domingo, 11 de outubro de 2020

27° PORTO ALEGRE EM CENA: O FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTES CÊNICAS DE PORTO ALEGRE

A 27ª edição do Porto Alegre Em Cena, que estreia no dia 21 de outubro, e encerra no dia 31, é uma mostra da reinvenção e da transformação da arte e da forma como o público assiste e entende o teatro. E agora com palcos também virtuais – e com interpretações até mesmo feitas por meio de uma ligação telefônica ou de WhattsApp (em um espetáculo particular, one to one).

O festival internacional de artes cênicas, que há quase três décadas toma conta dos palcos da capital gaúcha, agora estará disponível a todos os públicos, com atrações internacionais, nacionais e locais. O isolamento social não exige isolamento cultural. E o 27º Porto Alegre Em Cena será, ao mesmo tempo, a prova disto e um registro histórico de como fazer teatro em um cenário tão adverso como o atual.  Os tempos de pandemia transformaram esta edição no mais democrático e abrangente festival em quase 30 anos de espetáculos presenciais.

Em cartaz, apresentações pensadas para os novos tempos de grupos da Escócia, da Dinamarca, do nordeste brasileiro, do Distrito Federal e de São Paulo. E mesmo as performances presenciais, nas ruas de Porto Alegre, estarão disponíveis no Canal Em Cena no YouTube. Nesta nova proposta para as artes cênicas virtuais, só não acessa quem não quer. Assim, a 27ª edição do Porto Alegre Em Cena apresenta para todo o País e para o mundo, a partir do próximo dia 21, uma nova forma de teatro. Ou várias!

Para dar início a programação do festival, a estreia nacional da video-performance-instalação Marcha À Ré (dia 21 de outubro, às 21h), de Eryk Rocha, a partir da performance do Teatro da Vertigem e Nuno Ramos. Em seguida, a produção escocesa Body A (de 21 a 30 de outubro, sempre às 20h30), uma vídeo-instalação, de Colette Sadler e Mikko Gaestel. A obra reenquadra a ideia de tecnologia e testa limites sobre a relação entre humano e não humano, entre corpo e dados/informação. O espetáculo ganha transmissão no Canal em Cena e também projeções em prédio de Porto Alegre.

Ao lado de As I Collapse (dias 29 e 30 de outubro – 18h, 18h45, 20h e 20h45), original da Dinamarca, as duas produções correspondem as atrações internacionais desse ano. Será a única forma de o grande público acessar a performance no Brasil. O festival será o palco de estreia virtual por aqui do As I Collpase, apresentado pela primeira vez na  Bienal de Performance de Berlim,  neste ano.

"Esse trabalho é um dos acontecimentos teatrais mais importantes do ano e marca o início do processo de co-produções do Porto Alegre em Cena. Fizemos muitas destas atividades em conjunto com os artistas e com a Bienal de Performance de Berlim”, comemora o diretor do Festival, Fernando Zugno.

Serão utilizadas, neste ano, plataformas de comunicação digital, como tantos outros já fazem, mas o Em Cena também vai interagir com o público de uma forma que nunca foi feita. Serão apresentações individuais, locais, internacionais, nacionais, lives, discussões e o formato será por meio de projeções, ligação telefônica, WhattsApp, Zoom, e-mail, Instagram, YouTube, Spotify, Deezer.  

Dessa maneira, por meio das ferramentas da internet, será levada arte ao público sem fronteiras geográficas. Terá cenários sonoros – com os sons do sertão e a galeria virtual do Teatro Máquina, assim como nos semáforos da capital gaúcha e projeções em grandes edifícios pela cidade. Definitivamente, será uma nova forma de ver e fazer a arte cênica. 

Entre as exibições nacionais estão confirmados Sete Estrelas do Grande Carro 2015-2020: livro digital e galeria virtual do Teatro Máquina, de Fortaleza, Marcha À RéJuntos e Separados da Anti-Status Quo, de Brasília, Tudo que coube em uma VHS do grupo Magiluth, de Recife, e a residência artística Forte da Inquieta Cia. de Fortaleza com os artistas de Porto Alegre. Além dos espetáculos e produções locais inscritos e selecionados por meio de chamamento público. Os convidados pelo festival irão executar, sem aglomerações, as instalações urbanas-humanas em pontos específicos de Porto Alegre (em ações que serão filmadas e transmitidas no Canal Em Cena, e portanto disponíveis a todos). Entre os destaques dos conteúdos reflexivos e formativos estarão oficina e master class com Janaina Leite, enquanto Valéria Barcellos conduz discussões diversas sobre representatividade.

Neste ano, os palcos de teatros locais não serão ocupados pelo festival, mas o preenchimento será feito com novas ideias de manifestações, de criações e de espetáculos.

ALGAS LUMINOSAS E SOBREHUMANOS

Parte do cenário será mandado para a casa do espectador (neste caso restrito à Capital gaúcha), como no espetáculo As I Collapse, da Recoil Performance Group, que aborda a interação entre os seres vivos por meio da água. O inovador espetáculo do grupo de Copenhagen é uma das atrações que ilustra a contemporaneidade desta edição, assim com o tema do Porto Alegre Em Cena em 2020: #ocorpofuturo. As apresentações serão ao vivo, pelo Zoom.

“Somando as oito apresentações ao vivo, teremos público de, no máximo, 160 espectadores. Depois de comprar o ingresso, o público que mora em Porto Alegre, receberá algas luminosas em casa. Essa alga deverá ser cuidada até a apresentação e usada em uma meditação/reflexão, conduzida por áudio, enviado por um link. O resto é surpresa”, antecipa Fernando Zugno, coordenador geral e curador do Em Cena.

Já Body A traz para o presente um corpo futuro. Criado por meio da tecnologia, Body A é uma fusão entre homem e máquina, gerando uma criatura compreendida como übermensch, ou sobrehumano

A FORÇA DO ÁUDIO ENTRA EM CENA

A acessibilidade é uma das prioridades do festival. Além de tradução para Libras de todas as peças e debates, os podcasts irão além da produção de conteúdos como entrevistas e bate-papos. A programação será enriquecida com episódios da Crônica do Amanhãpodcast de ficção que promete aguçar os espectadores. Crônicas do Amanhã são dramaturgias já pensadas para este universo, e não uma adaptação com audiodescrição de espetáculos visuais, em episódios de aproximadamente dez minutos cada. “São criações focadas desde o início no aguçamento auditivo”, destaca Zugno.

Ao buscar referências nacionais e internacionais sobre o teatro em tempo de pandemia, o Em Cena quer ser um catalisador para que grupos locais desenvolvam novos trabalhos, pensem e executem a arte digital.

FORMAÇÃO E REFLEXÃO

Ou seja, com tantas atrações, o festival estará nas telas, mas também a céu aberto, com performances e projeções em galerias parceiras e prédios públicos. Serão galerias virtuais, e-books e web documentários. Terão ainda debates e reflexões sobre o hoje e o amanhã. Serão exercícios e testes de novas formas de estar em cena.

No contexto educativo, um dos destaques é a master class com a dramaturga Janaína Leite, uma das grandes pesquisadoras de artes cênicas. Autora da obra Autoescrituras Performativas: do diário à cena (Editora Perspectiva), Janaína tem entre os trabalhos mais recentes Stabat Mater, que recebeu o Prêmio Shell de Dramaturgia em 2019. “A Janaína tem uma proposta vertiginosa e forte, com um estudo sobre o teatro pornô e documental, por exemplo. Como o Stabat Mater viria à Porto Alegre, decidimos trazer esse trabalho de forma virtual, com debate posterior e oficina de dramaturgia”, comemora Zugno.

Entre as lives, um dos grandes destaques é a série de bate-papos conduzidos pela cantora Valéria Barcellos, que saiu do interior do Rio Grande Sul para brilhar na cena nacional e internacional. Com sua bela voz, seu humor, parcerias celebradas, premiações e sua já característica irreverência, Valéria versa sobre a importância e urgência de ser quem se é.

ALGUNS NÚMEROS DO FESTIVAL

A mesma rota de viagem para o futuro norteia os espetáculos, apresentações e performances nacionais e locais. Ao todo serão:

- 20 conversas sobre criações (10 nacionais e internacionais e 11 locais);

- 10 performances locais no projeto Em Quadros;

- 10 espetáculos/obras locais do Braskem em Cena;

- 11 programas de podcast comandado por Bruna Paulin apresentando a agenda diária do festival e críticas e comentários do dia anterior;

- 10 apresentações de áudio-teatro;

- 1 galeria virtual: com livro digital, instalação sonora, video-performance e video-instalação documental do Teatro Máquina;

- 3 obras internacionais: apresentação do texto Corpo Futuro de Ricardo Cabaça (Portugal) / Body A (Escócia) / As I Collapse (Dinamarca);

- 3 obras nacionais: Marcha À Ré, Tudo que coube em uma VHS e Juntos e Separados;

- 1 Master Class com Janaína Leite e 7 oficinas práticas e teóricas;

Confira a programação completa em PORTO ALEGRE EM CENA

27º Porto Alegre em Cena é apresentado pelo Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura e Prefeitura de Porto Alegre através da Secretaria Municipal da Cultura. Conta com patrocínio de Itaú, PMI Foods, Braskem e Panvel Farmácias. Tem apoio de Sinergy, RBS TV, TVE e FM CulturaPrimeira Fila Produções e Leão Produções são as agentes culturais. O projeto é financiado pelo Pró-cultura RS, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Fonte: Assessoria de Imprensa


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário