domingo, 17 de maio de 2015

25°CINE CEARÁ DIVULGA LONGAS-METRAGENS SELECIONADOS PARA MOSTRA COMPETITIVA

Os organizadores do Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema divulgaram a relação dos 10 longas-metragens que competirão pelo prêmio principal na edição comemorativa dos 25 anos do evento, que será realizada de 18 a 24 de junho deste ano, em Fortaleza.
Do Brasil, foram selecionados Real Beleza, de Jorge Furtado, Cordilheiras no Mar: a Fúria do Fogo Bárbaro, de Geneton Moraes Neto, que tem sua pré-estreia mundial no festival, e Que Horas ela volta?, de Anna Mulayert, que faz a sua primeira exibição oficial no país depois de receber prêmios nos Festivais de Sundance e Berlim.
Das produções internacionais, cinco filmes inéditos no Brasil participam da competição: o chileno O Clube, de Pablo Larraín, vencedor do Urso de Prata no Festival de Berlim; o peruano NN, de Héctor Gálvez, vencedor do Prêmio de Melhor Diretor do Festival de Cartagena das Índias, na Colômbia; o espanhol Loreak, de Jon Garaño e José Mari Goenaga; a coprodução espanhola-etíope Crumbs, de Miguel Llansó; e o cubano A Obra do Século, de Carlos M. Quintela, vencedor do Prêmio Hivos Tiger y Lions Film no Festival de Rotterdam.
A seleção se completa com dois filmes inéditos no Ceará: Cavalo Dinheiro, dirigido pelo português Pedro Costa, vencedor de dois prêmios no Festival de Locarno, e a coprodução Brasil-ArgentinaJauja, de Lisando Alonso, que estreou na Seleção Un Certain Regard no Festival de Cannes e recebeu o prêmio de Melhor Filme da Fipresci.
As obras selecionadas e exibidas no festival concorrem ao Troféu Mucuripe em diversas categorias, como melhor longa, direção, roteiro e melhor direção de arte. O vencedor na categoria melhor longa-metragem ibero-americano levará um prêmio em dinheiro no valor de 10 mil dólares.
O prêmio da crítica para melhor longa-metragem será concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).
 MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:
1.      Cavalo dinheiro– de Pedro Costa. Portugal
 
   2 Jauja – de Lisandro Alonso. Argentina
   3.      Crumbs –  de Miguel Llansó. Espanha, Etiopia
4.      A obra do século– de Carlos M. Quintela. Cuba
 
5.      Que horas ela volta?–  de Anna Muylaert. Brasil
 
6.      NN – de Héctor Gálvez. Peru
 
7.      Loreak–  de Jon Garaño e José Mari Goenaga. Espanha
 
8.      Real beleza– de Jorge Furtado. Brasil
 
9.      Cordilheiras no mar: a fúria do fogo bárbaro– de Geneton Moraes Neto. Brasil
 
10.  O clube–  de Pablo Larraín. Chile
 
TEXTO: AsCom/MinC | Com informações da Ancine
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário