quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

ATAQUES VIRTUAIS: ESET EXPLICA AS PRINCIPAIS AMEAÇAS


Muito comuns em ambientes digitais, golpes e fraudes são hoje grandes preocupações para usuários do mundo todo. Quando ocorrem, informações pessoais como senhas, números de documentos e cartões podem ser expostas ou clonadas. 

A ESET, empresa de segurança da informação e líder em detecção proativa de ameaças, explica os golpes mais comuns aplicados no Brasil e como não ser vítima.

Malware: é um software destinado a se infiltrar em um computador de forma ilícita, com o intuito de causar algum dano ou roubar informações. De acordo com pesquisas divulgadas por especialistas no 4º Fórum ESET de Segurança Informática, um em cada cinco malwares no Brasil é bancário. Os ataques costumam acontecer no computador, com o programa malicioso se instalando a partir de um clique em um link que chega por e-mail, por exemplo.

Já vulnerável, o usuário então acessa os serviços online, como a página do banco, fornece suas informações pessoais e então tem suas credenciais roubadas. De posse dos dados, os atacantes conseguem fazer compras e transações financeiras se passando pelo titular da conta ou do cartão.

Para se proteger, é importante verificar se os arquivos recebidos não estão contaminados ou se os links acessados condizem com o site correto. Normalmente, as páginas das grandes empresas têm endereços simples e são facilmente localizadas nos buscadores. Uma boa dica para identificar sites fraudulentos é se atentar a erros gramaticais. Se mesmo assim o usuário ainda tiver dúvidas sobre a autenticidade do site, uma simples ligação para a instituição pode salvar suas informações sigilosas.

Ransomware: é uma variação de malware, que sequestra o computador da vítima e cobra um valor pelo resgate, geralmente usando moedas virtuais, o que torna quase impossível rastrear o criminoso. Este tipo de vírus age codificando os dados do sistema operacional de forma que o usuário não tenha mais acesso a eles. Exemplo mais recente, o Bad Rabbit, se espalhou para países da Europa em 2017 e causou transtornos em aeroportos e sistemas de infraestrutura. Ter o sistema operacional sempre atualizado e uma solução antivírus instalada são boas formas de se proteger desta ameaça.

Phishing: é uma forma de fraude eletrônica, caracterizada por tentativas de adquirir informações sigilosas. Geralmente os ataques são enviados em aplicativos de mensagens e disfarçados em forma de produtos grátis ou cupons promocionais que, para serem acessados, exigem o preenchimento de cadastro com dados como número do cartão de crédito, senhas e outros. Após o envio das informações, o usuário não recebe o que foi prometido inicialmente e pode ter informações roubadas.
Os recentes golpes do FGTS e do Burger King no aplicativo WhatsApp podem ser considerados phishing. Por isso, nunca clique em links para ofertas milagrosas ou boas demais para serem verdade, e sempre que receber mensagens de promoções em redes sociais, verifique sua veracidade antes de clicar, pois é possível que não sejam legítimas.

Segundo Camillo Di Jorge, country manager da ESET, cada tipo de ataque conta com sua particularidade, mas a maioria tem o mesmo objetivo: obter algum tipo de benefício, geralmente financeiro. “Independentemente de ser online ou off-line, a informação requer medidas de proteção adequadas, de acordo com a importância daqueles dados. Para informações mais sensíveis, mais camadas de proteção podem ser inseridas para dificultar a ação dos criminosos. Mesmo assim, o bom senso continua sendo a melhor forma de se proteger”.

Para mais informações, acesse o portal de notícias da ESET We Live Security: https://www.welivesecurity.com/br/

Fonte/Imagem-reprodução/divulgação: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário