quarta-feira, 17 de novembro de 2021

SPFW: PROJETO SANKOFA

 

O Projeto Sankofa tem como objetivo racializar a moda brasileira, começando pela maior semana da de moda da América Latina, a São Paulo Fashion Week. De coautoria do movimento Pretos na Moda, por Natasha Soares (membro fundador e diretora administrativa) e Rafael Silvério (Guardião da Startup de Inovação Social VAMO - Vetor Afro Indígena na Moda), o Projeto Sankofa segue dando continuidade aos passos iniciais da temporada anterior. Sete marcas racializadas seguem nesta segunda fase do projeto, e irão levar para a passarela do evento de n52 o resultado de cinco meses de trabalho no processo aceleração, que contou com consultorias, mentorias, análises de marcas e respaldo de marcas madrinhas durante a concepção das coleções que resultam em desfiles presenciais nos dias 18, 19 e 20 de novembro (Dia de Consciência Negra), sempre às 15hrs, no pavilhão das Culturas dentro da Bienal, no Parque do Ibirapuera como parte do line up oficial do evento.

PROJETO

7 marcas emergentes fora do circuito de passarela atual, foram convidadas para participar deste projeto, na qual permanecerão durante três temporadas. Durante este tempo, serão acompanhadas e desenvolvidas para ingressar de forma estruturada no mercado, tendo a possibilidade de se tornar uma marca no line-up oficial do SPFW. Durante o processo, receberão apoio profissional de uma equipe (psicólogos, advogados, contadores) e, também, de 7 marcas madrinhas.

As marcas madrinhas escolhidas são empresas de destaque e que ja fazem parte do line-up do evento. Elas estarão presentes durante todo o processo, auxiliando esses empreendedores da moda com seu conhecimento, networking, técnica e orientações sobre o backstage do evento.

CONFIRA ABAIXO AS 7 MARCAS SELECIONADAS.

QUINTA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO
ATELIÊ MÃO DE MÃE
MENINOS REI

SEXTA-FEIRA, 19 DE NOVEMBRO
NAYA VIOLETA
SANTA RESISTÊNCIA

SABADO, 20 DE NOVEMBRO
SILVÉRIO
MILE LAB
AZ MARIAS

PRETOS NA MODA é uma plataforma de comunicação que busca unificar profissionais racializados do mercado de moda brasileiro. Trazendo pautas e discussões sobre consciência racial e inclusão destes profissionais no circuito da moda. O tratado apresentado na última temporada do São Paulo Fashion Week, resultou na abertura da discussão sobre inclusão racial e a decolonização do corpo na moda.

VAMO (Vetor Afro-Indígena na Moda) é uma Startup de Inovação Social formada por um time de profissionais inter-raciais que propõem um processo reparatório na moda nacional, no qual pretos e indígenas possam ter ferramentas e oportunidades iguais, anteriormente negadas pela estrutura racista do mercado.

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa - Legenda: Beleza da marca Silverio

Nenhum comentário:

Postar um comentário