quinta-feira, 26 de setembro de 2019

FILME "AMBIENTE FAMILIAR” DO DIRETOR PARAIBANO TORQUATO JOEL ESTREIA NO CENTERPLEX


O filme “Ambiente familiar” apresenta três amigos que por diferentes situações da vida se uniram e passaram a se considerar família. A história apresenta Alex (Alex Oliveira), Fagner (Fagner Costa) e Diogenes (Diogenes Duque), com idas ao passado de cada um, mostrando os problemas familiares que enfrentaram, enquanto no presente eles se resolvem com suas trajetórias.

A partir dos flashbacks de suas vidas, como por exemplo, uma infância turbulenta e cheia de dificuldades, o espectador pode perceber a cronologia de vida dos três personagens e o motivo deles estarem unidos hoje.

Dirigido por Torquato Joel, a obra representa uma parte da população brasileira que enfrenta diariamente os traumas do passado para conseguir seguir no presente. As gravações aconteceram em João Pessoa, cidade natal do diretor e dos protagonistas, e também, em Tambaba, Cabedelo, Guarabira e no Brejo Paraibano. 

Produzido pela Extrato de Cinema com distribuição da Elo Company, o filme estreia em 26 de setembro em 20 salas de 19 cidades do país pelo Projeta às 7, iniciativa da distribuidora em parceria com a Cinemark, que abre uma nova janela para o cinema nacional no circuito comercial.

Sobre:

SINOPSE

Alex, Fagner e Diógenes moram juntos, mas a relação entre eles vai muito além de uma mera divisão de despesas da casa. Os três jovens amigos forjam uma nova ordem familiar no esforço para superar os impactos vividos nas pobrezas afetivas e sociais de suas infâncias. Perda, abandono e rejeição são matérias-primas que agora precisam de ressignificação na busca por uma vida mais feliz.

FICHA TÉCNICA

Personagens

ALEX OLIVEIRA
FAGNER COSTA
DIOGENES DUQUE


- Elenco Principal

Atriz (Mãe de Alex) – Marcelia Cartaxo
Ator Protagonista Mirim (Alex) – Matheus Henrique
Ator Protagonista Mirim (Fagner) – Luiz Henrique Silva
Ator Protagonista Mirim (Diógenes) – Joaquim Lucena Viana

Elenco de apoio

Atriz (Rezadeira) – Zezita Matos
Ator  Mirim (Irmão de Diógenes) – Augusto Barbosa de Lima
Ator (Pai de Alex) – Beto Quirino
Atriz (Amante do pai de Alex) – Kassandra Brandão
Atriz (Irmã de Nena I) – Challena Barros
Atriz (Irmã de Nena II) – Ingrid Castro
Atriz (Iemanjá) – Norma Góes
Atriz (Vassoura) – Margarida Santos
Ator (Médium)  – Servilio Holanda
Atriz (Mãe de Fagner) – Verônica Cavalcante
Ator (Amigo de Fagner) – Bertrand Araújo
Atriz (Madrasta de Fagner) – Suzy Lopes
Ator (irmão de Fagner) – Geyson Luiz
Ator (Avô de Fagner) – Fernando Teixeira
Atriz (Avó de Fagner) - Soia Lira
Atriz (Viúva) – Dhyan Urshita
Atriz (Mãe de Diógenes) – Cely Farias
Ator (Pai de Diógenes)  – Mano Fialho
Atriz (Faxineira do Hotel) – Fafá Dantas
Atriz (Gleide Jane) – Alice Maria
Ator (Mendigo- Homem do Saco) – Dadá Venceslau

Direção: Torquato Joel

Produção: Extrato de Cinema

Produtor Executivo: Diego Benevides

Produtoras Executivas: Nina Rosa e Metilde Alves

Diretor de Produção: Pablo Maia

Diretor de Fotografia: Beto Martins

Diretor de Som: Léo Bortolin      
    
Diretor de Arte, Figurino e Visagismo: Romero Sousa

Montagem: Diego Benevides

Direção de Animação: João Mário T. Araújo

Trilha Musical Original e efeitos sonoros: Artesanato Furioso (estudos em (des)territorialização da performance)

NOTA DO DIRETOR

Eu tinha um apartamento para alugar quando surgiram três rapazes amigos de um amigo meu que assinaram o contrato de locação. A ideia de “Ambiente Familiar" me ocorreu após uma viagem durante um final de semana com dois deles, quando fomos a casa de praia desse nosso amigo em comum. O lugar não dispunha um bom sinal de celular, mas Alex e Diógenes expressaram uma preocupação excessiva em conseguir ligar pra Fagner, o terceiro locatário do meu apartamento. Os dois saíram em busca de sinal nos morros próximos à praia, tamanha era a preocupação em fazer contato com o amigo para relatar que estava tudo bem na viagem. Aquilo me despertou muita atenção pelo fato que os três, sob minha ótica, eram apenas amigos, sem vínculos familiares, sem relação sexual, que dividiam uma moradia por convergência da vida. Naquele final de semana outras ações dos dois revelaram que os vínculos afetivos estavam fortes entre os três, indo muito além de uma mera república de jovens em início da vida profissional. Decidi fazer um filme sobre Alex, Diógenes e Fagner para falar sobre os novos arranjos familiares. Passei dois anos na pesquisa, o que me fez estabelecer uma relação de confiança e intimidade com o trio.
A trama foi construída com foco na investigação sobre como somos forjados afetivamente a partir da infância. Abandonos e perdas no início da vida, dependendo de como acontecem e nos impactam, são responsáveis pela qualidade da nossa matéria-prima emocional. 
A trama tem também certo tom de folhetim, bebe literalmente na fonte das novelas e também nas fábulas infantis por conta do próprio imaginário e das referências que os personagens têm com relação ao que viveram no passado. São cenas em fragmentos que condensam passagens fundamentais de suas vidas. Por vezes na contextura narrativa esses acontecimentos são superdimensionados, como é muito comum na imaginação infantil. Em “Ambiente Familiar” vemos três jovens sobreviventes de uma realidade social muita adversa. É impressionante o progresso dos três na vida apesar da aridez afetiva em que estavam inseridos. Portanto, é um filme sobre superação, sobre como é possível dar uma reviravolta apesar dos percalços que ela (a vida) nos apresenta. 
DIRETOR

Roteirista e diretor de cinema, formado em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), estudou cinema na Association Varan de Paris (França) e no Atelier de Cinema Direto da UFPB. Tem alguns de seus filmes premiados em festivais nacionais, em destaque: Passadouro (19 prêmios em festivais, incluindo melhor filme, fotografia e direção no Festival de Gramado), Transubstancial (15 prêmios, incluindo o prêmio da crítica no Festival de Brasília) e À Margem da Luz (14 prêmios), entre outros.  Alguns de seus filmes foram selecionados para festivais internacionais como Roterdã (Holanda) e Huesca (Espanha). Foi editor do fanzine de cinema A Tela Demoníaca.

PRODUTORA

A Extrato de Cinema é uma empresa cinematográfica, formada a partir da união de realizadores audiovisuais independentes que atuam no estado da Paraíba. Tem por missão a produção de filmes de ficção, documentários e outros gêneros, e se relacionam com variadas propostas em produção audiovisual. Se aventurando pelo universo complexo do longa-metragem, vem traçando desafios e firmando parcerias importantes para comercialização e distribuição de seus novos filmes que serão lançados em festivais em 2019, com seus curtas vem levando o nome da Paraíba pelos mais diversos importantes festivais no Brasil e no exterior. 

A Extrato conta com a aquisição de filmes em grandes canais a cabo (Canal Brasil, Universal Channel, TV Brasil, Canal Curta, entre outros). O núcleo da empresa é formado pelos diretores Diego Benevides, Lúcio César Fernandes e Luís Barbosa. Todos com larga experiência na produção e realização de filmes independentes, captação de recursos, oficinas de cinema, programas de tv, pontos de cultura e outras atividades relacionadas há mais de quinze anos. Atua também em parcerias com grandes agências de publicidade e propaganda produzindo conteúdos diferenciados.

ELO COMPANY

Empresa especializada em produção e distribuição audiovisual fundada por Ruben Feffer, Flavia Feffer e Sabrina Nudeliman Wagon. No mercado há 13 anos, conta com uma estrutura completa de produção de conteúdo, distribuição de obras audiovisuais em todas as plataformas e vendas para o mercado nacional e internacional. 

Na unidade ELO Produções são três lançamentos no ano de 2019 e mais de dez projetos em seu lineup, incluindo co-produções.

Na unidade ELO Distribuições são mais de 100 títulos em seu lineup, entre eles “Vou Nadar Até Você”, primeiro filme protagonizado por Bruna Marquezine, “Emicida” produzido pela RT Features, “Miss Beach Star” dirigido por Cris D’Amatto e protagonizado por Fabiana Karla, “Prisioneiro da Liberdade” de Jefferson De, “Torre das Donzelas” de Susanna Lira (vencedor do prêmio de Melhor Documentário pelo público na Mostra de Internacional de São Paulo), “Aos Olhos de Ernesto” da premiada Ana Luisa Azevedo, “Tito e os Pássaros” de Gustavo Steinberg, pré-indicado ao Oscar de 2019, “O Menino e o Mundo” de Ale Abreu, indicado ao Oscar de melhor animação, “S.O.S: Mulheres Ao Mar 2”, apenas para citar alguns. 

A Elo Company tem entre seus principais objetivos criar, produzir e divulgar as narrativas brasileiras em múltiplas telas e países. 

A empresa tem como princípios a valorização da diversidade na frente e atrás das telas com projetos inovadores como o Selo ELAS com o intuito de fomentar projetos de longa-metragem com direção feminina.

PROJETA ÀS 7

Iniciativa da Cinemark e Elo Company que abre uma nova janela para o cinema brasileiro. Os filmes participantes são de diversos gêneros, vindos de norte a sul do Brasil, dirigidos por homens e mulheres consagrados ou iniciantes, e ganham sessões de pré-estreia de segunda a sexta-feira, às 19h, com preços especiais de R$ 12 e exibição simultânea em 20 salas de cinema em 19 cidades do Brasil: São Paulo (Shoppings Eldorado e Santa Cruz), Rio de Janeiro (Downtown), Aracaju (Shopping Jardins), Belo Horizonte (Pátio Savassi), Brasília (Pier 21), Campinas (Iguatemi), Campo Grande (Shopping Campo Grande), Cuiabá (Shopping Goiabeiras), Curitiba (Shopping Miller), Goiânia (Shopping Flamboyant), Londrina (Boulevard Londrina), Natal (Midway Mall), Porto Alegre (Barra Sul), Recife (Riomar), Ribeirão Preto (Novo Shopping), Salvador (Salvador Shopping), Santos (Praiamar), São José dos Campos (Colinas) e Vitória (Shopping Vitória).

Foto/Crédito: Extrato de Cinema 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário