terça-feira, 21 de setembro de 2021

MANU LAFER APRESENTA THESAURUS

 


Os 20 anos de carreira artística do cantor, compositor, violonista e também médico Manu Lafer será comemorado em grande estilo. Com mais de 100 canções e 20 cds gravados, o músico lança Thesaurus - um songbook com sua obra completa, contendo partituras para violão e voz -,além do álbum Ta Shemá – Thesaurus Valts, uma versão de seu disco Ta Shemá de 2008, somente com os arranjos de violão para as músicas. No dia 26 de setembro, às 19 horas, o músico fará um espetáculo virtual em seu canal no YouTube (https://www.youtube.com/c/ManuLaferoficial) para celebrar esses projetos. O disco já está nas plataformas digitais e o songbook está à venda no site da Amazon.

Todas as partituras foram elaboradas pela Presto, de Thiago Rocha e Guilherme Schwenk, e revisadas pelo produtor, violonista e arranjador Swami Jr. O design gráfico de Nina Gaul torna o livro agradável e evidencia seu caráter inovador dentro do gênero de songbooks, convidando os iniciantes e experts do violão a tocar ou conhecer estas obras.

A coleção, em cada um de seus cinco volumes, é introduzida por apresentação e dicionário de cifras da Presto - embora cada acorde já esteja visualizado por freatboards e algumas canções inclusive já tenham violão ou célula rítmica transcritas -, com ensaio do escritor e pesquisador Caio Silveira Ramos, além de apresentar biografia e discografia completas das canções de Lafer.

Os livros, todos em formato digital, também contam com depoimentos de educadores e historiadores musicais (Steve Zee, James Gavin), arranjadores e produtores (Lincoln Olivetti, Jaques Morelembaum, Alê Siqueira), instrumentistas nacionais (Luiz Tatit, Danilo Caymmi, Luiz Brasil) e internacionais (John Pizzarelli, Jack Wilkins), além de colaboradores da MPB (Mateus Aleluia, Ná Ozzetti, Germano Mathias) e do jazz (Ken Peplowski, Howard Alden, Gene Bertoncini, Chico Pinheiro) - todos profissionais com quem Manu já trabalhou, o que reforça a consistência e o reconhecimento de sua já longa carreira artística.

Para Manu, “em toda a minha carreira eu sempre estive muito bem acompanhado por ídolos e colegas brasileiros e americanos.” E define: “nesse projeto, eu divido minha alegria com a música, torno meu trabalho acessível de forma organizada para qualquer interessado, e agradeço por tantos mestres e amigos, tais como Germano Mathias, Mateus Aleluia, Luiz Tatit, John Pizzarelli, Toninho Horta, Ná Ozzetti, Graça Braga, Ken Peplowski, Danilo Caymmi, Luiz Brasil e muitos outros”. As obras de Manu, por sua vez, inserem-se na escola do canto com acompanhamento em música popular brasileira, que teve em João Gilberto seu expoente máximo e vem gerando seguidores nas gerações posteriores, como Toninho Horta, Dori Caymmi, Gilberto Gil e Caetano Veloso, entre outros. Alguns destes nomes expressivos são parceiros, colaboradores e amigos de Lafer.

O violão popular brasileiro cantado (que, por definição, não virou “escola”, propriamente) surgiu e teve seu artífice maior e inimitável em Dorival Caymmi, cuja obra passou a ser popularizada no final dos anos 1930, levando ao conhecimento de que a arte exposta nessas partituras tem estética de quase um século e é uma porta de entrada digna para conhecer o Brasil, seus artistas e sua cultura.

Cantor e compositor, Manu é também médico pediatra. Foi colaborador por 11 anos do arranjador Lincoln Olivetti. Gravou sambas da era dourada do Rádio Brasileiro com o cantor baiano Mateus Aleluia e forrós com o sambista Germano Mathias. Possui um álbum com Danilo Caymmi e outro com arranjos de violão de Dori Caymmi, além de parcerias com artistas do jazznorte-americano, como John Pizzarelli. Manu também tem trabalhos dedicados ao pop e ao folk norte-americanos: Somebody Like Me, tributo a Bobbie Gentry, e Something Old And New (2019), em parceria com o clarinetista e saxofonista Ken Peplowski.

Para conhecer: https://www.youtube.com/watch?v=5i4eJcg9110&list=OLAK5uy_nGYhwIpuxa8zHAQQriAhUO41WNOaX2HSU

Fonte: Assessoria de Imprensa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário