domingo, 14 de março de 2021

MURAL FEITO COM TINTA SUSTENTÁVEL HOMENAGEIA PESSOAS NEGRAS DE COMUNIDADE NO RIO DE JANEIRO

 

Em 2020, a Converse deu início ao projeto global ConverseCity Forests que promove a pintura de murais com uma tinta fotocatalítica que ajuda a purificar o ar e, a cada m² pintado, equivale a uma nova árvore no entorno. Após passar por 14 cidades, entre elas, Bangkok (Tailândia), Santiago (Chile), Lima (Peru), Johanesburgo (África do Sul), Sidney (Austrália), Jacarta (Indonésia) e São Paulo (Brasil), o projeto chega à cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente na comunidade de Santo Amaro.

Neste ano, o Converse City Forests se apropria da arte urbana para ampliar o diálogo sobre temas raciais e homenagear pessoas que quebraram barreiras em diferentes áreas e momentos da história para que as novas gerações pudessem se inspirar. A marca quer honrar a história, debater o presente e definir objetivos e esperanças para o futuro através da arte e das histórias de todos os envolvidos no processo criativo, de produção e da própria comunidade.

O projeto conta com a curadoria de Lucas Ademar, nascido e criado na comunidade Santo Amaro, onde ficou conhecido pela criação do Ademáfia, coletivo que acredita na transformação social proporcionada pelo skate. Além de proporcionar um mural a céu aberto para os moradores, o local foi escolhido, estrategicamente, pelo fato de ser uma região que carece de árvores e que a tinta, de fato, fizesse o efeito de purificação do ar.

Lucas escolheu duas pessoas importantes da comunidade para serem homenageadas: Baiano, um dos primeiros moradores da comunidade, falecido há alguns anos, mas que sua memória e figura se mantém viva até os dias de hoje; dona Martha, presidenta da associação de moradores há dois mandatos e, junto com a sua equipe, mantém um trabalho muito respeitado proporcionando muitas melhorias na comunidade. Atualmente, está com a saúde debilitada e pretende não concorrer mais ao cargo ao final da sua gestão.

Segundo o curador, "O Baiano era um senhor que até os 91 anos andava pela comunidade. Ele tinha um ferro velho e era conhecido por todo mundo e foi um dos primeiros moradores da comunidade, desde 1948. A memória ainda vive muito entre a antiga e a nova geração. Ele é símbolo de gente que trabalha para não morrer. A dona Martha foi a primeira mulher a ser eleita como presidenta da Associação de Moradores. Uma mulher negra que leva a responsabilidade da qualidade de vida dos moradores. Ela é uma grande inspiração".

O mural do Rio de Janeiro tem como recorte o tema "Amor Afrocentrado" e, para isso, o grafiteiro e muralista André Kajaman, um dos principais nomes da arte urbana carioca e criador do MOF - Meeting of Favela - traz o tema com as crianças representando as gerações que surgiram a partir dos homenageados que, mesmo não sendo um casal, fizeram suas famílias dentro da comunidade.

"Trabalhar esse tema pra mim é muito importante porque a gente devolve e pontua para comunidade coisas que no passado eu não entendia. As crianças cresceram vendo essas pessoas, o Baiano carregando geladeira nas costas, a dona Martha gerindo toda uma comunidade e enfrentando o poder público" declara Kajaman. Aqui estão os nossos heróis. Se a gente não der destaque e protagonismo para essas duas pessoas, ninguém vai dar", afirma o artista.

O mural de 1.064m², equivalente ao plantio de 1.064 árvores naquela região, recebeu uma projeção que deu ainda mais vida à arte. Criada pela artista e VJ carioca Carol Santana, as casas do entorno ganharam uma projeção mapeada que dialogava com o conceito da obra, transmitindo o amor, a comunidade, a quebra de barreiras, a desconstrução de padrões e exaltação às raízes.

Após a inauguração do mural do Rio de Janeiro, o projeto acontece em Salvador com a curadoria de Pedro Batalha e Hisan Silva, duo responsável pela marca soteropolitana Dendezeiro. Com inauguração prevista para 08 de março, Dia Internacional da Mulher, o local escolhido para a construção do mural é o Dique do Tororó e será feito por duas artistas negras, Andressa Monique e Nila Carneiro. Com o tema "Afrofuturismo", a homenageada será Larissa Luz, cantora, compositora e atriz, considerada um dos grandes nomes da nova geração da música baiana.

Converse City Forests

A Converse iniciou o projeto global City Forests em 2020, onde ao redor do mundo foram pintados murais com tinta fotocatalítica que ajuda a limpar o ar, e a cada m2 equivale a uma árvore. Após passar por 14 cidades do mundo, o projeto chegou em São Paulo no segundo semestre de 2020. A obra, localizada no Minhocão, região central da cidade com grande fluxo de carros, foi feita pelo artista Rimon Guimarães e teve como tema a celebração da herança latina, as raízes dos povos locais, a ancestralidade e o orgulho. Além disso, a marca descentralizou o projeto e criou mais 60 mini murais espalhados por São Paulo.

O projeto "Quebrando Barreiras" é global e em outros países segue com diferentes temáticas. Na Polônia, por exemplo, acontece o "Quebrando Barreiras de Gênero". No dia 21 de março, Dia Internacional do Fim da Discriminação, a marca vai se unir com a "Peace One Day" uma organização global das nações unidas para o fim da discriminação e compartilhar o trabalho feito e criar um futuro mais equitativo.

Mais informações em: https://conversecityforests.com/

Foto/Crédito: Tio Verde

Fonte: Assessoria de Imprensa


Nenhum comentário:

Postar um comentário