quarta-feira, 8 de agosto de 2018

CNTEEC DISCUTE NOVO MODELO DE CUSTEIO PARA AS ENTIDADES DE EDUCAÇÃO E CULTURA


O presidente Oswaldo Augusto, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura (CNTEEC), apresentou um novo modelo de custeio para as entidades de educação e cultura filiadas a CNTEEC, na sede do Senalba Pernambuco, no encontro também fizeram presentes os dirigentes da SATED de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e a Federação FITEDCA. Deu-se inicio a reunião com destaque para a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a Contribuição Sindical, para uma melhor compreensão da decisão do STF é necessário que aguardemos a publicação do Acórdão (o que pode levar meses) e a juntada dos votos em separado dos Ministros. No roteiro da reunião foram abordadas também as dificuldades enfrentadas pela reforma trabalhista que atacou o movimento sindical, perdas salariais e a resistência às investidas do patronato.

A ordem do dia prioritária tratava exatamente do planejamento do novo modelo de custeio, e confirmou-se o empenho estratégico na busca, defender a soberania da assembleia, a representatividade é da categoria e é ela quem decide, em assembleia, sobre todos os direitos oriundos da negociação coletiva, a assembleia vale também para a aprovação do desconto da Contribuição Sindical. Com a insegurança decorrente da “Reforma Trabalhista” celerada e em uma conjuntura econômica de retomada lenta, instável e desigual que não avançou na criação de empregos formais, o trabalhador deve ter ciência que não contribuindo com seu sindicato é dizer “NÃO” a seus direitos.

O presidente Oswaldo por sua vez categoricamente citou a fundamental importância do trabalhador se interessar pelo seu sindicato. “Precisamos demonstrar ao trabalhador o que é o princípio da solidariedade e os fins a que se destina os termos da contribuição como sendo a contrapartida estabelecida pela luta sindical para a toda a categoria independentemente de estar ele filiado, devemos aproveitar o momento da suposta oposição e apresentar ao trabalhador os fundamentos do porquê deve ele contribuir, do porquê deve ele ser filiado. Devemos esclarecer que a maioria dos benefícios obtidos são em razão da negociação coletiva e não porque é uma imposição da Lei ou porque o patrão é “bonzinho”.”

Senalba Pernambuco – Por você. Com Você.

Fotos: Reprodução/divulgação.

Fonte: http://senalbape.org.br/




Nenhum comentário:

Postar um comentário