar na natureza. Figuram obras das artistas Alice Yura, Alile Dara Onawale, Amapoa (Camila Svenson e Pétala Lopes), Camila FonteneleDaniela Paoliello, Fernanda Liberti, Fernanda Vallois, Gabriela Silveira, Juh Almeida, Laryssa Machada e Takeuchiss (Andréia e Nathália Takeuchi).

Gestado há quase duas décadas pelo curador catarinense Josué Mattos, o Centro Cultural Veras (CCV) surge com o objetivo de responder à demanda de espaços culturais na região de Santa Catarina. O projeto busca reforçar sua singularidade por meio de um programa estruturado em quatro pilares que unem arte, yoga, educação e sustentabilidade. Em sua estreia no SP-Foto Viewing Room, o CCV apresenta obras de fotógrafos emblemáticos da contemporaneidade, como Ding Musa, João Castilho, Laura Belém, Laura Gorski e Ricardo Barcellos. O valor arrecadado com as vendas das obras será revertido à construção do espaço físico do Centro Cultural.

VINTAGE

O escritor Millôr Fernandes dizia que "uma imagem vale mais do que mil palavras... mas experimente dizer isto sem palavras". A partir desta provocação, a Utópica apresenta uma experiência que une o visual e o sonoro. O projeto expositivo da galeria trará ao visitante uma seleção de trilhas sonoras. Ora um breve podcast que narra história, traz informação e descontração, ora sons para despertar outros sentidos além do olhar. Cada uma das 20 fotografias será acompanhada por áudio. São obras de artistas como German Lorca, nome seminal da fotografia moderna e um dos integrantes iniciais do prestigiado Foto Cine Clube Bandeirantes, Fernando Lemos, figura da terceira geração de artistas modernistas portugueses e as fotógrafas modernistas emblemáticas Annemarie Heinrich, Alice Kanji e Dulce Carneiro.

Em parceria, as galerias Luciana Brito e Bel Amado exibem uma seleção de obras com alguns dos principais nomes do Foto Cine Clube Bandeirantes, figuras cujas trajetórias se misturam à história da fotografia brasileira, como Gaspar GasparianGeraldo de Barros, Gertrudes Altschul, Marcel Giró, Paulo Pires e Thomaz Farkas.

O icônico Foto Cine Clube Bandeirantes também aparece no projeto expositivo da Almeida e Dale. Em Os Frequentadores do Clube, a galeria homenageia o grupo histórico por meio de obras de artistas já consagrados mundialmente que, em comum, são apaixonados frequentadores do Clube. Figuram trabalhos de Barbara Mors, Ivo Ferreira da Silva, Julio Agostinelli e Yalenti.

Iniciado como um grupo de fotógrafos amadores, o Foto Cine Clube Bandeirantes representou o ápice do movimento fotoclubista no Brasil, atividade que se propagou, nos anos 1940, pelas principais capitais do país. Uns dos fatores marcantes da atuação do grupo foi abrir as portas para a fotografia brasileira mundo afora. Instituições como MASP, Itaú Cultural, Tate e MoMA, entre outros museus e coleções públicas e privadas nacionais e internacionais, incorporaram em suas coleções obras da fotografia moderna do Brasil. A título de exemplo, está a exposição que o MoMA inaugura em março de 2021, Modernista Brasileira 1946-1964. Com curadoria de Sarah Meister, que descobriu alguns dos principais fotógrafos modernistas do Brasil em edição da SP-Foto e ajudou a ampliar a coleção de brasileiros no museu norte-americano, será a maior mostra da moderna fotografia brasileira realizada fora do país, com 140 fotos de 60 fotógrafos.

Dentre as principais características da fotografia vintage, está a singularidade do registro em papel feito na mesma data em que a foto foi tirada. A única cópia é o registro em papel de um negativo. Para homenagear essa fotografia única, muitas vezes rara, a MaPa traz ao SP-Foto Viewing Room uma seleção de imagens que registram a singularidade oposta aos tempos atuais, em que o excesso de imagens é o múltiplo do dia a dia. São obras de ícones da fotografia brasileira, como Alicia Rossi, Alair Gomes, Evandro Teixeira Otto Stupakoff.

Popularmente chamado de fotógrafo das estrelas, Antonio Guerreiro, espanhol radicado no Brasil, foi consagrado como retratista de personagens do mundo da arte, da cultura e da alta sociedade. A Carcará Photo Art apresenta uma seleção de suas célebres fotografias, entre os quais, o icônico retrato da atriz Sônia Braga.

CONTEMPORÂNEOS

Com a missão de reverter antigas rotas de comércio de escravidão em um circuito de intercâmbio cultural, a 01.01 Art Platform promove novas maneiras de coletar e consumir arte. Criada por artistas e curadores africanos-brasileiros, a plataforma tem o apoio de instituições como Bockantaj (Inglaterra), Galeria Ilha do Grilo (Portugal) e Fundação de Arte Contemporânea do Gana (Gana). Um dos destaques da primeira edição do SP-Arte Viewing Roomna SP-Foto exibem o projeto Passagens/propostas rituais, com a mais recente produção de artistas como Ana Beatriz Almeida, Aretha Sadick, Gabriella Marinho Moisés Patricio, Pamina Sebastião, Shai Andrade, Renata Felinto, Rafael BQueer e Sekai Machache.

Com o objetivo de reivindicar a urgência na discussão sobre o sistema de arte no Brasil com especial atenção à visibilidade e inserção das artistas racializadas cis e trans nesse circuito, o Levante Nacional Trovoa reúne artistas visuais e curadoras racializadas das cinco regiões brasileiras (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul). Na Feira, o coletivo traz obras realizadas por Mitsy Queiroz, Moara Brasil e Silvana Mendes.

Explorar a partir de quatro distintas línguas abstratas apagamentos cotidianos e manifestações sensíveis em torno de marcas colonialistas que se atualizam no presente. Essa é a proposta da Central Galeria para o SP-Foto Viewing Room com o projeto intitulado Línguas, que reúne obras de artistas de diferentes gerações. A artista greco-brasileira Gretta Sarfaty, disruptiva e multidisciplinar, faz de seu corpo espaço para experimentação artística, política e campo de transformação. Expoente da Body Art no Brasil, em sua obra, o corpo feminino é território tanto para questionamentos internos quanto sociais. No trabalho de Dora Smék, o público é convidado a uma experiência constante de embate entre um corpo fragmentado e as intempéries do dia a dia. Em suas obras, o corpo é colocado em primeiro plano, nunca por inteiro, mas sempre em posição de resistência.

 Simone Cupello reflete sobre a língua da memória. No projeto da Central, ela traz fósseis de lembranças compostos a partir de fotografias amontoadas e esculpidas, são memórias guardadas e inacessíveis sem sua qualidade imagética. Ridyas dá forma ao encontro de palavra e corpo. A partir de recursos gráficos, cria com as palavras uma língua também visual, cuja leitura ocorre com o auxílio de outros códigos além do textual.

Uma das referências nacionais como retratista, fotógrafo de nus e de moda, Bob Wolfenson transita com a mesma destreza entre a publicidade e a arte. Se define como especialista em breves encontros e, ao longo de seus quase 50 anos de carreira, é responsável por alguns dos retratos mais marcantes da iconografia brasileira recente. Um recorte de sua produção, com fotografias de diferentes épocas de sua carreira, será exibido na Feira pela Galeria Millan.

Representando a produção artística latino-americana, a galeria chilena Artespacio propõe um diálogo entre os fotógrafos Bernadita Benett, Leonardo Finotti, Alexis Mandujano, Tomás Rodríguez e Máximo Corvalan-Pincherira com uma seleção de obras sobre a fotografia como representação da realidade. Enquanto a peruna Ginsberg traz um projeto expositivo com Majo Guerrero e Nicolás Franco.

O skate entrou na vida do artista paulista Fabiano Rodrigues há 30 anos, dos quais 15 deles foram dedicados ao esporte de forma profissional. Foi justamente observando os fotógrafos que registravam suas manobras que passou a se interessar pelo gênero artístico, que hoje lhe rende reconhecimento nacional e internacional. Suas fotografias recentes integram o Skateboard Help, projeto exibido pela Galeria Kogan Amaro que une arte, fotografia e skate. Parte do valor das obras será destinado à ONG Social Skate, organização que auxilia crianças e adolescentes de Poá, município da zona leste de São Paulo.

Uma iniciativa pensada para documentar, tornar conhecida a beleza e o valor natural da região do pantanal brasileiro, promover o diálogo entre as forças produtivas, academia, instituições e organizações na busca de soluções implementáveis de consenso. Assim é a Documenta Pantanal, projeto que convida o público a refletir sobre questões urgentes da natureza por meio de fotografias de João Farkas, Luciano Candisani Araquém Alcântara.

Questões associadas aos ciclos da natureza aparecem também na série Florada, de Rochelle Costi. Exibida pela Galeria Celma Albuquerque, as obras são compostas por flores nativas e exóticas encontradas durante caminhadas pelo bairro da artista, próximo ao centro de São Paulo. Os registros são sempre feitos no mesmo horário e local a fim de proporcionar diferentes tonalidades de luz, conforme a estação do ano.

Para esta edição da Feira, a Galeria Silvia Cintra + Box4 traz fotografias de artistas de diferentes gerações e pesquisas, como Alice Quaresma, Ana Maria Tavares, Cinthia Marcelle, Isidora Gajic, Marcius Galan, Miguel Rio Branco, Nelson Leirner, Omar Salomão, Pedro Motta e Sebastião Salgado. Apresentando imagens clássicas e uma síntese de novas fotografias integrantes de seu acervo, a Mario Cohen exibe obras de Paolo Roversi, Mario Von Bucovich, Henrick Jessen, Erwin Blumenfeld, Frantisek Drtikol, Elaine Pessoa, Roberio Braga, Sebastião Salgado, Pierre Verger, Cristiano Mascaro e Ellen von Unwerth. Destaque para a fotografia de moda Sasha Robertson, de Paolo Roversi.

Em Abissal, exposição apresentada pela Verve, figuram trabalhos de Ana Beatriz Almeida, Angella Conte, Giselle Beiguelman, Felippe Moraes, Francisco Hurtz, Tales Frey e Shai Andrade. A partir de histórias distintas, mas que convergem em algum ponto, como afluentes do mesmo rio, a mostra convida o visitante a refletir sobre a memória, a ancestralidade e os limites do corpo.

Conhecido principalmente por suas intervenções fotográficas na região central de São Paulo, com frases como "Eu Me Vejo Em Você", o fotógrafo Felipe Morozini apresenta três séries de diferentes fases artísticas, apresentados pela Bianca Boeckel Galeria. Destaque para A Noiva do Vento, fotografia na qual o artista traz um retrato poético e reflexivo do momento atual.

Confira a lista completa de expositores:

01.01 Art Platform (São Paulo)

Associação Brasileira de Arte Contemporânea ABACT (São Paulo)

Almeida e Dale (São Paulo)

Almeida e Dale Modernos (São Paulo)

AM Galeria de Arte (São Paulo)

Andrea Rehder Arte Contemporânea (São Paulo)

Arte 57 (São Paulo)

Arte Hall (São Paulo)

Artespacio (Santiago)

Babel (São Paulo e Nova York)

Bianca Boeckel (São Paulo)

Bolsa de Arte (São Paulo)

Carcará Photo Art (São Paulo)

Casa Rosa Amarela (São Paulo)

Cassia Bomeny Galeria (Rio de Janeiro)

Celma Albuquerque (Belo Horizonte)

Central Galeria (São Paulo)

Centro Cultural Veras (Florianópolis)

Dan Contemporânea (São Paulo)

Documenta Pantanal (São Paulo)

Fólio (São Paulo)

Fotô Editorial (São Paulo)

Galeria Arte Formatto (São Paulo)

Galeria Aura (São Paulo)

Galeria da Gávea (Rio de Janeiro)

Galeria de Arte Mamute (Porto Alegre)

Galeria Frente (São Paulo)

Galeria Karla Osório (Brasília)

Galeria Kogan Amaro (São Paulo e Zurique)

Galeria Mario Cohen (São Paulo)

Galeria Murilo Castro (Belo Horizonte)

Ginsberg (Lima)

HOA (São Paulo)

Instituto Mario Cravo Neto (Salvador)

Isabel Amado (Rio de Janeiro) + Luciana Brito (São Paulo)

Lovely House (São Paulo)

MaPa (São Paulo)
MFONwomen (Nova York)

Millan (São Paulo)

Museu de Arte Moderna de São Paulo (São Paulo)

Nacional Trovoa (Coletivo) (São Paulo)

Paulo Darzé Galeria de Arte (Bahia)

Pinakotheke (São Paulo)

Piscina (São Paulo)

Projeto Vênus (São Paulo)

Referência (Brasília)

Sérgio Gonçalves Galeria (São Paulo)

Silvia Cintra + Box 4 (Rio de Janeiro)

Simone Cadinelli (Rio de Janeiro)

Terra Virgem Edições (São Paulo)

Utópica (São Paulo)

Verve (São Paulo)

Zilda Fraletti (Paraná)

Zipper Galeria (São Paulo)

Serviço:

SP-Foto Viewing Room

Período: 23 a 29 de novembro

www.sp-arte.com

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa - Legenda: Sophia de Mello Breyner, 1949/1952, de Fernando Lemos (Utópica Photography) | Mahnilei, 2016, de Salimah Mahnilei (MFON) | Modificação e apropriação, 1980, de Gretta Sarfaty (Central Galeria)

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário