quinta-feira, 2 de junho de 2016

SÃO JOÃO PARAIBANO RECEBE A TOCHA OLÍMPICA

Em clima de festa de São João, com apresentação de quadrilhas, sanfoneiros e grupos folclóricos, a Tocha Olímpica encerra, em Campina Grande (PB), o percurso de 240 quilômetros percorridos nesta quinta-feira (2). Ao longo do dia, a chama cruzou a divisa entre Pernambuco e Paraíba e passou por cidades históricas e famosas por suas manifestações culturais: Igarassu (PE), Pedras do Fogo (PB), Itabaiana (PB) e, por fim, Campina Grande.

A primeira passagem da tocha nesta quinta-feira foi no centro histórico de Igarassu, última cidade pernambucana a ser visitada. O município abriga uma das mais antigas igrejas do Brasil – a Igreja Matriz dos Santos Cosme e Damião, erguida no início do século XVI – e o histórico Convento do Sagrado Coração de Jesus. A construção barroca foi realizada no século 18 e tornou-se casa mãe da ordem religiosa das irmãs do Sagrado Coração de Jesus no Brasil.

Em seguida, o comboio cruzou a divisa e Pedras do Fogo foi o primeiro município paraibano a receber o símbolo olímpico. A festa ficou por conta da apresentação de grupos de capoeira e ritmos musicais, como o maracatu e cavalo-marinho. Pela sua história e riqueza, entre outros motivos, essas três manifestações culturais foram registradas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio imaterial do Brasil. Conduzida por 17 pessoas, a tocha percorreu 4,4 km nas principais ruas da cidade.
 
Após Pedras do Fogo, a tocha seguiu para Itabaiana, onde foi recebida com encontro de bandas e fanfarras. Na cidade, foi construído um monumento em homenagem à tocha – um arco de três metros com os anéis olímpicos, tocha e sanfona.

A última parada, em Campina Grande, fecha o percurso em ritmo de forró. A cidade é famosa por ser palco de uma das maiores festas juninas do Brasil, o São João de Campina Grande, que terá início nesta sexta (3) e segue até 3 de julho. A expectativa ao longo desses 30 dias é de que 2,5 milhões de pessoas passem pela festa, que inclui na programação desde shows a vila de artesões.
 
Em Campina Grande, a chama olímpica deverá fazer um passeio de barco pelo Açude Velho, patrimônio histórico da cidade, além de uma parada para foto no monumento Farra de Bodega, que homenageia os ícones da música nordestina Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. No monumento, estão previstas apresentações dos grupos Raízes e Tropeiros da Borborema.

REVEZAMENTO
 
Nesta sexta-feira (4), o comboio segue rumo a Guarabira (PB), Sapé (PB) e João Pessoa (PB). O revezamento da tocha pelas 330 cidades do Brasil teve início em 3 de maio, em Brasília (DF). Ao todo, a chama olímpica pernoitará em 83 municípios, totalizando aproximadamente 12 mil milhas áreas e 20 mil quilômetros terrestres percorridos. Cerca de 12 mil pessoas se revezarão na condução da tocha, cada uma por 200 metros, em média. Em 5 de agosto, a chama desembarca no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para acender a pira olímpica e dar início aos Jogos.

O MINC E A TOCHA
 
O percurso da tocha abre espaço para a exibição das mais diversas expressões culturais do País ao mundo. Atento a essa oportunidade, o Ministério da Cultura (MinC) realizou convênio com prefeituras de capitais do Brasil para apoiar atividades de promoção cultural durante a passagem da Tocha Olímpica.
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará de R$ 192 mil a R$ 250 mil para 18 capitais, das cinco regiões brasileiras, organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades ainda devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
Mais informações, no site da Rio 2016 https://www.rio2016.com/revezamento-da-tocha
 
Fonte: Cecilia Coelho - Com informações da Rio 2016 - Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura – Foto: Chama Olímpica chega a Itabaiana (PB) - Crédito: Marcos de Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário