terça-feira, 26 de julho de 2022

ESTRELADA POR MATHIEU AMALRIC, A COMÉDIA MUSICAL ‘TRALALA’ CHEGA AOS CINEMAS DIA 4 DE AGOSTO

 


A comédia musical francesa Tralala, estrelada pelo premiado ator Mathieu Amalric (César de melhor ator por “O Escafandro e a Borboleta” e por “Reis e Rainha”), estreia nos cinemas brasileiros dia 4 de agosto. Dirigida pelos irmãos Arnaud e Jean-Marie Larrieu (“Pintar ou fazer amor”/“21 Noites com Pattie”), parceiros de longa data de Amalric, e com grande elenco formado por Maïwenn, Mélanie Thierry e Josiane Balasko, a produção conta a história de um afetuoso homem de 40 anos que tem sua vida completamente transformada após um encontro inesperado. O longa-metragem chega ao Brasil com distribuição da Bonfilm após integrar a seleção oficial do Festival de Cannes e do Festival Varilux de Cinema Francês em 2021.
 
Em uma mistura de realidade e fantasia, Tralala acompanha um pobre músico de rua de Paris que vagueia pela cidade sem grandes interesses ou reconhecimento, nem mesmo se importando com a iminente demolição de sua própria casa. Mas em uma de suas andanças, ele se depara com uma bela e misteriosa jovem que o deixa um único recado: "Acima de tudo, não seja você mesmo". A partir daí, Tralala tem sua vida virada de cabeça para baixo e parte numa fantástica jornada em busca da mulher que o encantou.

Sem pensar duas vezes, o carismático e atrapalhado personagem segue uma pista e vai até a histórica cidade de Lourdes, no sudoeste da França, à procura de sua musa. Em meio a curiosos encontros e desventuras pelas ruas e restaurantes do local, ele conhece Lili (Josiane Balasko), uma senhora de 60 anos que afirma que ele é seu filho, Pat, desaparecido há 20 anos após ir para os Estados Unidos tentar a vida como músico. Decidido a assumir este papel, Tralala passa a ter uma grande nova família e precisa lidar com assuntos mal resolvidos e paixões esquecidas de seu passado.
 
Repleto de sequências musicais e performances coreografadas, a improvável e fabulosa jornada de Tralala e seus novos entes queridos tem seus momentos mais realistas e contemporâneos gerados pela pandemia do covid-19, visto que quase todos os personagens aparecem diante das câmeras usando máscaras. Segundo os diretores e roteiristas Arnaud e Jean-Marie Larrieu, as gravações do filme ocorreram no ano de 2020 em meio ao incerto cenário pandêmico e não faria sentido excluir tamanha eventualidade da produção.
 
“Sabíamos que, naquelas cenas de rua de Paris, que são filmadas como um documentário, haveria pessoas usando máscaras faciais de qualquer maneira. Isso era inevitável. Então nós poderíamos simplesmente aceitar isso e fazer algo. Nós nos acostumamos a respeitar o mundo real que envolve a ficção. Nossos filmes não estão separados do resto do mundo. Portanto, filmamos a vida do jeito que ela se desenrolou naquele exato momento”, comentaram os cineastas em entrevista para materiais de divulgação do filme.
 
(...) “o filme combina um elenco de prestígio liderado
por Mathieu Amalric com um conjunto de números especialmente
escritos por diversos cantores franceses importantes,
incluindo Dominique A e Etienne Daho. (...) Um exercício engraçado,
leve, às vezes enfurecedor, mas bastante encantador dos irmãos
e especialistas em comédia Jean-Marie e Arnaud Larrieu”.
Jonathan Romney - Screendaily
 
Ficha técnica

Tralala - Ano: 2021

Elenco: Mathieu Amalric, Josiane Balasko, Maïwenn, Mélanie Thierry, Josiane Balasko, Denis Lavant, Bertrand Berlin

Direção: Arnaud e Jean-Marie Larrieu

Classificação pretendida: 14 anos

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Duração: 2h 

Gênero: Comédia musical

Sinopse: Tralala, 40 anos, um cantor das ruas de Paris, encontra uma jovem que lhe deixa uma única mensagem antes de desaparecer: "Acima de tudo, não seja você mesmo". Teria Tralala sonhado? Ele deixa a capital e acaba encontrando em Lourdes a mulher pela qual já estava apaixonado, mas que não se lembra dele. Porém, uma emocionada mulher de 60 anos acredita que Tralala é seu próprio filho, Pat, desaparecido 20 anos antes nos Estados Unidos. Tralala decide assumir o papel. Ele vai descobrir para si uma nova família e encontrar a vocação que não sabia que tinha.
 
Arnaud e Jean-Marie Larrieu – Diretores

Jean-Marie e Arnaud Larrieu nasceram em Lourdes, na França. Juntos, os irmãos realizaram diversos curtas-metragens na década de 1980, que percorreram festivais como Les Baigneurs (1991) e Bernard ou les apparitions (1993). Em 2000, dirigiram “La Brèche de Roland” e, quatro anos depois, “Un homme”, os dois com a participação do ator Mathieu Amalric. O sexto longa dos irmãos, “Pintar ou fazer amor”, foi apresentado em competição no Festival de Cinema de Cannes em 2005. Já em 2013, estrearam no Festival de Cinema de Toronto com o filme “L’amour est un crime parfait”, uma adaptação do romance “Incidences”, de Philippe Djian. No verão de 2014, os dois irmãos gravaram “21 nuits avec Pattie” com Isabelle Carré e Karin Viard, uma obra que caminha livremente entre a comédia, o conto e o suspense, mostrando que cineastas já costumavam mesclar os gêneros cinematográficos.

Sobre a Bonfilm

Realizadora dos festivais como Varilux de Cinema Francês, em todo país, e Ópera na Tela, em tendas montadas a céu aberto no Rio e em São Paulo e nos cinemas brasileiros, a produtora Bonfilm é também distribuidora de filmes. Já lançou dezenas de títulos no mercado nacional, entre eles sucessos como Pequeno Nicolau; Asterix, o Segredo da Poção Mágica; Asterix e o Domínio dos Deuses; O Novato; A Revolução em Paris e Amor à Segunda Vista. Em 2022, lança aos cinemas cinco produções que integraram a edição de 2021 do Festival Varilux do Cinema Francês.

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário