sábado, 6 de agosto de 2022

AUTOR E ROTEIRISTA, RAPHAEL MONTES LANÇA SEGUNDA TEMPORADA DE BOM DIA, VERÔNICA, NA NETFLIX

 

"O alcance da primeira temporada de BOM DIA, VERÔNICA me confirmou a importância de contar boas histórias e, ao mesmo tempo, discutir assuntos relevantes e potentes do nosso tempo. A segunda temporada traz temas atualíssimos”, assim comenta o escritor Raphael Montes sobre o lançamento da série, que aconteceu na Netflix.

Dois anos depois de a primeira temporada chegar à Netflix, o criador, roteirista-chefe e produtor-executivo de BOM DIA, VERÔNICA explica que a continuação tem mais ação, mais suspense, mais viradas e conta com um vilão tão cruel e perigoso quanto Brandão (Eduardo Moscovis). O novo vilão, Matias (Reynaldo Gianecchini), é um missionário da fé, que move milhares de fiéis com a sua própria religião, e faz uso de seu poder para cometer crimes.

A primeira temporada dialogou com muitas pessoas, entrou em muitas casas e levou a nossa sociedade a discutir temas como violência doméstica e golpes de internet. Na segunda temporada, meu objetivo era oferecer entretenimento, sem perder a pertinência que a série conquistou. Tratamos de fé, família, crimes sexuais e planos de poder no Brasil.

Dada como morta, Verônica (Tainá Müller), que teve de mudar de identidade e ficar longe de sua família, descobre uma ligação entre o orfanato onde Brandão cresceu e o missionário da fé Matias, interpretado por Reynaldo Gianecchini. O elenco também traz Klara Castanho e Camila Márdila, como filha e esposa, respectivamente, do missionário.

Para essa nova temporada, Raphael acredita que ganhou maturidade como showrunner, pois passou a enxergar uma série em nível macro, ou seja, não só o roteiro, mas todas as áreas que compõem o resultado. “Por exemplo, às vezes uma cena era muito boa, e eu queria essa cena no roteiro, mas eu sabia que ela impactaria a produção de tal modo que as outras cenas ficariam prejudicadas. Então, por mais que tivesse uma visão de roteirista, e gostaria que a cena resistisse, eu entendia que a melhor opção era cortá-la. Acho que é uma maturidade mesmo de enxergar o audiovisual em todas as suas facetas.”

Segundo ele, o maior desafio foi criar uma 2a temporada tão forte quanto a primeira. “Eu acho que é bem mais difícil escrever uma segunda temporada. Em muitas séries, é comum que as continuações sejam mais paradas, uma repetição pálida do que deu certo antes. Em Bom Dia Verônica, eu queria uma continuação com ar de novidade, algo que levasse a outros níveis o suspense e a potência da primeira. Espero ter conseguido.”

Para encontrar essa força do original, Raphael teve de criar um novo núcleo, pois a história de Brandão e Janete (Moscovis e Camila Morgado) acabou. Além disso, a própria personagem Verônica passa por transformações. “Ela toma decisões muito difíceis. Encontrar o tom dessa nova Verônica, longe dos filhos, dada como morta, foi muito desafiador.”

Incentivado pelo sucesso da série e pela demanda dos players, Raphael montou uma produtora de desenvolvimento, a Casa Montes. “Decidi criar uma produtora porque percebi a importância de acompanhar todo o processo de produção. Para contar uma boa história, não basta escrever um bom roteiro. É essencial se cercar dos melhores profissionais e estar próximo em todas as demais fases, da pré-produção até a pós. Como produtor, tenho a certeza de que vou entregar ao público aquilo que idealizei.”

Nesse momento, Raphael termina de escrever a sua primeira novela, Segundas Intenções (HBO Max), e está animado para anunciar os próximos passos no streaming. “Além da novela, estamos desenvolvendo algumas ideias de longa-metragem, como uma franquia de terror, uma série adaptada de um dos meus livros e, claro, séries originais, com muita tensão e viradas. Ainda não posso revelar nada, mas não vejo a hora de poder contar mais.” Se depender da HBO Max, essas ideias sairão logo do papel. O canal assinou com a Casa Montes um acordo de First Look para os próximos três anos.

Além da série, Raphael relança, agora pela Companhia das Letras, uma nova edição do livro Bom dia, Verônica, que serviu de base para a primeira temporada da série. “O que eu e Ilana Casoy fizemos foi uma releitura do livro com uma maior atenção a temas sensíveis. É uma discussão superimportante que tem acontecido na esfera de todas as narrativas.” O livro entrou em pré-venda no mesmo dia da estreia da nova temporada, com texto e capa atualizados.

BOM DIA, VERÔNICA foi escrito há alguns anos. Felizmente, temos evoluído como sociedade. Por isso, nós achamos importante aproveitar a republicação do livro por outra editora, com nova capa, para também ter esse cuidado com o texto. Ou seja, quem já leu o livro não fica prejudicado de maneira alguma. A história é a mesma. Mas é um livro que foi revisitado à luz dos novos tempos.”

BOM DIA, VERÔNICA

Autores: Raphael Montes e Ilana Casoy

Editora: Companhia das Letras

Sobre Raphael Montes

Raphael Montes nasceu em 22 de setembro de 1990, no Rio de Janeiro, e é conhecido por suas histórias de suspense, crime e terror. Advogado e escritor, escreveu os romances  Suicidas,  Dias Perfeitos,  O Vilarejo, Jantar Secreto  e  Uma Mulher No Escuro, sucessos de público e de crítica. É criador, roteirista-chefe e produtor-executivo da primeira novela da HBO Max "Segundas Intenções" e da série  "Bom Dia, Verônica",  para a Netflix.

Começou a carreira aos 18 anos, quando publicou contos em diversas antologias de mistério, como na Playboy (“Viúva Negra”) e na prestigiada revista americana Ellery Queen’s Mystery Magazine. Em 2010, publicou seu primeiro romance, Suicidas (ed. Benvirá), um suspense policial finalista do Prêmio Benvirá de Literatura 2010, do Prêmio Machado de Assis 2012 da Biblioteca Nacional e do prestigiado Prêmio São Paulo de Literatura 2013. Em 2017, Suicidas foi publicado em nova edição pela ed. Companhia das Letras, teve os direitos para cinema vendidos para a RT Features e uma adaptação teatral, com temporadas no Rio e em São Paulo.

Em 2014, publicou Dias Perfeitos (ed. Companhia das Letras), um fenômeno traduzido em 22 países (EUA, Inglaterra, Canadá (inglês e francês), França, Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Holanda, Hungria, Dinamarca, Noruega, Austrália, República Tcheca, Polônia, Turquia, Taiwan, Hong Kong, Macau, Coreia do Sul e Egito) e foi escolhido como Livro do Mês na Amazon norte-americana. No exterior, o livro mereceu resenhas em jornais como The Guardian e Chicago Tribune, recebeu elogios de autores internacionais e foi considerado uma espécie de “irmãos Coen brasileiro”. Teve os direitos para cinema vendidos para a RT Features e uma adaptação teatral, com temporadas no Rio e em São Paulo.

Em 2015, Raphael publicou O Vilarejo (ed. Suma), um romance fix-up de terror que fez grande sucesso entre o público jovem e mereceu comparações com Stephen King. Em 2016, publicou Jantar Secreto (ed. Companhia das Letras), integrando a lista de mais vendidos daquele mês e com direitos de tradução vendidos para França, Espanha, República Tcheca, Egito e Polônia. Também em 2016, publicou, sob o pseudônimo Andrea Killmore, o livro Bom dia, Verônica (ed. Darkside), escrito em parceria com a escritora e criminóloga Ilana Casoy. Em 2019, a “identidade” de Andrea foi divulgada pelo jornal Estadão e, mais tarde, a obra foi lançada numa nova edição, com os nomes dos autores na capa. Mesmo antes da revelação, Bom dia, Verônica vendeu 10 mil exemplares no Brasil.

Em agosto de 2018, Raphael lançou o curso online Escreva o seu romance, um curso de escrita criativa com objetivo de ajudar escritores iniciantes com técnicas de escrita literária. Em maio de 2019, lançou seu romance mais recente, Uma Mulher No Escuro (ed. Companhia das Letras), que chegou ao 11º da lista de mais vendidos da Revista Veja uma semana após o lançamento e ao 1º lugar da lista de mais vendidos da Publish News.

Entre abril/2015 e fevereiro/2018, Raphael assinou uma coluna semanal em O Globo. Entre abril/2017 e fevereiro/2019, apresentou o programa Trilha de Letras, na TV Brasil, dedicado inteiramente à literatura. O escritor também assinou uma coluna quinzenal na revista Veja. Em 2020, Raphael criou a Casa Montes, uma produtora de desenvolvimento com foco em projetos de série e longa-metragem de crime, terror e suspense. Através dela, assinou um first look deal com a HBO Max pelos próximos três anos.

Além disso, Raphael escreveu os seguintes roteiros para cinema e TV:

  • Novela A regra do jogo – Colaborador, 2015, Rede Globo

  • Série policial Espinosa – Roteirista, 2015, GNT

  • Série de terror Supermax – Roteirista, 2016, Rede Globo

  • Longa-metragem Praça Paris – Corroteirista, 2017, dir. Lucia Murat

  • Longa-metragens A menina que matou os pais e O menino que matou meus pais – Corroteirista, 2020, dir. Maurício Eça

  • Série policial Bom dia, Verônica – Criador, roteirista-chefe e produtor executivo, 2020, Netflix; segunda temporada, 2022

Fonte/Foto-Reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário