quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

“A ESCOLINHA PROFANA” TEM LEVADO A PLATEIA ÀS GARGALHADAS DURANTE NOVA TEMPORADA DA TRUPE DE HUMOR DA PARAÍBA NO TEATRO DA SALA DE CONCERTOS DO ESPAÇO CULTURAL



O verão de 2019 da capital paraibana tem levado a plateia às gargalhadas durante temporada da Trupe de humor da Paraíba com o novo espetáculo “A ESCOLINHA PROFANA”.

Os personagens mostram em cena “diferenças” gritantes da cultura brasileira com o “humor sarcástico”, mas, ao mesmo tempo, “toca” e “aponta” para os contrastes da ignorância, do atraso e da maneira de encarar a educação no Brasil.

“A ESCOLINHA PROFANA” acontece no Teatro da Sala de Concertos do Espaço Cultural até 10 de Fevereiro, sessão às 20h. A peça traz três professores de disciplinas distintas; a professora de educação religiosa (Professora Maria da Paz) uma coroa de 55 anos, dócil, meiga e muito simpática. A disciplina Orientação Sexual (Dona Gina Lolobrigida) com a professora extra-mega-hiper moderna, trata o sexo como algo primordial, essencial e fundamental nos dias de hoje, onde ela acredita que não pode tratar o sexo como tabu. E por último o professor e diretor da escola profana o Velho Dengoso (Edilson Alves) conhecido por todas as alunas por ser o mestre do pastoril profano. Ele é o responsável pela disciplina de conhecimentos gerais e tenta manter a ordem, a disciplina e progresso desta escola. Já as alunas são as mais conhecidas do público brasileiro: Verinha Show (Dinart Silva), Maria do Dú (Tony Silva), Irmã Luzinete (Sergio Lucena), A mudinha (Alessandro Barros), Selma Camburrão (Raymon Farias) e Verônica Show (Aluisio Sousa). Com as mesmas características dos espetáculos anteriores, a peça tem uma alta dose de humor, interatividade com a plateia e cenas hilárias, críticas e debochadas. “A Escolinha Profana remete à ironia de rir de si mesmo, algo que interessa a nós. Além disto o espetáculo discute questões sociais e culturais. Neste caso alguns “personagens” se prestam dramaticamente a esse realce que é fazendo humor. Por outro lado, só é possível fazer humor sobre aquilo que é “crítico”, sobre aquilo que desagrega e provoca “oportunidades” de se observar o engraçado e o trágico e disso, fazer a comédia” ressalta o diretor Edilson Alves.

A Escolinha Profana também mostra a dura realidade da educação no Brasil onde as grandes diferenças culturais e as situações observadas por conta de uma má distribuição de renda refletem de forma direta na formação dos estudantes. “É um momento do espetáculo de reflexão sobre a questão da educação acessível e universal para nosso povo” diz Edilson.

O diretor Edilson Alves fala dos vários espetáculos já encenados pelo pastoril profano e que o tema “escolinha” sempre despertou a vontade do grupo de encenar uma nova versão deste tópico. “Nós já encenamos “O Be á bá do Pastoril Profano” e de “Volta as aulas’, agora nesta versão o espetáculo traz uma configuração completamente diferente”.

Nesta nova temporada com os mesmos personagens e atores do famoso espetáculo Pastoril Profano também assina a ficha técnica: Nelson Alexandre responsável pelos figurinos, cenário e iluminação. Wagner Nascimento na sonoplastia. Icaro Diniz na assessoria de imprensa e redes sociais. Giovanna Gondim, Wagner Nascimento e Nelson Alexandre na produção de divulgação. Coordenação Geral da encenação Edilson Alves e a realização Trupe de Humor da Paraíba.

SERVIÇO:

A ESCOLJNHA PROFANA
Trupe de Humor da Paraíba

Teatro da Sala de Concertos do Espaço Cultural

De 04 de janeiro a 10 de Fevereiro – (de sexta a domingo)

Hora: 20h

Ingressos: $ 40,00 (inteira) - $ 20,00 (estudantes, professores, idosos, militares e antecipados)

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário