quarta-feira, 1 de julho de 2020

INSTITUTO BACCARELLI ALERTA: COMUNIDADE DE HELIÓPOLIS - A MAIOR DE SÃO PAULO - SOFRE COM OS EFEITOS DA PANDEMIA E CERCA DE 200 MIL PESSOAS PRECISAM DE AJUDA


O Instituto Baccarelli - uma das organizações sem fins lucrativos mais respeitadas no Brasil por proporcionar ensino de excelência combinando três eixos: cultural, educacional e social - lança um alerta e um apelo sobre as dificuldades que cerca de 200 mil pessoas da comunidade de Heliópolis - a maior de São Paulo - estão enfrentando por conta dos efeitos da pandemia. O Instituto, responsável por criar a primeira orquestra do mundo em uma favela, tem buscado minimizar esse cenário por meio da campanha "Tocando Juntos por Heliópolis", que já arrecadou 97 toneladas de alimentos e R$ 239 mil para ajudar a comunidade, porém ainda insuficientes para atender à toda a demanda com alerta para o agravamento das condições daquela população.
A campanha "Tocando Juntos por Heliópolis" continua aberta e as contribuições de qualquer valor podem ser realizadas por meio do sitda instituição que hoje se tornou uma plataforma para divulgar a campanha, receber e organizar as doações na comunidade.
De acordo com o diretor executivo do Instituto Baccarelli, Edilson Ventureli, é preciso mobilizar o maior número possível de pessoas e instituições para apoiar essa comunidade já tão castigada pela desigualdade social, e que agora sofre ainda mais diante da pandemia. As aulas de música realizadas na sede do Instituto, dentro da comunidade, ainda continuam acontecendo, mas à distância. O foco do Instituto agora está em prevenir mortes pela pandemia e combater a fome.
A equipe que gerencia as orquestras e corais encaminha as doações às famílias, com alimentos, produtos de limpeza e higiene, bem como promove a transferência de renda por meio de cartões pré-pagos para que as famílias possam comprar itens que complementem os alimentos e produtos já doados. Além disso, os cartões possibilitam a realização de compras nos comércios da favela, movimentando a economia local.
Os maiores efeitos da pandemia estão se abatendo sobre a população das comunidades. São domésticas, comerciantes, desempregados e autônomos que que perderam seus trabalhos, o que dificulta o acesso para comprar alimentos e itens de higiene que ajudam na prevenção contra a transmissão do vírus.
Uma pesquisa feita pela Unas - União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região - com 653 moradores, no final de março, apontou que, de cada dez famílias que vivem em Heliópolis e região, sete delas já sentiam no bolso os reflexos do coronavírus, tendo algum tipo de perda na renda por causa das medidas de isolamento social. No bairro, 63% das famílias vivia com até dois salários mínimos por mês e 20% delas afirmavam não ter fonte de renda na ocasião.
"Hoje o nosso maior foco é tentar diminuir o sofrimento de centenas de pessoas. Pessoas tão importantes para nós. Rostos que até pouco tempo podíamos ver nos ensaios, nos palcos e plateias, e que hoje lutam para sobreviver. Nesse momento, não podemos aplaudi-los, mas podemos ajudá-los", afirma Edilson Ventureli, diretor executivo do Instituto Baccarelli.
O Instituto Baccarelli
Das cinzas de um incêndio, em 1996, nasceu a primeira orquestra em uma favela do mundo, a Orquestra Sinfônica Heliópolis, que hoje conta com a direção artística e regência de um dos maiores maestros da atualidade, Isaac Karabtchevsky. A partir de uma iniciativa solidária do Maestro Silvio Baccarelli, surgiu uma das principais organizações sem fins lucrativos e não governamentais do Brasil, dedicada às áreas cultural, social e educacional.
A iniciativa, iniciada há 24 anos com aulas de instrumentos de cordas para apenas 36 crianças em um espaço no próprio auditório do fundador, passou por uma instalação em uma antiga fábrica de sucos até conquistar a sua sede própria na Comunidade de Heliópolis. Em uma área de 5 mil m², atende anualmente mais de 1.000 crianças e adolescentes a partir dos 4 anos de idade, e conta com 16 turmas de musicalização infantil, 13 corais, 48 turmas de coletivos de instrumentos e 4 orquestras.
O projeto inicial da orquestra cresceu, se profissionalizou e, atualmente, o Instituto Baccarelli tornou-se uma organização sem fins lucrativos que ensina música a mais de 1.200 crianças e jovens da região. Em uma área de 5 mil m², o Instituto conta com 16 turmas de musicalização infantil, 13 corais, 48 turmas de coletivos de instrumentos e 4 orquestras.
Sobre o Instituto Baccarelli:
O Instituto Baccarelli é uma das organizações sem fins lucrativos mais respeitadas no Brasil por proporcionar ensino de excelência combinando 3 eixos de grande importância: cultural, educacional e social. Além disso, formou a primeira orquestra do mundo em uma favela, quebrando diversas barreiras. Com direção artística e regência de um dos maiores maestros da atualidade, Isaac Karabtchevsky, a instituição oferece todas as atividades gratuitamente e tem sua sede na comunidade de Heliópolis, onde atua há 24 anos, como agente de transformação social por meio da arte. Mais do que dar acesso ao ensino musical, o instituto mostra um futuro com mais perspectivas àqueles que, pela desigualdade, são colocados à margem da sociedade. Para mais informações, acesse http://www.institutobaccarelli.org.br

Fonte/Foto-reprodução-divulgação: Assessoria de Imprensa - Legenda: Alunos do Instituto Baccarelli

Nenhum comentário:

Postar um comentário