sexta-feira, 29 de novembro de 2019

UM GATO PODE FALAR? CLARO QUE SIM!


Num livro, tudo é possível. A partir desta premissa, a autora Carolina Michelini e o ilustrador Michele Iacocca nos levam para acompanhar o gato Modesto numa viagem com a família para um casamento no interior. Este é o tema central de Ah, se eu pudesse falar! De olho no desperdício, publicado pela Moderna. A viagem em si pode parecer corriqueira, mas certamente não é assim para Modesto. E para mostrar o quão enriquecedora é a experiência, ele até se dispõe a falar com o leitor.

Aliás, de modesto o gato não tem nada. Logo no começo da história, ele já se define como esperto, inteligente, ágil e asseado, "tudo na medida certa". Defeitos? Estes estão concentrados em seu colega Leão, que, apesar do nome, é o cachorro da família. Eles brigam feito cão e gato (não poderia ser diferente, né?), mas se gostam. E se tem uma qualidade que o gato se gaba mais, é a de ser observador. Tanto observa que está sempre analisando o comportamento da família, composta de um pai que trabalha numa empresa de cosméticos, uma mãe dona-de-casa e três filhos: uma menina de 12 anos, um menino de 9 e um bebê.

Modesto não entende por que a família sempre quer ter mais do que tem. Enquanto todos – até o bebê – ficam assistindo TV cobiçando o que aparece no comercial, o gato apenas curte o momento de ficar com eles ganhando carinho no sofá. A partir dessas constatações cotidianas, o personagem principal traz o leitor para um debate sobre o consumismo e sobre o desperdício em nossos dias, possibilitando uma consciência sobre a sustentabilidade.

No entanto, em uma dessas noites no sofá, chega um convite inesperado. O primo do interior vai casar. É hora de fazer as malas – e ir fazer mais compras. É... parece que essa viagem vai ser cheia de lições para todos.

Sobre:

Os autores

Carolina Michelini nasceu em Joinville (SC), mas viveu em vários lugares e viajou um bocado! Em São Paulo, formou-se em Psicologia e especializou-se em Psicopedagogia. Carolina é também musicista e toca violoncelo. De toda essa vivência, vieram a vontade e a necessidade de falar de coisas que ela acha fundamental, como a liberdade, o amor, a arte e a importância de experimentar a vida em toda a sua beleza e riqueza! Seus livros, de forma leve e divertida, trazem várias reflexões.

Michele Iacocca nasceu na Itália e foi lá que deu início aos estudos de literatura clássica. Sempre sentiu-se atraído por qualquer manifestação de arte, como cinema, teatro, literatura, desenho, pintura etc. Bem como pelo humor em geral. Por volta dos vinte anos, depois de rodar um pouco pela Europa, decidiu conhecer o outro lado do mundo e acabou vindo para o Brasil. Chegando aqui, retomou seus estudos em artes plásticas na FAAP. Trabalhou em agências de publicidade e editoras até 1973, quando publicou seu primeiro livro, chamado Eva (Ed. Massao Ono), premiado pela crítica e publicado também na Europa. Continuou durante muitos anos publicando charges, cartuns, tiras e ilustrações nos principais jornais e revistas do país. Nos anos de 1980, começou a escrever e a ilustrar para crianças e adolescentes. Como autor e ilustrador, contabiliza mais de 250 livros. Ganhou muitos prêmios ao longo da vida.

Editora Moderna

A Moderna atua há mais de 50 anos com o compromisso de educar para um mundo em constante movimento, compreendendo cada ecossistema formativo para ajudar a construir projetos de vida alinhados às expectativas de cada indivíduo. Com uma equipe de autores e especialistas que conhecem as necessidades do brasileiro e das instituições de ensino públicas e privadas, a Moderna investe em pesquisas, inovações e novas metodologias para criar e elaborar conteúdos didáticos, literários e projetos educacionais efetivos. Assim, ao lado de escolas e famílias, desenvolvemos habilidades, competências e valores para os desafios pessoais e profissionais que estão porvir.

Desde 2001, como parte da Santillana, grupo editorial e de educação presente em 22 países, a Moderna contribui com projetos sociais de fomento à educação e à cultura, em parceria com a Fundação Santillana e outras entidades do setor. Também apoia a formação de professores e gestores, com a realização de cursos, oficinas e seminários gratuitos e a disponibilização de obras de referência para fomentar reflexões e políticas públicas em prol da melhoria da qualidade do ensino.

Ficha técnica

Título: Ah, se eu pudesse falar!

Autor: Carolina Michelini

Ilustradora: Michele Iacocca

Páginas: 48

Preço sugerido: R$ 49

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário