terça-feira, 9 de abril de 2019

SOLUÇÕES PARA ALTA TECNOLOGIA X RECURSO FINANCEIRO FINITO É TEMA DE PALESTRA DO 10º SEMINÁRIO UNIDAS


Novos procedimentos utilizando alta tecnologia são apresentados com frequência na área da saúde suplementar, ao mesmo tempo, implantar essas tecnologias tem um custo muito alto. Como encontrar um meio-termo? Essa é a discussão que o médico Luiz Fernando Kubrusly, mestre e doutor em Clínica Cirúrgica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), vai trazer durante a sua palestra no 10º Seminário UNIDAS, no dia 29 de abril, em Brasília.

Para Kubrusly, é necessário promover a estratificação da utilização de um novo recurso tecnológico. Isso significa fazer uma análise dos novos procedimentos apresentados e identificar quem realmente pode se beneficiar com o uso dessas tecnologias. É importante pensar qual é o custo dessa nova solução; o universo de pessoas que ele atinge e em quem ele será utilizado. A principal reflexão é trazer a alta tecnologia para um recurso finito e entender quem são os candidatos beneficiados.

Em sua palestra, Kubrusly trará como exemplo prático o TAVI (transcatheter aortic valve implantation), que é um procedimento pouco invasivo, que permite a correção em uma redução no diâmetro da válvula aórtica, uma das quatro válvulas cardíacas. O TAVI é uma tecnologia cara, mas que cresceu muito no setor e tem sido muito utilizada. Inicialmente era aplicada apenas em pacientes de altíssimo risco, depois, com bons resultados, começaram a usar em pacientes de alto risco, depois médio e agora foi lançado para baixo risco, o que o cirurgião cardiovascular considera uma quebra de barreiras. "O TAVI é um exemplo típico que se for criado algum tipo de parceria, pode trazer um benefício muito grande tanto de economia, quanto de colocação e estratificação no paciente correto", acrescenta.

O médico acredita que o principal desafio na área da saúde suplementar é justamente envolver todos os participantes, como fonte pagadora, hospitais e médicos para criar essas parcerias que ainda não existem na área de alta tecnologia, gestão de saúde, médicos e hospitais. "Esse é o grande benefício do Congresso UNIDAS, é a hora que você consegue colocar médicos, hospitais e operadoras de autogestão em uma mesma área, trabalhando para um só fim", finaliza.

Sobre:

10º Seminário

O 10º Seminário UNIDAS será realizado nos dias 29 e 30 de abril, no Windsor Plaza Hotel, em Brasília, no Distrito Federal. Ao promover o seminário anual, a UNIDAS proporciona a difusão de conhecimento, a troca de informações e o debate de experiências em gestão de saúde para estimular a reflexão com todos os agentes do segmento, proporcionar relacionamento entre as filiadas, seus gestores e os representantes do mercado.

UNIDAS

A UNIDAS - União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde é uma entidade associativa sem fins lucrativos, representante das operadoras de autogestão do Brasil. A autogestão em saúde é o segmento da saúde suplementar em que a própria instituição é a responsável pela administração do plano de assistência à saúde oferecido aos seus empregados, servidores ou associados e respectivos dependentes. É administrado pela área de Recursos Humanos das empresas ou por meio de uma Fundação, Associação ou Caixa de Assistência – e não tem fins lucrativos. Atualmente, a UNIDAS congrega cerca de 120 operadoras de autogestão responsáveis por prestar assistência a quase 4,7 milhões de beneficiários, que correspondem a 11% do total de vidas do setor de saúde suplementar. É entidade acreditadora chancelada pelo QUALISS, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por meio do programa UNIPLUS.

Serviço

10º Seminário UNIDAS – Gestão das informações em saúde como estratégias para tomada de decisão
Palestra: Alta Tecnologia x Recurso Finito. O que fazer?

29 de abril, 16h30 às 17h30

Local: Windsor Plaza Hotel – Brasília-DF

Mais informações: http://10seminario.unidas.org.br/

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário