quinta-feira, 11 de novembro de 2021

LEITES VEGETAIS E LATTE ART COMBINAM?

 

Enquanto os leites vegetais feitos de soja ou castanha crescem como alternativas saudáveis para receitas e também para as pessoas com intolerância à lactose ou que não consomem produtos de origem animal, a latte art, técnicas de desenho que usam o café espresso como base, avança nas cafeterias e no gosto do público. Mas é possível unir as duas coisas considerando questões visuais, de textura, sabor e aroma?

O barista e mestre de torra Danilo de Assis Pinheiro afirma que sim. A convite da 3Corações, ele apresentou um workshop sobre leites vegetais, latte art e receitas na cafeteria modelo montada no meio da Semana Internacional do Café, evento que acontece no Expominas, em Belo Horizonte, de 10 a 12 de novembro.

De acordo com o profissional, é possível trabalhar o latte art com leites vegetais de forma muito semelhante ao que é feito com leites de origem animal. Nos dois casos, entretanto, a técnica marca o sucesso dos resultados. Para isso, ele passou dicas importantes para quem pretende ingressar na área.

O primeiro ponto é entender como utilizar os equipamentos de forma adequada. Existe uma jarra de leite com formato específico para latte art chamada Pitcher. O utensílio é uma ferramenta que impede que o líquido saia com os movimentos de rotação. Outra questão é que a temperatura do leite deve ser refrigerada e não congelada. Isso porque quanto mais fria a bebida, melhor pode ser trabalhada.

Cappuccino e Mocha

O workshop também trouxe informações interessantes sobre uma das bebidas mais conhecidas nas cafeterias: o cappuccino. O especialista explicou que a receita original italiana não leva chocolate, só café, leite e a crema (espuma). Outro esclarecimento foi sobre o tamanho da xícara. Não existe cappuccino pequeno, pois é preciso que os ingredientes tenham proporções iguais (um terço para cada), o que não é possível fazer em recipientes menores. Por fim, a bebida precisa sempre atingir a borda da xícara.

“Por um bom tempo as pessoas ficaram em casa e não puderam visitar suas cafeterias preferidas e isso levou a um maior interesse em aprender sobre café e preparar receitas diferentes. A latte art tem crescido bastante e hoje vejo que existe uma preocupação que vai além do lado artístico, mas com a qualidade das bebidas que são utilizadas, o que é muito positivo. A SIC é um excelente espaço para um contato direto com os interessados neste mercado”, explica o barista e mestre de torra.

SOBRE A SIC

A Semana Internacional do Café (SIC) é uma iniciativa do Sistema FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), da Café Editora, do Sebrae e do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa).

Realizada desde 2013 em Belo Horizonte, capital do maior estado produtor do país, a SIC tem como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor. Em 2020, primeiro ano da pandemia, a SIC 100% Digital foi um grande sucesso. Teve 25 mil acessos, de 58 países e mais de 70 horas de conteúdo e 176 palestrantes com grande relevância no mercado nacional e internacional.

PATROCINADORES

A edição deste ano tem patrocínio master Nestlé e Sistema Ocemg, patrocínio specialty Sicoob e 3Corações Rituais, patrocínio premium Melitta, patrocínio standard Yara, Mosaic Fertilizantes, QIMA/WQS e Banco do Brasil.

Para acompanhar este e outros temas, basta participar da Semana Internacional do Café.

Serviço

Semana Internacional do Café 2021 - Presencial e Digital

De 10 a 12 de novembro


#conectadospelocafé
 
Redes sociais

Facebook e Twitter: @semanadocafe

Instagram: @semanainternacionaldocafe

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário