sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

MARIA REZENDE É HOMENAGEADA NA 8ª EDIÇÃO DA 'OCUPAÇÃO POÉTICA'




A poeta carioca Maria Rezende é a grande homenageada da 8ª edição do projeto Ocupação Poética, que acontecerá na segunda, dia 5 de dezembro, às 20h, no teatro do Centro Cultural Cândido Mendes, em Ipanema, Rio de Janeiro. Maria vai além da poesia. Também é performer, montadora de cinema e TV e celebrante de casamentos. Com três livros publicados (Substantivo Feminino (edição da autora/2003 - Ed. Ibis Libris/2012), Bendita Palavra (Ed. 7Letras/2008) e Carne do Umbigo (edição da autora/2015), a artista tem entre seus sucessos o poema “Adoro pau mole”, gravado por Ana Carolina.

A noite dedicada a Maria será com leituras de suas poesias. Coordenado pelo poeta e jornalista Paulo Sabino, o projeto contará com várias participações especiais: Cristina Flores (atriz e diretora), Elizeu Braga (poeta, ator e curador da Arigóca, de Porto Velho, Rondônia), Emílio Dantas (ator), Mariza Leão (produtora cinematográfica e mãe da homenageada), Pedro Mann (cantor, compositor e instrumentista – banda Bondesom), Renata Corrêa (roteirista e escritora) e Renato Farias (ator e diretor da Cia de Teatro Íntimo).

O ator Emílio Dantas conheceu a obra de Maria nos tempos de “Te Vejo na Laura” e, durante o evento, vai ler um poema homenageando o ilustre guitarrista e compositor Tonho Gebara, de quem Emílio é fã. O convidado tem uma paleta de guitarra do Tonho tatuada no pulso. Entre outras curiosidades da noite, a participação de Pedro Mann, o primeiro a transformar um poema de Maria em música, quando ainda eram adolescentes.

Sobre Maria Rezende:

Maria Rezende é poeta, performer, montadora de cinema e televisão e celebrante de casamentos. Seus três livros são: Substantivo Feminino (edição da autora/2003 - Ed. Ibis Libris/2012), Bendita Palavra (Ed. 7Letras/2008) e Carne do Umbigo (edição da autora/2015). Maria teve seus poemas publicados em veículos tão diversos como a revista Playboy(como texto do ensaio da atriz Regiane Alves) e a revista Poesia Sempre, da Biblioteca Nacional, além da antologia Imagining Ourselves, do International Museum of Women de São Francisco.

A palavra falada é um dos pilares da poesia de Maria Rezende. Ela aprendeu a dizer poemas aos 18 anos com a poeta e atriz Elisa Lucinda. Aos 20 anos, em um recital sobre a obra de Fernando Pessoa, recebeu aplausos de José Saramago.Seus dois primeiros livros, foram lançados acompanhados de CDs em que ela diz os poemas, e receberam elogios de nomes como Ferreira Gullar e Martha Medeiros. "É poesia substantiva mesmo. A mulher inteira dentro das palavras. Poesia é fenômeno de linguagem do que de idéias. Isso você sabe. Sendo assim, você é poeta", elogiou Manoel de Barros sobre seu livro de estreia.

De olhar misterioso, pensamento plural e vísceras expostas, a poesia de Maria capta um inconsciente coletivo pulsante do feminino e celebra improváveis casamentos: fossa e esperança, lirismo e dureza, tristeza e graça. Em seus quase vinte anos de vida literária, Maria já se apresentou com sua poesia por todo o Brasil e também em Portugal, arregimentando fãs como a cantora Ana Carolina, que escreveu a orelha de seu segundo livro e gravou um de seus poemas mais populares, "Adoro pau mole". Esse poema rende à Maria infinitas surpresas: já foi plagiado em um vídeo que virou febre na internet, já entrou em um mashup musical junto com Valeska Popozuda, e recentemente fez parte da cerimônia de casamento de um jovem casal, que contratou a poeta para ocupar o lugar do padre em sua festa com o pedido específico de incluir seu "hit" no texto.

Filha do diretor Sergio Rezende e da produtora Mariza Leão, estagiou na direção do filme "Guerra de Canudos" com apenas 17 anos, mas foi como montadora que firmou carreira há doze anos. Tem no currículo os filmes “Em nome da lei” (2016), “Tô Ryka” (2016), “Ponte aérea" (2015), "Meu passado me condena 1 e 2" (2013/2014), "Totalmente inocentes" (2012), além de sete curta-metragens e séries de televisão para GNT, Multishow e TV Brasil.

Sobre o Evento: 

A Ocupação Poética no Teatro Cândido Mendes de Ipanema começou em 2015 a partir de um convite dos diretores do espaço, Adil Tiscatti e Fernanda Oliveira, para que o poeta e jornalista Paulo Sabino ocupasse brechas no calendário de programação com poesia. Assim, ele passou a convidar os poetas e autores de sua estima e admiração, incluindo as participações de convidados especiais, para juntos realizarem essas noites de “conversas com versos”.

Em suas edições o projeto já reuniu nomes como Adriano Espínola, Alex Varella, Antonio Carlos Secchin, Antonio Cícero, Paulo Henriques Britto, Salgado Maranhão (1ª edição); Luís Turiba, Mauro Santa Cecília, Claufe Rodrigues, Cristiano Menezes (2ª edição); Geraldo Carneiro, Maria Padilha, Camilla Amado, Bruce Gomlevsky, Danilo Caymmi, Alice Caymmi, Tonico Pereira (3ª edição); Martinho da Vila, Maíra Freitas, Elisa Lucinda, Zezé Motta, Maria Ceiça, Dani Ornellas, Ju Colombo, Maria Gal, Flávia Oliveira, Wagner Cinelli (4ª edição); Christovam Chevalier, Aloísio de Abreu, Ithamara Koorax, Jane di Castro, Jorge Salomão, Patrícia Melodi, Paulo Mário Martins e Sheila da Silveira (5ª edição); Elisa Lucinda, Maria Rezende, Moraes Moreira e Dani Ornellas (6ª edição); Jorge Salomão, Frejat, Antônio Cícero, Christovam de Chevalier, Patrícia Mellodi, Sheila da Silveira (7ª edição); e agora chega à 8ª edição, se consolidando como um evento que dá visibilidade ao trabalho de poetas e autores de diversas vertentes e gerações. 

SERVIÇO

8ª edição do Ocupação Poética – homenagem a Maria Rezende
Coordenação: Paulo Sabino
Participantes: Maria Rezende e convidados especiais
Teatro do Centro Cultural Cândido Mendes
Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema, Rio de Janeiro
Tel: (21) 2523-3663
Data: 5 de dezembro, segunda-feira
Horário: 20h
Entrada: R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia)
Vendas antecipadas na bilheteria
Classificação livre

Fonte: Palavra Assessoria em Comunicação / Fabiola Barbosa.
Fotos: Divulgação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário