quinta-feira, 20 de julho de 2017

CARPINEJAR SELETA 122 CRÔNICAS NO NOVO LIVRO “AMIZADE É TAMBÉM AMOR”

Caracterizado por Luis Fernando Verissimo como “usina de lirismo” ou dono de uma influente imaginação destacada por Millôr (“Vai, lê ele, devagar, decifra-o e ele te devora”), Fabrício Carpinejar chama atenção pela contundência e originalidade de suas opiniões. Nesta seleta de 122 crônicas de “Amizade é também amor”, ele escreve sobre o percurso da amizade. Define o que é um amigo, além do oportunismo e do contexto favorável. "Amigo é aquele que tem todos os motivos para desistir de você, e não desiste", explica.

A amizade é uma fortaleza em época francamente digital e de amores líquidos. Segundo Carpinejar, é a única segurança afetiva e fonte de estabilidade em tempos marcados por casamentos-relâmpago e separações instantâneas.

Ele traz à tona recordações familiares, mudanças de comportamento, lições da infância mais simples (banho de caneca ou cadernos encapados pela mãe no início das aulas), estudando o DNA do companheirismo ao longo da vida. Exemplifica a diferença que faz um ombro amigo para atravessar a fossa amorosa, em especial quando o colega diz a frase mágica "ainda vamos rir disso tudo".

Entre tantas reflexões inusitadas, questiona o motivo de não festejar o aniversário da amizade. "Comemoramos aniversário de namoro e de casamento e jamais lembramos de quando uma amizade nasceu", assinala.

É um livro poderoso sobre todas as formas de afeição: amizade com alguém, amizade dentro do casamento, amizade com o passado, amizade com os irmãos e pais e também amizade por um município. Tocado pela tragédia com o time da Chapecoense na Colômbia, dedica dois textos emocionantes ao episódio, onde um país inteiro tornou-se uma única cidade.

O escritor, que em texto para o blog da editora, conta como, aos 7 anos, tinha dificuldade de aprendizagem e foi diagnosticado com retardo mental, já publicou quarenta livros. São obras de poesia, crônicas, infanto-juvenis e reportagem que já lhe renderam diversos prêmios, entre eles o Jabuti de 2012 na categoria infantojuvenil com Votupira: o vento doido da Esquina; e o Jabuti de 2009, na categoria Contos e crônicas, com Canalha!. Também ganhou o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte 2012, na categoria infantojuvenil, por Filhote de cruz-credo.

“Eu sobrevivi a tanta coisa. Sobrevivi ao bullying na escola, ao pessoal me chamando de ET e monstro todo dia durante o ensino fundamental. Sobrevivi à resistência dos médicos que juravam que tinha algum retardo mental. Sobrevivi à desistência dos professores com meu desempenho. Sobrevivi à traição de amigos. Sobrevivi às drogas para ser aceito na roda dos adultos. Sobrevivi a briga de rua. Sobrevivi a uma tentativa de suicídio na adolescência. Sobrevivi a enterros de jovens amigos. Sobrevivi a três acidentes de carro. Sobrevivi a três separações. Sobrevivi ao vício do cigarro. Sobrevivi a dois assaltos a mão armada. Sobrevivi a várias demissões. Sobrevivi ao distanciamento de meus dois irmãos amados. Sobrevivi, vou sobreviver, mesmo que não acredite na hora”, relata Carpinejar.

“Amizade é também amor” nas livrarias pela Bertrand Brasil. Leia no blog da Record um post sobre um episódio marcante da infância do escritor: http://bit.ly/2mYt9fi

MAIS SOBRE O AUTOR:

CARPINEJAR nasceu em 1972, na cidade de Caxias do Sul (RS), radicou-se em Porto Alegre (RS) e publicou quarenta livros, entre poesia, crônicas, infantojuvenis e reportagem, detentor de mais de vinte prêmios literários. Atua como comentarista do programa Encontro com Fátima Bernardes da Rede Globo e é colunista dos jornais Zero Hora e O Globo. Foi escolhido pela revista Época como uma das 27 personalidades mais influentes na internet. Já participou como palestrante de todas as grandes feiras e festivais literários do país, como a Jornada Literária, de Passo Fundo (RS), e a Festa Literária Internacional de Paraty.

Com reconhecimento em diferentes áreas, da adulta a infantil, o livro Um terno de pássaros ao sul (2000, 3ª edição, Bertrand Brasil) foi objeto de referência no Britannica Book of the Year de 2001, da Enciclopédia Britânica. O juvenil Diário de um apaixonado: sintomas de um bem incurável (2008) foi adotado pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE). A Menina Superdotada recebeu indicação para o acervo permanente da FNLIJ; e Filhote de cruz-credo (2006), foi vencedor do prêmio de melhor livro infantojuvenil da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em 2012, e inspirou duas peças de teatro, adaptadas por Bob Bahlis (RS) e Eduardo Katz (RJ).

Atualmente o autor está em turnê com o stand-up sentimental "O Amor não é para os Fracos".

O escritor integra coletâneas no México, Colômbia, Índia, Estados Unidos, Itália, Austrália e Espanha. Em Portugal, a Quasi editou sua antologia Caixa de sapatos (2005) e a Quatro Estações fez a sua versão do livro Ajude-me a chorar. Na Espanha, foi lançado ¡La jirafa es mía! (Edições SM), com tradução de Patrycja Katarzyna Jurkowska e ilustrações de Miguel Tanco.

Instagram: @fabriciocarpinejar

Fanpage: carpinejar

Twitter: @carpinejar

SERVIÇO

AMIZADE É TAMBÉM AMOR

Carpinejar

Páginas: 288

Preço: R$ 32,90

Editora: Bertrand Brasil / Grupo Editorial Record

Fonte: Departamento de Imprensa - Grupo Editorial Record - www.blogdaeditorarecord.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário