quinta-feira, 15 de abril de 2021

FILME CASO LEONARDO TRAZ À TONA O EXCESSO DE FORÇA DO TRATO DA POLÍCIA COM O CIDADÃO COMUM

 

O filme de Val Carbone Caso Leonardo inicia sua carreira de distribuição e circulação em festivais e internet. O curta-metragem que foi contemplado no PROAC L.A.B. (Lei Aldir Blanc), no eixo Licenciamento e terá seu lançamento oficial em evento online nos dias 16 de abril e 17 de abril, sexta-feira, às 21h e sábado, às 16h. A transmissão será realizada pelo canal das Oficinas Culturais do Estado de São PauloO filme tem como protagonistas os atores Paulo Gabriel e Marcelo Gomes que interpretam Rubens, o investigador e Leonardo o investigado, respectivamente. A trama é escrita por Laura Roa e conta com a direção de Val Carbone, direção de fotografia de KK Araújo, co-direção de Paulo Gabriel e produção de Ellen Bueno.

 

O filme do gênero policial traz um olhar ousado em sua montagem, com estética dos anos 90, com ares de terror psicológico. A película apresenta uma estética dual, ora simula a gravação de uma câmera ‘’amadora’’ que a tudo registra – nu e cru – um interrogatório violento e ora emula uma câmera de alta qualidade que define pensamentos e falas destes seres: interrogado e seu algoz. Somado a isso, temos como moldura noventista, essa imagem/fotografia transmitida através de um aparelho videocassete, que pelo tempo exibe as imagens com certa granulação e certa deterioração da fita e que associado ao movimento frenético do controle remoto, aponta um controlador que busca entender ou solucionar a cena de um crime anterior ou um crime que foi registrado pelas câmeras, cometido pelo excesso do emprego da violência como ferramenta de confissão, mesmo que possivelmente a parte investigada não tenha envolvimento no crime investigado.

 

O filme se passa em uma elipse de tempo, por vezes um recorte da memória das personagens, ora projeções, ora imagens de fato do vídeo, trazendo algum entendimento sobre um crime que passa a ser desvendado sobre uma teoria criada pela narrativa do controlador do vídeo e além disso conseguimos entrar na mente deste interrogador que cai em si diante dos seus atos hostis e desumanos. Nesse tempo decantado, apresentamos os estados latentes e limites das personagens, que buscam se salvar a qualquer custo.

 

Val Carbone diz: ‘’Caso Leonardo é um filme que trabalha a sombra, da noite, com focos fechados e pouca luminosidade; De outro lado temos a estilística de filmes que emulam filmagens caseiras, com imagens granuladas, distorcidas, frias e com ângulos mais opressores, como vemos em filmes como A Bruxa de Blair, de Eduardo Sánchez e Daniel Myrick. Com isso mesclamos esses estilos e fundimos em um filme em forma de clip dando essa dinâmica cíclica, fracionada e repetitiva, causando incômodo e sensação de looping.’’

 

Paulo Gabriel comenta: ‘’Buscamos em Caso Leonardo promover um choque entre gêneros, estilística e narrativa. De um lado as imagens mais bem definidas, com cores em preto e branco nos trazem referências do gênero Noir, tendo como base clássicos como China Town, do Roman Polansk e Falcão Maltez, de John Ruston, que cultivam e coroam a figura mítica do policial, do detetive, como homem da lei e acima dela. Apesar que descontruímos esse mito e mostramos que nem sempre é assim, pois o excesso de confiança pode levar a outros caminhos’’.

 

Caso Leonardo dialoga fortemente com o hoje, com o excesso de força e violência presente nos discursos nas redes sociais, em partidas de futebol e em desentendimentos no farol. Os ''estados limites''. Além de escancarar o emprego de excesso de força por aqueles que detém o poder de polícia”, diz Marcelo Gomes. Ellen finaliza: “Caso Leonardo visa ser um filme frenético e impactante, com tempos urgentes, diálogos ríspidos e altas doses de cafeína que levam os protagonistas deste filme a destinos inesperados”.

 

O filme trará 2 sessões gratuitas à população, ambas em formato online, seguido de debate. O filme ainda poderá ser visto futuramente na plataforma indicada pelo PROAC ou ou em canal indicado pela Secretaria da Economia Criativa do Estado de São Paulo.

 

Sinopse:


‘’Leonardo é um professor universitário que sofre interrogatório ilegal em uma delegacia, pois passa a ser considerado suspeito de um assassinato. Rubens é um policial violento que só quer uma coisa: a confissão de um crime terrível a qualquer preçoO excesso de confiança do interrogador e altas doses de cafeína os levam a destinos inesperados.’’ Dir: Val Carbone – Com Paulo Gabriel e Marcelo Gomes. Gênero: Drama/Policial. Português. 14 anos.

 

Ficha Técnica:


Roteiro: Laura Roa


Direção: Val Carbone


Direção de Fotografía: KK Araujo


Co-Direção: Paulo Gabriel


Com Paulo Gabriel e Marcelo Gomes


Montagem, Colorização e Edição: Karen Pompeo e Rawi Santos


Câmera: KK Araújo


Assistente de Direção: Ellen Bueno


Som Direto: Carolina Lutzila


Figurino, Locação e Objetos: Marcelo Gomes. Ellen Bueno e Paulo Gabriel


Edição de Som: Rafael Simões


Design: In!Motion Art Agency


Trilha: Val Carbone


Produção Executiva: Ellen Bueno


Produtor Associado: Paulo Gabriel


Produtor Geral: Val Carbone


Assessoria de Comunicação: Pombo Correio


Redes Sociais: Ellen Bueno


Legendagem: Val Carbone


Adm: Michelle Gabriel

 

Apoio Institucional /Transmissão: Poiesis- Oficinas Culturais do Estado de São Paulo

 

Realização: Governo Federal, Ministério Do Turismo, Governo Do Estado De São Paulo, Secretaria Da Economia Criativa, Amigos da Arte, #Culturaemcasa, Pimenta Filmes, La Vigilia, E!Motion Cultural, Claquete Filmes 

 

-Projeto Contemplado pela Lei Aldir Blanc, Edital 41-

 

Serviço

 

Dias e Horários: 16/04 (sexta), às 21h e 17/04 (sábado), às 16h


Ao término da exibição teremos um bate-papo via Zoom (sexta) e via Instagram (sábado) com a equipe

 

Endereço de busca no youtube: OficinasCulturaisdoEstadodeSãoPaulo


Duração: 7 minutos


Classificação etária: 14 anos


Gratuito

 Créditos da foto: Ellen Bueno  

Fonte: Assessoria de Imprensa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário