segunda-feira, 17 de maio de 2021

ARTIGO: COMO AS PESSOAS APRENDEM? * POR JAQUELINE MARCHETTI, COORDENADORA DE T&D NA CREDITAS

 

Muitas pessoas já se questionaram sobre como o aprendizado acontece ao longo da vida humana. Memorizamos tanta coisa no ensino tradicional e agora nos questionamos sobre onde aquele conhecimento foi parar. Lembram-se das muitas fórmulas de matemática? E as leis da física? Sem contar as grandes datas de guerras e eventos históricos? É muito questionado sobre o sumiço dessas informações todas na nossa mente através dos anos.

Há muitos estudos sobre como o ser humano aprende e se desenvolve e, graças a estes estudos, novas metodologias nasceram. As escolas adotam há séculos uma metodologia passiva e nela os professores são os protagonistas da educação, isto é, são os transmissores de um conhecimento que seus alunos supostamente não detém. É um processo de ensino, de transferência de conhecimento. Atualmente, porém, o debate vai além, focando no processo de aprendizagem, e não mais no ensino por si só.

Aprendizagem, de acordo com o dicionário Priberam, significa:

·  Ato ou efeito de aprender;

·  Tempo durante o qual se aprende e;

·  Experiência que tem quem aprendeu.

·  Ensino, por outro lado, significa:

·  Dar aulas ou lições;

·  Dar aulas ou lições de (ex.: ensinar a ler e a escrever; ensinar matemática);

·  Preparar para determinada tarefa, ação ou prática. = ADESTRAR, TREINAR;

·  Transmitir experiência, princípios ou normas de conduta (ex.: os pais ensinaram ambos os filhos a serem independentes).

Fica clara a diferença existente entre as duas palavras e os sentidos que elas podem dar a todo o processo. Não se trata mais de ensinar alguém sobre determinado assunto. Trata-se de trocas, de fomentar a aprendizagem através de práticas não tão estimuladas. E é a partir daí que as metodologias ativas passam a ganhar foco.

Mas, afinal de contas, o que é metodologia ativa?

É um modelo no qual o estudante encontra-se no centro do processo de aprendizagem. Ele não é mais apenas um mero espectador, mas personagem principal e ativo. O professor, neste modelo, atua como um mediador de discussões e não mais como apenas o único detentor de conhecimento.

Discutir, praticar e ensinar são os métodos mais eficazes no processo de aprendizagem e, se pensarmos nas práticas da metodologia passiva, fica mais fácil de entender por que é uma estratégia de aprendizagem alvo de debates e críticas nos dias contemporâneos. Ler, escrever, observar, práticas comuns no ensino tradicional, apontam um baixíssimo nível de retenção do conteúdo, mas geram, por outro lado, a reflexão: se a retenção é mínima, por que a utilizamos tanto?

A partir de reflexões como essa, é importante incentivar a utilização de metodologias que centralizam o estudante durante todo o ciclo de aprendizagem. Dentro do Starters, programa dedicado para os primeiros desafios da área que o colaborador da Creditas atuará, nos aventuramos com uma grade de treinamento de um mês baseada na metodologia 70:20:10. É uma metodologia que não exclui o aprendizado teórico, mas fomenta mais momentos de prática e aprendizado com o outro, se tratando, portanto, de uma quebra de paradigma por si só. 

É preciso conduzir a prática de treinamentos por metodologias que colocam o colaborador no centro, como agente direto de seu próprio desenvolvimento. É um novo entender, fomentamos e precisamos ser autônomos e protagonistas de nossas carreiras e, claro, isso perpassa pelo ciclo de aprendizagem e desenvolvimento.

Fonte: Assessoria de Imprensa




Nenhum comentário:

Postar um comentário