quinta-feira, 6 de maio de 2021

RETOMADA DE FATURAMENTO DOS RESTAURANTES É MAIS RÁPIDA NA 2ª ONDA COMPARADA AO INÍCIO DA PANDEMIA

 


A recuperação do faturamento in-store dos restaurantes durante a segunda onda da Covid-19 já se mostra mais rápida comparada ao início da pandemia. Levantamento realizado pela Goomerstartup com o propósito de apoiar a transformação digital do setor foodservice, aponta que os estabelecimentos já atingiram 50% da receita com as vendas dentro da loja após quatro semanas do novo período de restrições imposto em diversos estados. Atualmente, o faturamento semanal médio na mesma loja está na casa de R$ 24 mil, enquanto entre novembro de 2020 e meados de fevereiro de 2021, esse índice era de aproximadamente R$ 50 mil.

Na primeira onda, o mesmo percentual de recuperação levou 24 semanas para ocorrer comparado a receita média semanal na mesma loja que os restaurantes mantinham antes da pandemia (entre R$ 60 e R$ 70 mil). O estudo levou em consideração o faturamento médio sobre a mesma loja em mais de 500 marcas foodservice em todo o Brasil - que contam com cardápios digitais da Goomer em sua operação.

De acordo com Felipe Maia Lo Sardo, CEO da Goomer, o faturamento in-store vem aumentando rapidamente porque as adaptações feitas para assegurar um atendimento seguro têm sido bem implantadas pelos empresários do setor. “Caso seja mantido esse nível de crescimento, a receita sobre a mesma loja deve alcançar patamar semelhante ao período de novembro de 2020 a fevereiro de 2021, quando as marcas conseguiram recuperar cerca de 75% do faturamento de dentro da loja registrado antes do surgimento da pandemia”, informa.

Apesar do delivery ser um grande apoio em momentos de restrições mais severas ao setor, são as vendas nas lojas que trazem maior receita e lucratividade aos estabelecimentos. “Felizmente, alternativas como drive thru e/ou pedidos retirados na calçada foram essenciais para minimizar as perdas in-store. Porém, geralmente as pessoas quando decidem ir ao restaurante não querem apenas desfrutar de uma boa comida. Elas também desejam vivenciar uma experiência diferenciada em que possam curtir e se desligar da rotina. Com a restrição, parte desse público não sente que dá para substituir esse momento para o ambiente residencial”, avalia Lo Sardo.

Ainda segundo o CEO da Goomer, caso o ritmo de vacinação avance de uma forma mais ágil, ainda neste ano o faturamento médio na mesma loja pode chegar ao mesmo patamar atingido no período anterior à pandemia. Isso ocorre porque estimativas de mercado apontam que, infelizmente, mais de 35% dos restaurantes fecharam as portas nos últimos 12 meses. “Nesse caso, o volume de vendas dos estabelecimentos que já não existem mais, naturalmente deve ir para os que conseguiram se manter abertos. Ainda assim, obviamente, o volume total de vendas do setor foodservice deve se manter abaixo de 2019”, conclui.

Sobre a Goomer

A Goomer é uma startup de Sorocaba (SP) que tem a missão de apoiar bares e restaurantes em sua Transformação Digital, oferecendo uma experiência única para os clientes realizarem seus pedidos dentro do estabelecimento ou em sua casa. Para isso, a empresa disponibiliza quatro soluções específicas com esse objetivo: Goomer Go (plataforma de delivery sem taxas ou comissões), Goomer na Loja (sistema que permite ao cliente captar o QR code e acessar o cardápio digital), Cardápio Digital no Tablet e o Totem de Autoatendimento. Atualmente, a companhia possui presença em todos os estados do País, atuando em cerca de 2.700 cidades. Somente em 2020, a Goomer estima ter movimentado cerca de R$ 380 milhões em entregas durante a pandemia em todo o Brasil, ajudando bares e restaurantes a saírem da crise mais rapidamente, uma vez que esse volume de pedidos trouxe economia de R$ 38 milhões em taxas de comissão pagas geralmente pelos estabelecimentos em outras plataformas de delivery.

Fonte/Imagens-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário