quarta-feira, 17 de abril de 2019

CURSOS D'A CASA DO PARQUE MESCLAM TRADIÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS


Casa do Parquecasa de cultura que abriu as portas em março, em frente ao Parque Villa-Lobos, inaugura sua programação de cursos para o primeiro semestre de 2019, com temas que vão da história da arquitetura e da arte ao trabalho manual na cozinha, na horta e no ateliê, com experiências pensadas para mobilizar o corpo e o intelecto. Com curadoria do artista e educador Claudio Cretti, os cursos da Casa do Parque procuram realizar um diálogo entre a arte e seus campos vizinhos, como o design, a ilustração científica e a arquitetura. Música, gastronomia, antropologia, botânica e outras áreas do conhecimento também se cruzam em nossa programação, mesclando saberes tradicionais e tecnologias contemporâneas.

Os professores convidados pela Casa do Parque têm grande experiência tanto na prática educacional como artística. Em muitos casos, como nos cursos de Horta Urbana Automatizada ou Design de Objetos em concreto, eles trazem para a Casa do Parque projetos inovadores, desenvolvidos em seus ateliês e oficinas. A ideia, conforme explica Claudio Cretti, é que os cursos também aconteçam no espaço urbano, de modo que a teoria e a prática se completem. Assim vai ser no curso de Ilustração Botânica, de Vanessa Seiko, bióloga que se especializou em desenho científico e que vai dar algumas de suas aulas no Parque Villa-Lobos, em frente à Casa do Parque.

Rodrigo Queiroz, professor de História da Arquitetura no Brasil, vai alternar os momentos em sala de aula com passeios a prédios icônicos da cidade, para que a experiência arquitetônica seja plena para os alunos. O curso de Paisagem na Arte, de Thiago Bortolozzo, também seguirá essa dinâmica.

Curador

O curador da programação de cursos da Casa do Parque é o artista plástico Claudio Cretti. Nascido em Belém do Pará, em 1964, e formado na cena artística paulistana dos anos 1990, Cretti tem obras nos acervos Museu de Arte Contemporânea, MAM, Pinacoteca, Coleção Cidade de São Paulo.

Como arte-educador e curador de arte contemporânea, Cretti tem larga experiência tanto em escolas paulistanas de ensino fundamental e médio como em instituições culturais como o Instituto Tomie Ohtake e o Paço das Artes, ambos em São Paulo. Na Casa do Parque, Claudio faz a curadoria de exposições, de cursos e coordena a equipe do serviço educativo.

Em paralelo à sua atividade como artista — a sua exposição individual Quimera, com curadoria de Tadeu Chiarelli, abre na terça (16), na galeria Cassia Bomeny, no Rio de Janeiro — Claudio é um dos criadores da escola cooperativa Arco, recém-fundada por professores no bairro do Butantã, em São Paulo, um dos projetos educacionais mais inovadores do país.

Público-alvo

Os cursos da Casa do Parque são voltados tanto a iniciados como a iniciantes: os nossos professores trazem discussões proveitosas para artistas e estudantes, mas têm uma especial atenção para os curiosos de todos os perfis e idades que se interessem. Todos os cursos têm o público de jovens e adultos como foco.

Para as crianças, a Casa do Parque programou um módulo especial do curso Comida & Cultura, de Ariela Doctors e Priscila Vieira, voltado ao público infantil. As duas são professoras em escolas de educação infantil de São Paulo, onde empregam a mesma metodologia do curso na Casa do Parque.

As duas professoras têm uma carreira de sucesso na cultura gastronômica de São Paulo: Ariela comandou a cozinha e a gestão do restaurante de sua família, o Tânger, de comida marroquina, e Priscila é sócia fundadora do bar Sagarana, especializado em gastronomia do interior do Brasil. Além do curso para crianças, as duas chefs darão na casa do parque os cursos Comida & Cultura: Amazônia e Comida e Cultura: Cerrado, explorando ingredientes e saberes de dois biomas brasileiros ainda mal conhecidos no resto do país.

As inscrições para os cursos da Casa do Parque podem ser feitas no site acasadoparque.eventbrite.com.br. Mais informações:cursos@acasadoparque.com

Sinopses dos cursos

História da arquitetura moderna no Brasil

Rodrigo Queiroz

Em aulas expositivas (às terças) e visitas a prédios icônicos de São Paulo (aos sábados), o curso repassa a história da arquitetura brasileira nos séculos 20 e 21, com ênfase nas relações entre forma e cultura, discutidas a partir da obra e do pensamento de Lucio Costa, Paulo Mendes da Rocha, Oscar Niemeyer, Lina Bo Bardi e Affonso Eduardo Reidy.

Rodrigo Queiroz é arquiteto e professor livre-docente na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e no Museu da Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo. Suas pesquisas abordam os procedimentos projetuais da arquitetura moderna e os códigos de representação nas artes visuais e na arquitetura.

10 aulas

Às terças, das 19h30 às 21h30

3 encontros aos sábados: datas a combinar.

Início em 16 de abril

R$ 600 

Abril: 16, 23, 30

Maio: 7, 14, 21, 28

Junho: 4, 11, 18
________________________________

Comida & Cultura: Amazônia

Ariela Doctors e Priscila Vieira

Cozinhando com os alunos, as professoras ensinam técnicas e conhecimentos em torno da comida de nosso dia a dia, reconectando-nos com a natureza e a cultura embutidas em nossa mesa.

Nestas aulas teremos como tema as comidas tradicionais do bioma da Amazônia. Cozinhando, abordaremos os processos produtivos, a procedência, a sazonalidade, a ancestralidade e cultura do alimento. Conheceremos os vários personagens responsáveis pela produção do alimento e os verdadeiros guardiões das receitas tradicionais!

Aula 1 (17/4) - Conhecendo a mandioca e seus derivados. Produção da massa da tapioca e feitura de beijus com queijo. Apresentação do Açaí verdadeiro.

Aula 2 (24/4) - Conhecendo a farinha de Uarini, a farinha do Acre e a farinha d'água. Produção de um caldo de legumes saboroso. Feitura de salada com farinha de uarini e legumes.

Aula 3 (8/5) - Conhecendo o tambaqui, um peixe amazônico! Feitura de costelinhas de tambaqui na brasa, acompanhada de purê de banana da terra e vinagrete de formigas saúvas.

Aula 4 (15/5) - Conhecendo frutas amazônicas! Cupuaçu e cacau in natura e seus processos até virarem doce e chocolate, respectivamente. Feitura de mousse de chocolate com creme de cupuaçu.

Aula 5 (22/5) - Conhecendo o pirarucu, o jambu e o tucupi! Produção de ensopado do peixe com tucupi e jambu, acompanhado da crocante farinha d'água.

Aula 6 (29/5) - Conhecendo os cogumelos dos índios yanomami! Feitura de polenta de milho com cogumelos e de sobremesa, deliciosos docinhos feitos com tucumã e castanha do pará!

Ariela Doctors formou-se em comunicação na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo e formou-se na Escola de Culinária Wilma Kövesi. Por dezessete anos, esteve à frente do Tânger, restaurante de cozinha marroquina na Vila Madalena, em São Paulo. Criou, com Priscila Vieira, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Priscila Vieira é formada em pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora de educação infantil, abriu o Empório Sagarana, bar especializado em gastronomia do interior do Brasil, onde trabalhou como chef durante sete anos. Tem formação na escola de arte culinária Laurent Suaudeau. Criou, com Ariela Doctors, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Curso para adultos

6 aulas 

Às quartas, das 19h30 às 21h30.

Início em 17 de abril. Inclui material e insumos.

R$ 540 

Abril : 17, 24

Maio: 8, 15, 22, 29
________________________________

Comida & Cultura: Cerrado

Ariela Doctors e Priscila Vieira

Cozinhando com os alunos, as professoras ensinam técnicas e conhecimentos em torno da comida de nosso dia a dia, reconectando-nos com a natureza e a cultura embutidas em nossa mesa. Depois da Amazônia, tema do primeiro módulo, o curso tratará do cerrado. Veja abaixo a descrição das aulas do módulo Cerrado. 

Nestas aulas teremos como tema as comidas tradicionais do bioma do cerrado. Cozinhando, abordaremos os processos produtivos, a procedência, a sazonalidade, a ancestralidade e cultura do alimento. Conheceremos os vários personagens responsáveis pela produção do alimento e os verdadeiros guardiões das receitas tradicionais!

Aula 1 (5/5) - Galinhada com arroz e pequi! Aprendendo a fazer um verdadeiro caldo de galinha e conhecendo uma fruta típica do cerrado!

Aula 2 (12/6) - Conhecendo a castanha de baru! Falaremos sobre os processos do açúcar até chegarmos na rapadura e produziremos um delicioso bolo de rapadura e baru, acompanhado de creme inglês de café.

Aula 3 (19/6) - Descobriremos os processos de conservação de carnes. Carne seca, carne de sol, charque...Feitura de farofa de carne seca acompanhada de abóbora cabotian ao forno com alecrim!

Aula 4 (26/6) - Aprenderemos a fazer um verdadeiro empadão goiano! Vários sabores numa só torta!
Ariela Doctors formou-se em comunicação na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo e formou-se na Escola de Culinária Wilma Kövesi. Por dezessete anos, esteve à frente do Tânger, restaurante de cozinha marroquina na Vila Madalena, em São Paulo. Criou, com Priscila Vieira, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Priscila Vieira é formada em pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora de educação infantil, abriu o Empório Sagarana, bar especializado em gastronomia do interior do Brasil, onde trabalhou como chef durante sete anos. Tem formação na escola de arte culinária Laurent Suaudeau. Criou, com Ariela Doctors, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Curso para adultos

5 aulas 

Às quartas, das 19h30 às 21h30.

Início em 5 de maio. Inclui material e insumos.

R$ 360 

Junho: 5, 12, 19, 26
________________________________

Comida & Cultura para Crianças

Ariela Doctors e Priscila Vieira

Com enfoque para crianças, as professoras cozinham com os alunos, ensinam técnicas e conhecimentos em torno da comida de nosso dia a dia, reconectando-nos com a natureza e a cultura embutidas em nossa mesa.

Ariela Doctors formou-se em comunicação na Escola de Comunicação e Arte (ECA) da Universidade de São Paulo e foi chefe de cozinha na Escola de Culinária Wilma Kövesi. Por dezessete anos, esteve à frente do Tânger, restaurante de cozinha marroquina na Vila Madalena, em São Paulo. Criou, com Priscila Vieira, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Priscila Vieira é formada em pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora de educação infantil, abriu o Empório Sagarana, bar especializado em gastronomia do interior do Brasil, onde trabalhou como chef durante sete anos. Tem formação na escola de arte culinária Laurent Suaudeau. Criou, com Ariela Doctors, o projeto Comida e Cultura, que já foi levado a instituições culturais, espaços educativos e faz parte do currículo de escolas de educação infantil em São Paulo.

Curso para crianças

8 aulas

A partir de 6 anos

Às sextas, das 15h às 16h. Início em 3 de maio. Inclui material e insumos.

R$ 400

Maio: 3, 10, 17, 24, 31

Junho: 7, 14, 28
________________________________

Ilustração botânica

Vanessa Seiko

Bióloga e ilustradora apresenta as diferentes técnicas utilizadas na ilustração científica: grafite, pontilhismo, lápis de cor etc. Inclui material.

Vanessa Seiko é bióloga formada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu, com especialização em ilustração científica, aquarela botânica e pontilhismo. Trabalha como professora e ilustradora científica.

10 aulas

Às quintas, das 14h30 às 17h30. Início em 25 de abril

R$ 720 

Abril: 25

Maio: 2, 9, 16, 23, 30

Junho: 6, 13, 27

Julho: 4
________________________________

Como ouvir música do século 20

Matheus Leston

O artista multimídia que criou a Orquestra Vermelha repassa a história da música no século 20. Pensado para quem não tem familiaridade com teoria musical, o curso é uma introdução à produção erudita do século passado, com foco em sua primeira metade. Além de discutir a sua difusão, vamos treinar a audição de forma a entender os avanços formais de cada compositor através da escuta, desvendando os elementos harmônicos e rítmicos dessa nova sintaxe.

Matheus Leston é um artista multimídia que tematiza em sua obra as relações entre arte e tecnologia e entre música e visualidade. É criador dos projetos Orquestra Vermelha, Menos e Ré.

4 aulas

Às quintas, das 19h30 às 21h30. Início em 25 de abril

R$ 240

Abril: 25

Maio: 2, 9, 16

________________________________

Design de objetos em concreto

Romulo Milanese

Uma introdução teórica e prática às possibilidades plásticas que o concreto oferece a designers, artistas e curiosos. Inclui a confecção de protótipo do objeto desenvolvido por cada aluno ao longo do curso.

Romulo Milanese é formado em arquitetura pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Com projetos de cenografia e arquitetura construídos dentro e fora do país, realiza uma extensa pesquisa sobre materiais de construção naturais e de baixo impacto ambiental. É sócio fundador do estúdio Design Duro, onde desenha e fabrica mobiliário e objetos em micro escala.

6 aulas

Aos sábados, das 9h às 12h. Início 4 de maio. Material incluído.

R$ 490 

Maio: 4, 11, 18, 25

Junho: 1, 8
________________________________

Horta Urbana Automatizada

Rainer Grassmann e Letticia Rey

Horta Urbana Automatizada (HUA) é um sistema tecnológico para monitorar irrigação, iluminação, temperatura, qualidade do ar e outros aspectos do cultivo de plantas comestíveis em ambiente urbano. Não é necessário conhecimento prévio de botânica nem de eletrônica. Opcionais, os kits individuais são vendidos à parte.

Letticia Rey, urbanista pós-graduada em Controle Social de Políticas Públicas, é especializada em participação social e governo aberto, com foco em inovação tecnológica, transparência e abertura de dados para envolver a sociedade civil no desenho de políticas públicas e projetos que melhorem a vida nas cidades. É co-fundadora do coletivo Participação Urbana e integrante do Fórum de Gestão Compartilhada. Atua como coordenadora de projetos em Controle Social no Observatório Social do Brasil - São Paulo.

Rainer Grassmann, arquiteto e urbanista, desenvolve soluções tecnológicas ecológicas e construções sustentáveis tanto como profissional autônomo como em parceria com a Plataforma Habita-Cidade, onde dá aulas e realiza projetos utilizando princípios da permacultura, da agricultura sintrópica e biodinâmica, voltados à paisagem produtiva e à geração de renda. Participante da 3ª Residência Hacker na Red Bull Station em 2017, lá desenvolveu o projeto Horta Urbana Automatizada.

6 aulas

Aos sábados e domingos, das 10h às 13h. Início em 4 de maio

R$ 490 

Kit opcional R$ 250

Maio: 4, 5, 11, 12, 18, 19
________________________________

Paisagem e arte

Thiago Bortolozzo

Com aulas teóricas e práticas, o curso estabelece relações entre obras de artistas que discutem o conceito de paisagem como representação/objeto e campo expandido de trabalho. Assim, o conceito de paisagem é ampliado para uma compreensão deste espaço como um lugar de aproximações, ações e imersões que serão vivenciadas na própria Casa do Parque e nas imediações do Parque Villa Lobos.

Thiago Bortolozzo é artista visual e professor. É graduado em artes visuais Universidade de São Paulo (USP), cursou na Alemanha (2011-13) parte do mestrado, obtido em poéticas visuais, na Universidade de Campinas (Unicamp), em 2018.

4 aulas

Às quartas, das 14h30 às 17h30. Início em 8 de maio.

R$ 290 

Maio: 8, 15, 22, 29

_______________________________

Serviço

Av. Professor Fonseca Rodrigues, 1300

City Boaçava -- São Paulo

Aberta ao público de terça a sexta, das 11h às 22h

Sábado e domingo das 10h às 18

Tel. (11) 3811-9264

Como chegar

Casa do Parque fica em frente ao Parque Villa-Lobos, em São Paulo.

De bicicleta

É possível chegar à Casa do Parque pela ciclovia que integra as avenidas Faria Lima--Pedroso de Morais--Professor Fonseca Rodrigues, que passa em frente ao portão de entrada.

De transporte público

Em frente à Casa do Parque passam as linhas de ônibus 958P-10 (Itaim Bibi--Jd. Nardini) e 957T-10 (Itaim Bibi--Cohab Taipas) -- ambas passam no Largo da Batata/Metrô Faria Lima. Também é possível chegar pela Estação Villa-Lobos Jaguaré, da CPTM, atravessando o Parque Villa-Lobos a pé (cerca de 30 minutos).

De táxi/aplicativos

Digite A Casa do Parque no campo de destino do seu aplicativo preferido.

Casa do Parque não possui estacionamento

Fonte/Foto-reprodução/divulgação: Assessoria de Imprensa - Legenda: Fachada A Casa do Parque 

Nenhum comentário:

Postar um comentário