sexta-feira, 10 de setembro de 2021

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FILMES SOBRE DEFICIÊNCIA CHEGA A DÉCIMA EDIÇÃO COM SESSÕES PRESENCIAIS E VIRTUAIS EM SETEMBRO NO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL RIO DE JANEIRO

 


O Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência - ganha identidade visual e anuncia as datas de sua edição carioca no CCBB Rio: de 22 de setembro a 11 de outubro. Depois do Rio, o festival segue para Brasília e para São Paulo, nas sedes do Centro Cultural do Banco do Brasil. O mais importante e longevo evento de cinema sobre o tema vai exibir 29 curtas, médias e longas-metragens inéditos de 14 países, entre eles Rússia, Itália e Espanha, e quatro debates online. Híbrido, com sessões virtuais e presenciais, as produções contam com personagens ricos e diversos.
 
Ilustram o cartaz imagens dos filmes: “A primeira lei”, curta argentino dirigido por Camila Fardella; “Eu sou Irina”, curta-metragem russo de Tatyana Rotar, e “13 Kilômetros”, média-metragem cazaquistanês de Wladimir Tyulkin. As produções do festival contam, entre outras, histórias de pessoas que buscam a realização de seus sonhos; que exigem serem ouvidas pela comunidade; que se expressam através da arte ou compartilham trajetórias de luta por seus direitos.
 
A realização é do Centro Cultural do Banco do Brasil, com patrocínio do Banco do Brasil através da Lei de Incentivo à Cultura, e produção da Cinema Falado Produções.

Sobre o Festival Assim Vivemos
Realizado desde 2003, o Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, conta com o patrocínio do Centro Cultural Banco do Brasil. Evento bienal, promove a reflexão sobre temas como preconceito, invisibilidade social, mobilidade, afeto, superação, autonomia, inclusão e acessibilidade, trazendo para o Brasil o melhor da produção audiovisual mundial sobre o assunto.
 
Entre suas produções estão curtas, médias e longas metragens de diferentes nacionalidades que formam um mosaico diverso, abrangente e rico sobre as questões que envolvem as pessoas deficientes e consequentemente toda a sociedade. Em todas as sessões são disponibilizados recursos de acessibilidade como a audiodescrição e legendas LSE (para surdos e ensurdecidos) e interpretação de LIBRAS.
 
O Assim Vivemos já se consolidou como um importante espaço de reflexão, já que também promove debates e oficinas sobre temas levantados pelos filmes, onde pessoas com deficiência e profissionais de referência com e sem deficiência se encontram. Com curadoria delicada e cuidadosa, que busca dar o espaço de fala e o protagonismo para as pessoas com deficiência contarem suas histórias, o Festival Assim Vivemos se revela uma experiência que encanta e transforma todos os públicos.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário